Anúncio Publicitário

O Estádio Cidade de Barcelos recebeu este sábado um duelo entre dois adversários em pólos opostos da tabela classificativa. O FC Penafiel deslocava-se a Barcelos com o intuito de continuar a sua dura luta pela subida enquanto o Gil Vicente disputava uma luta diferente, a da manutenção.

Numa tarde cinzenta mas sem chuva, a equipa da casa entrou melhor e com mais bola contrariando o favoritismo dos visitantes. As oportunidades foram surgindo para os gilistas e aos dez minutos, Ricardinho aproveita o corte incompleto de Daniel Martins e cruza rasteiro para Jonathan que recebe na pequena área e remata de primeira com a bola a rasar o poste adversário. Surgia assim o primeiro lance de perigo do jogo a pertencer aos gilistas.

Apenas três minutos depois, o capitão do FC Penafiel João Paulo derruba dentro da área Jonathan. O próprio hondurenho é chamado à conversão da bola parada e com toda a calma inaugura o marcador com a bola ainda a bater no poste antes de entrar.

Anúncio Publicitário

Este Gil Vicente de Pedro Ribeiro a surpreender com um início muito forte, alinhando com uma defesa muito subida e ao mesmo tempo capaz de anular as iniciativas ofensivas do FC Penafiel.

Os visitantes sentiam dificuldade em chegar à baliza contrária e era apenas com o recurso aos remates de longe que conseguiam criar algum perigo, tal como aconteceu em cima do minuto 25’ com o remate de Gustavo Costa a sair desviado.

Ao minuto 27’ nasce o segundo golo do Gil Vicente e também um dos momentos chave e polémicos do jogo. No seguimento de um pontapé de canto cobrado por Ricardinho, o médio de baixa estatura Reko ganha nas alturas e coloca a bola dentro da baliza com um cabeceamento exemplar. Enquanto os gilistas festejavam o golo, o guarda-redes do FC Penafiel Ivo Gonçalves ficou estendido no chão a pedir falta juntamente com os restantes colegas. Depois de alguma confusão e troca de palavras, Bruno Paixão expulsa o atacante do FC Penafiel Fábio Fortes, numa decisão bastante questionável.

O jogo corria de feição aos homens da casa que, em meia hora, estavam a vencer por dois golos e viam-se a jogar com superioridade numérica.

Aos 41’ o FC Penafiel conseguiu reduzir a desvantagem. Desta vez foram os visitantes a marcar na sequência de um pontapé de canto, com o central Daniel Martins a elevar-se nas alturas e a marcar o primeiro e único golo da tarde para os visitantes. Apesar de menos um jogador, o FC Penafiel mantinha-se assim vivo no jogo, com um golo importante em cima do intervalo. Terminava assim a primeira parte num jogo quente com uma grande penalidade, uma expulsão e muitos golos!

O resultado do jogo foi muito polémico
Fonte: FC Penafiel

À entrada para o segundo tempo, assistiu-se a um jogo completamente diferente do primeiro tempo e algo contraditório, já que o FC Penafiel, com menos um jogador, foi muito mais forte e competente do que no primeiro tempo.

A equipa de Barcelos mexeu cedo na equipa com a entrada de Fall tentar acordar a equipa que parecia adormecida e com a vantagem em risco. O FC Penafiel também mexeu no seu onze e ainda com um a menos preteriu de um central para colocar o extremo Ludovic.

De valorizar o espírito de sacrifício do Penafiel FC, que nunca desistiu e que obrigou o Gil Vicente a defender o resultado durante toda a segunda parte.

O Gil Vicente FC só conseguiu criar a primeira grande oportunidade de perigo na segunda parte aos 73’ através de Frederic, com o luso francês a rematar colocado e a bola a passar a rasar o poste de Ivo Domingues.

O Penafiel FC continuou a procurar marcar e desta vez foi o avançado Fábio Abreu a cabecear com perigo por cima da baliza de João Costa. Em cima dos 90’ o Penafiel FC voltava à carga desta vez foi da cabeça do central Daniel Martins que nasceu o perigo depois de uma saída menos conseguida do guarda-redes gilista João Costa.

Em cima dos 90’, ainda houve tempo para mais uma expulsão, desta vez para o lado do Gil Vicente FC, já que Fall viu o segundo amarelo. Na conversão da bola parada Gustavo Costa coloca a bola na área e Daniel Martins penteia a bola com a cabeça fazendo a bola embater no poste mais distante de João Costa que já estava batido.

Até ao final, o Gil Vicente geriu o tempo como quis e alcançou uma vitória muito importante na luta pela manutenção, saindo, por agora, da zona de descida. O jogo foi marcado pela polémica, com algumas decisões questionáveis da equipa de arbitragem que resultaram em duas expulsões e uma grande penalidade.

Anúncio Publicitário