Com a paragem das provas nacionais que ao futebol diz respeito, a selecção portuguesa foi o entretenimento encontrado para responder às necessidades dos viciados da bola. Durante duas semanas, o assunto foi selecção. E muito bem! Portugal respondeu da melhor forma a uma derrota frente ao adversário mais creditado com duas vitórias de luxo e soube colocar-se em vantagem no apuramento para o Mundial 2018. Mas com todas estas boas notícias, os clubes foram por momentos esquecidos e aproveitaram para carregar baterias e preparar-se para o que se segue. Taça de Portugal, Campeonato e Competições Europeias. Voltamos então à parte gira! Nada contra a selecção, mas é mais coisa de Verão.

No que ao Braga diz respeito, a paragem veio num momento crucial. A recuperação de muitos jogadores que haviam estado entregues ao boletim clínico, como é o caso de André Pinto, Luis Aguiar e Rui Fonte, vem dar maior competitividade e mais margem a um plantel que se encontrava demasiado desfalcado em posições fulcrais. Claro que, com todos os recursos em boa forma, o espectáculo ganha, literalmente, mais «ar» de espectacular. Muitos outros se encontram ainda em recuperação, mas é essencialmente por estes três exemplos que em Braga se sentiu algum desconforto na forma da equipa jogar. André Pinto, porque começou muito bem época, dando continuidade à anterior, é o primeiro capitão e provavelmente o melhor defesa central arsenalista neste momento; Luis Aguiar, que apesar de estar lesionado desde o início da temporada, tendo em conta o seu historial e a necessidade aparente do clube, pode tornar-se num excelente reforço de Outono; e por fim, Rui Fonte, o homem que costuma estar no sítio certo à hora certa volta cheio de força para provar que é em Braga que se vai afirmar. Pessoalmente gosto de o ver jogar e parece-me ser uma óptima solução. De Stojilkovic já nem falo… Grande avançado. Não percebo porque não joga. Respeito as ideias de Peseiro, mas acho que por vezes a teimosia não se pode sobrepor. Agora, com quase todos, a coisa pode ser diferente. Apesar de Rosic ter vindo a mostrar o seu enorme valor, acho que a recuperação de Ricardo Ferreira também faria bem à equipa. Bom jogador e completo.

Peseiro precisa de colocar mais atitude na equipa Fonte: UEFA
Peseiro precisa de colocar mais atitude na equipa
Fonte: UEFA

Visto que já quase todos estão disponíveis, resta-me acreditar que esta paragem só foi benéfica. Aliás, o primeiro teste correu bem e a corrida pela Taça segue-se pelo nosso pé. Ainda é nossa e vamos querer defendê-la! Somos Guerreiros!

A estratégia que provinha da época anterior é cada vez mais uma miragem e quando os resultados começarem a surgir, quero crer que vão surgir, vamos ver um Braga mais forte e seguro na forma de jogar e de encarar os jogos. Honestamente, o que mais me impressionou neste início de época bracarense não foi somente a forma de jogar, mas sim a disposição com que a equipa entra para os jogos. Parece-me ser possível acreditar mais. É preciso mais confiança. Não é só a correr atrás da bola que o jogo corre bem. Salvo duas ocasiões em que vi a equipa a entrar melhor que o adversário, todas as outras foram algo displicentes no cumprimento do plano e na organização. Correr atrás do resultado nunca é bom sinal.

«Desculpe, importa-se que me intrometa na sua divagação?»

Anúncio Publicitário

«Sim, claro. Faça o favor.»

«Caro amigo, eu acho que o que falta mesmo é Atitude!»

«Hum… É isso mesmo! Muito obrigado!»

Atitude! Atitude traz Coragem. Coragem traz Força. Força traz Segurança. Segurança traz Magia. Magia…é uma palavra difícil… Magia é quando o Braga joga à bola.