O Rio Ave chegava a esta partida apenas com derrotas neste Grupo J da Liga Europa, e tinha de vencer para acalentar esperanças de chegar à próxima fase. Os verde e brancos jogaram bem e perderam injustamente no terreno do Aalborg, igual sina em Bucareste, frente a este mesmo Steaua.

Esta noite Pedro Martins apenas fez uma alteração em relação à equipa que perdeu na sexta feira, no Estádio da Luz, frente ao Benfica: entrou Ederson para a baliza, no lugar do habitual titular Cássio. Já no Steaua, notava-se a ausência do nosso bem conhecido Rusescu, autor dos dois golos que derrotaram o Rio Ave na Roménia.

Os portugueses entraram bem no encontro; durante os primeiros quinze minutos a bola circulou muito nas imediações da área do bicampeão romeno, mas os cruzamentos efetuados ora pela esquerda, ora pela direita, nunca tiveram sequência na zona de finalização. Em algumas destas jogadas talvez fosse adequado rematar à baliza, mas os jogadores do Rio Ave assim não o entenderam. O Steaua equilibrou a partida, mas ainda assim o domínio territorial continuou a ser do Rio Ave, sem criar no entanto ocasiões claras de golo. A dez minutos do intervalo, os portugueses chegaram à vantagem. Livre de Ukra na direita e Diego Lopes cabeceou à entrada da pequena área, sem hipóteses de defesa para Arlauskis. Importante a ação de Prince, a estorvar o defesa Filip para que este não intercetasse o cruzamento. De destacar também a importância do fortíssimo vento que se fez sentir no Estádio dos Arcos, e que na primeira parte soprou contra o ataque vilacondense.

Vantagem justa dos verde e brancos ao intervalo, com Ukra e Diego Lopes em destaque pela capacidade técnica que evidenciaram e que permitiu que o Rio Ave pudesse dominar o encontro no meio-campo romeno, onde se notou muito espaço entre o duplo pivot defensivo, composto por Prepelita e Sanmartean, e o trio Popa-Chipciu-Tanase, que jogou no apoio ao avançado Keseru. Todo este espaço foi aproveitado pelos vilacondenses para circularem a bola. O pior esteve na hora de finalizar as jogadas, onde o último passe raramente foi bem sucedido.

Vilacondenses estiveram duas vezes em vantagem, mar permitiram empate nos descontos Fonte: Uefa.com
Vilacondenses estiveram duas vezes em vantagem, mar permitiram empate nos descontos
Fonte: Uefa.com

Os romenos entraram melhor na segunda parte, mas sem criarem perigo. Na primeira chance de golo após o intervalo, à passagem do minuto 61, os romenos empataram o jogo. Marcelo e Nuno Lopes não conseguiram resolver um lance no flanco direito e o lateral esquerdo Filip cruzou para o centro da área. Prince ficou estático, Tiago Pinto também não chegou a tempo e Keseru, no meio de ambos, aproveitou para empatar num remate acrobático. A equipa portuguesa reagiu bem ao golo sofrido e, já com Bressan e Hassan em campo, Ukra teve três remates sem sucesso. No entanto, ficava demonstrado que o Rio Ave era a melhor equipa dentro das quatro linhas. Já no último quarto de hora da partida, mais um centro de Ukra resultou numa grande penalidade por falta de Papp nas costas de Tarantini. Diego Lopes cobrou o penálti e colocou novamente o Rio Ave em vantagem. De seguida, Pedro Martins introduziu André Vilas Boas no lugar de Diego Lopes, tentando transmitir maior solidez e segurança defensiva à equipa. Os romenos continuaram sem criar oportunidades, até que, já no período de compensações, Keseru esteve prestes a ultrapassar Prince, quando este o derrubou na entrada da área. O central viu o segundo amarelo e foi expulso, mas o pior era o livre muito perigoso, que poderia dar o empate ao Steaua. Keseru rematou contra a barreira, mas na sequência do lance Szukala colocou novamente o esférico no meio da grande área. Houve um primeiro remate de um jogador romeno intercetado por um defesa e na recarga Filip, completamente sozinho ao segundo poste, empatou o jogo; um enorme balde de água fria para os vilacondenses.

Já sem esperanças de apuramento, resta ao Rio Ave jogar na Ucrânia frente ao Dínamo de Kiev e receber o Aalborg na última jornada para tentar a primeira vitória nesta fase de grupos, onde a equipa tem sido tremendamente infeliz, apesar de efetuar boas exibições.

A Figura

Diego Lopes – o médio brasileiro e Ukra foram os dois melhores elementos em campo. Foi mais um jogo a confirmar a excelente temporada que estes dois jogadores estão a realizar. Ukra fez a assistência no primeiro golo e esteve na origem do lance da grande penalidade. O brasileiro marcou os dois golos vilacondenses, com um excelente cabeceamento e muita frieza na marcação do castigo máximo, sendo o melhor marcador do Rio Ave esta época.

O Fora de Jogo

Prince – mais uma vez, o central emprestado pela Atalanta não esteve bem na partida. Apesar do contributo no primeiro golo de Diego Lopes, o francês teve participação direta nos dois golos do Steaua: no primeiro, deu demasiado espaço a Keseru, permitindo que o internacional romeno ficasse à vontade para efetuar o remate acrobático que deu o empate no jogo. Depois cometeu a falta que resultou no 2-2, sendo expulso por acumulação de amarelos na sequência do lance. Tem cometido demasiados erros que têm custado caro à equipa comandada por Pedro Martins.

Comentários