Anterior1 de 4Próximo

Estoril-Praia SAD e UD Oliveirense encontraram-se esta tarde de sexta-feira santa para medir forças em jogo a contar para a trigésima jornada da Segunda Liga.

Ambas as equipas vinham de resultados menos felizes, uma vez que ambos os emblemas haviam escorregado e perdido as últimas partidas com os seus respetivos adversários – o Estoril havia perdido 3-1 com o SC Farense e o Oliveirense saiu derrotado frente ao SL Benfica B por 2-1.

O jogo começou intenso e muito bem disputado. Ambas as equipas entraram no relvado com vontade de impor o seu jogo, mas a verdade é que o Estoril foi bem mais eficaz nisso mesmo.

Logo antes do primeiro minuto da partida, Yan desperdiça uma excelente oportunidade pela direita, onde o Estoril esteve quase a adiantar-se no marcador. A resposta do Oliveirense veio dois minutos depois, por intermédio de Miguel Sila que, à entrada da área, rematou forte mas por cima.

O início do jogo teve oportunidades de ambos os lados, mas a equipa estorilista foi sempre a autora das oportunidades mais flagrantes. Aos oito minutos, numa das investidas do Estoril, a equipa da casa vê um penálti assinalado a seu favor que é convertido em golo pelo seu capitão de equipa – Roberto.

A resposta do Oliveirense foi positiva que, logo após sofrer o golo, impulsiona um ataque pela direita através de um cruzamento de Alemão. Fati não consegue alcançar a bola ao segundo poste e a mesma acaba por sair pela linha de fundo. Poucos minutos depois, o mesmo protagonista no cruzamento, Alemão, e desta vez outro atacante perdulário: Bouldini não consegue concretizar mesmo em frente à baliza.

A equipa da linha esteve sempre pressionar alto e a não permitir que o Oliveirense passasse do seu meio campo defensivo. E a verdade é que toda a pressão foi bastante eficaz: o ascendente do Estoril tornou-se cada vez mais evidente e o 2-0 não tardou a aparecer, mais uma vez, por Roberto que bisou assim na partida.

A partir do segundo golo, a equipa do Oliveirense decaiu muito. A prematuridade dos golos prejudicou, e muito, o espetáculo. O Estoril a partir de certa altura começou a controlar o jogo com posse de bola e o seu adversário sem conseguir responder dentro de campo. Pouco antes de acabar a primeira parte, aos 41 minutos de jogo, e depois de uma inacreditável passividade dos centrais do Oliveirense consequente de um mero lançamento lateral pouco para lá do meio-campo, o Estoril consegue dilatar ainda mais a vantagem. Yan, que até ali já tinha ameaçado várias vezes a baliza de Coelho, conseguiu finalmente abanar o fundo das redes da equipa adversária.

O pouco tempo que restava da primeira parte não prometia muito, mas a verdade é que ainda houve tempo para o Oliveirense encurtar a desvantagem no marcador. Depois de uma falta no corredor direito, Diogo Clemente cobra o livre de forma exímia e Miguel Silva só teve mesmo que encostar de cabeça. Estava feito então o 3-1 mesmo no final da primeira parte.

Estoril Praia e Oliveirense defrontaram-se esta tarde em jogo a contra para vigésima jornada da Segunda Liga
Fonte: Bola na Rede

A ida para os balneários não fez grande diferença e a verdade é que o jogo pouco ou nada mudou após o intervalo. O Estoril manteve-se a equipa com mais oportunidades e só não marcou mais golos por alguma desinspiração de Dadashov que entrou para substituir Roberto aos 37 minutos. Por duas vezes, e isolado dentro da grande área, o ponta-de-lança não foi feliz a decidir e a sua hesitação foi traiçoeira nas oportunidades que teve para fazer o 4-1.

A meio da segunda parte, o ritmo já não era e nem podia ser o mesmo, mas as oportunidades continuaram a aparecer. Aos 67 minutos, Gorré ameaçou na frente de ataque, mas Coelho, muito bem a fazer a mancha, deu pouco espaço para o número 46 da equipa da casa adiantar-se ainda mais no marcador.

O Oliveirense, por sua vez, continuava a equipa tímida da primeira parte. As suas aproximações à área estorilista pautaram-se maioritariamente por lances de bola parada que em nada resultaram. Aos 75 minutos, o Oliveirense beneficiou de um livre central à entrada da área cobrado por Paraiba ao qual Thierry responde com uma defesa tranquila. A partida a partir de certa altura já estava mais do que sentenciada e os jogadores perceberam isso mesmo. O ritmo baixou substancialmente e as oportunidades também. O jogo começou também a ter muitas paragens, o que dificultou a fio de jogo de qualquer um dos conjuntos.

Ainda houve tempo para algumas investidas do Estoril, impulsionadas por Furlan que com um dos seus potentes remates ainda assustou perto da baliza de Coelho, mas que em nada resultaram. Estava então decidida a partida desta tarde no António Coimbra da Mota, onde o Estoril foi mais feliz ao vencer por 3-1.

ONZES INCIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Estoril Praia SAD: Thierry, Basso, Cícero, J. Patrão, Roberto (Subst. Dadashov, 37’), J. Góis, Miguel Rosa, Gorré, Sandro Lima (Subst. Filipe Soares, 80’), R. Furlan, Yan (Subst. Belima, 72’).

UD Oliveirense: Coelho, Diogo Sousa (Subst. 62’, Paraiba), Sérgio, Filipe Gonçalves, Diogo Clemente, Alemão, Mathaus, Fati, Miguel Silva, Bouldini, Oliveira (Subst. Agdon, 59’)

Anterior1 de 4Próximo

Comentários