logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Casa Pia AC 0-1 Rio Ave FC

Casa Pia AC 0-1 Rio Ave FC: Pedro Mendes desatou o nó em Pina Manique

A CRÓNICA: JOGO AMARRADO E ENCAIXADO FOI DECIDIDO NUMA BOLA PARADA QUE LEVOU À PRIMEIRA DERROTA CASEIRA DOS GANSOS

Casa Pia AC e Rio Ave FC, segundo e quarto classificados da Segunda Liga, respetivamente, defrontaram-se esta tarde em Pina Manique, num duelo entre duas equipas que têm mostrado que podem atacar os lugares de subida de divisão.

Esperava-se por isso um bom jogo de futebol. Mas as cautelas defensivas foram mais evidentes…

Aos 6 minutos, Aziz foi desmarcado por Joca, mas, no frente a frente com Ricardo Batista, o guarda-redes do Casa Pia levou a melhor. A resposta da equipa da casa não se fez esperar, com Godwin a fletir da esquerda para o meio, mas a rematar torto.

Aos 11 minutos, nova investida junto da baliza de Jhonatan, com o guarda-redes a defender com os pés um remate de Jota, após cruzamento de Leonardo Lelo.

Num jogo inicialmente equilibrado, o Casa Pia foi conseguindo ligeiro ascendente ao longo da primeira parte, com algumas aproximações pelos corredores laterais que deixavam a defesa de Vila do Conde em sobressalto.

Mas as ocasiões de real perigo desapareceram depois dos primeiros 10 minutos. O 0-0 com que se chegou ao intervalo justificava-se por isso mesmo.

No início da segunda parte, notou-se a intenção do Rio Ave em pressionar mais alto do que estava a fazer no primeiro tempo.

Pedro Mendes teve na cabeça a primeira ocasião do segundo período, aos 48 minutos, mas atirou ao lado. De bola parada, foi mesmo a equipa visitante a marcar primeiro. Canto da esquerda batido por Pedro Amaral, com Pedro Mendes a soltar-se da marcação e a saltar mais alto para cabecear para o 0-1.

O Casa Pia tentou reagir, ficando perto do empate aos 64 minutos, num remate de Leonardo Lelo que passou muito perto da baliza de Jhonatan.

Nos dez minutos finais, o jogo teve algumas ocasiões de golo, para ambas as equipas. Aos 79 minutos, João Graça obrigou Ricardo Batista a uma boa intervenção, que voltou a impedir o golo a Costinha, com uma mancha minutos depois. Aos 83, foi Aziz a fletir da direita para o centro e a rematar ao poste.

Mesmo com a maior parte das ocasiões a pertencerem ao Rio Ave, o Casa Pia podia ter empatado, por Kelechi, também na sequência de um canto.

Os gansos ainda tentaram o ‘chuveirinho’ nos instantes finais, mas o Rio Ave aguentou-se para uma importante vitória, que lhe permite igualar o Casa Pia no segundo lugar da tabela.

 

A FIGURA

Joca (Rio Ave) – Mesmo na fase em que o jogo estava mais amarrado, o camisola 14 do Rio Ave foi quem foi oferecendo mais e melhores soluções criativas à sua equipa. Num jogo de encaixe, Joca distinguiu-se pelo que foi dando ao jogo do ponto de vista ofensivo.

O FORA DE JOGO

Afonso Taira (Casa Pia) – Perdeu a marcação a Pedro Mendes no lance do canto que deu origem ao golo do Rio Ave. Num jogo em que as duas equipas se encaixaram, mesmo em termos de sistema, o meio-campo do Casa Pia não conseguiu fazer a diferença.

ANÁLISE TÁTICA – CASA PIA AC

Filipe Martins optou por um sistema tático de 3x4x3 para este jogo, com Lucas Soares e Leonardo Lelo a darem largura pelos corredores direito e esquerdo, respetivamente, suportados pelos três centrais: Kelechi, Vasco Fernandes e Zolotic. Neto e Taira formaram a dupla de meio-campo, atrás de um trio ofensivo composto por Jota, Godwin e João Vieira.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ricardo Batista (6)

Lucas Soares (5)

Kelechi (5)

Vasco Fernandes (5)

Zolotic (5)

Leonardo Lelo (5)

Ângelo Neto (4)

Afonso Taira (4)

Jota (5)

Godwin Saviour (4)

