São de cenários cinematográficos como o que se viveu no Estádio Cidade de Coimbra que se fazem subidas de divisão. O recinto dos estudantes foi brindado com com um ambiente digno de Primeira, proporcionado por cerca de onze mil espectadores (um recorde na Segunda Liga) e uma tarde primaveril que ajudou a Briosa a alcançar a terceira vitória consecutiva e o terceiro posto na classificação em igualdade pontual com o segundo, o Santa Clara.

Tarde soalheira no Cidade de Coimbra
Fonte: Bola na Rede

Como seria de esperar, a Académica entrou com vontade de mandar no jogo, pressionando o FC Porto B no seu último terço e Djoussé esteve perto de inaugurar o marcador logo aos 3 minutos. Este domínio, porém, foi-se desvanecendo com o passar dos minutos. O FC Porto recompôs-se e conseguiu tapar as vias de acesso à sua baliza até aos 40 minutos, altura em que a Académica voltou a conseguir criar perigo. Alan Júnior, porém, não conseguiu concretizar nenhuma das duas oportunidades de que dispôs.
Na segunda parte o FC Porto B manteve a boa organização defensiva e até pertenceu aos dragões a primeira situação de golo da etapa complementar – Djim, isolado, atirou às malhas laterais da baliza defendida por Ricardo Ribeiro. A Briosa, porém, não se ficou e respondeu através de Alan Júnior. O avançado cedido pelo Benfica, porém, não estava com a mira afinada.

A Académica continuou a pressionar a baliza contrária (que passou a ser defendida por Diogo Costa, devido à lesão de Mbaye), teve a bola, mas era o FC Porto que ia tendo o jogo, conseguindo controlar as intenções da Briosa… que ficaram mais complicadas com a expulsão de Diogo Ribeiro.

Duvidou-se do sonho da subida. Os estudantes, porém, não desistiram de o manter vivo. E tiveram a felicidade com que, normalmente, são brindados aqueles que a procuram: num lançamento em profundidade, Djoussé antecipou-se a Diogo Costa e não enjeitou a hipótese de se tornar no herói do jogo, ao desviar a bola do guardião portista e ao marcar o golo no sétimo dos oito minuto de descontos dados pelo àrbitro Carlos Espadinha.

Segundos depois o jogo terminaria, o Cidade de Coimbra incendiou-se de alegria e o sonho da subida voltou a estar vivo.

Anúncio Publicitário

Como jogou a Académica OAF:
Ricardo Ribeiro; Mike, João Real, Brendon e Nélson Pedroso; Ricardo Dias, Chiquinho, Luisinho e Femi Balogun; Alan Júnior e Djoussé;
Substituições: Marinho (Alan Júnior, 55′), Traquina (Luisinho, 76′) e Diogo Ribeiro (Nélson Pedroso, 88′)

Como jogou o FC Porto B:
Mbaye; Rui Pires, Rui Moreira e Bidi ; Yahaya, Luizão, Bruno Costa, Oleg; Chikhaoui, Madi Queta e Djim;
Substituições: 
Diogo Costa (Mbaye, 55′), Luís Mata (Madqui Queta, 81′) e Tony Djim (Danúbio, 90′)

Pedro Machado