João Vieira (5)

SUBS UTILIZADOS

Banjaqui (5)

Nuno Borges (5)

Camilo (5)

Sanca (5)

Hebert (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – RIO AVE FC

Luís Freire optou neste jogo por um sistema de 3x5x2. Sávio jogou como terceiro central, ao lado de Aderllan Santos e Renato Pantalon, com Costinha e Pedro Amaral a preencherem as faixas laterais. Guga, Vítor Gomes e Joca (com Joca a juntar-se aos três da frente no momento defensivo) foram os três médios, com Pedro Mendes e Aziz na dupla da frente.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Jhonatan (6)

Costinha (6)

Aderllan Santos (5)

Renato Pantalon (5)

Sávio (5)

Pedro Amaral (6)

Guga (6)

Vítor Gomes (5)

Joca (6)

Aziz (6)

Pedro Mendes (6)

SUBS UTILIZADOS

João Graça (5)

Alhassan (5)

Ukra (5)

Hugo Gomes (5)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Casa Pia AC

BnR: Num jogo de vários duelos, em que o Casa Pia pressionou mais alto na primeira parte e o Rio Ave mais na segunda, o que é que pretendeu com as substituições que efetuou, concretamente com as duas primeiras, quando tira o Neto e o Taira e coloca o Nuno Borges e o Banjaqui no meio-campo?

Filipe Martins: Sabia que o jogo se ia partir, quis arriscar um pouco mais e dar um pouco mais de frescura ao meio-campo, pondo um médio mais posicional e pondo um 10, praticamente, como é o Zidane.

Mas acima de dar tudo dar mais frescura, porque sabia que o jogo podia entrar mais em transições e esperar que o Zidane pudesse jogar mais adiantado e explorar algum espaço entrelinhas. Mas foi sobretudo com a ideia de refrescar e não tanto com o Neto e o Taira estarem mal.

Rio Ave FC

BnR: O Rio Ave veio para este jogo a espelhar o sistema do Casa Pia defensivamente, com o Sávio como terceiro central. Depois de uma primeira parte em que o Casa Pia acabou ligeiramente por cima nas estatísticas ofensivas, o que é que disse à equipa ao intervalo, em termos estratégicos, na tentativa de tornar o resultado a seu favor?

Luís Freire: Sabíamos que era um jogo contra um rival direto com três pontos de avanço, sabíamos que vínhamos de jogo a meio da semana com o FC Porto, no Dragão, e também do jogo com o Mafra, que nos marcou e nos estimulou para este jogo.

Vínhamos com a ideia de ser uma equipa muito organizada e muito competente. Conseguimos condicionar bem o Casa Pia, não fomos tão agressivos como acho que podemos ser. Ofensivamente, estivemos bem, com jogadas com princípio, meio e fim, tivemos uma grande oportunidade de golo do Aziz na primeira parte. Foi uma primeira parte equilibrada.

O que eu pedi na segunda parte foi para sermos mais agressivos, ganhar mais duelos porque os jogadores estavam bem posicionados. Entrámos bem na segunda parte, a ganhar duelos constantemente.

Senti que, se marcássemos, era o nosso dia. Não espelhámos o jogo do Casa Pia porque temos esta solução há já algum tempo, com o Pedro e o Aziz, é um 3x5x2 a atacar. O jogo correu como planeado, mas o mérito é dos jogadores, por inteiro.

O Bernardo é licenciado em Comunicação Social (jornalismo) na Universidade Católica de Lisboa e está a terminar uma pós-graduação em Comunicação no Futebol Profissional, no Porto. Acompanha futebol atentamente desde 2010, Fórmula 1 desde 2018 e também gosta de seguir ténis de vez em quando. Pretende seguir jornalismo desportivo e considera o Bola na Rede um bom projeto para aliar a escrita ao acompanhamento dos desportos que mais gosta.

O Bernardo é licenciado em Comunicação Social (jornalismo) na Universidade Católica de Lisboa e está a terminar uma pós-graduação em Comunicação no Futebol Profissional, no Porto. Acompanha futebol atentamente desde 2010, Fórmula 1 desde 2018 e também gosta de seguir ténis de vez em quando. Pretende seguir jornalismo desportivo e considera o Bola na Rede um bom projeto para aliar a escrita ao acompanhamento dos desportos que mais gosta.

FC PORTO vs CD TONDELA