Anterior1 de 4Próximo

Lutas e objetivos diferentes ditaram um nulo com sabores completamente distintos para gilistas e madeirenses. Os galos vão vendo a luz ao fundo do túnel cada vez menor, já os nacionalistas somaram mais um ponto e seguem tranquilamente na liderança da Segunda Liga, quando ainda estão nove pontos em disputa.

Algumas dezenas de adeptos que viajaram da Madeira ofereceram um colorido especial à partida desta manhã, no Estádio Cidade de Barcelos. Duas partes distintas, tanto na emoção como no número de aproximações às balizas. Neste particular, claramente melhor de acompanhar o primeiro tempo da partida. O primeiro sinal de perigo sairia dos pés do Murilo, aos 18 minutos, com uma bola ao poste da baliza de João Costa. Estava dado o mote por parte do líder, que se pensava tomar as rédeas da partida e remetendo o Gil para o seu meio campo, fazendo jus à supremacia que vem evidenciando ao longo do campeonato. Puro engano, já que pertenceram aos galos todos os lances dignos de registo desde então. À meia hora, Jonathan colocava em sentido os reflexos do guardião Daniel, que voltaria a ser decisivo ao evitar, com os pés, que Camara festejasse.

Christian foge à marcação gilista
Fonte: CD Nacional

O intervalo chegaria com a clara sensação de que o conjunto mais aflito estava mais perto do golo, já que os insulares gozavam de um conforto de um certo conforto pontual que lhe permitia abordar a partida de uma forma mais tranquila. Ainda assim, as primeiras mexidas de Costinha foram no sentido de oferecer à equipa ferramentas que lhe permitisse sair de Barcelos com a Primeira Liga ainda mais perto.

Diego Barcellos e Medeiros ofereceram maior velocidade e mobilidade ao ataque, mas nem isso se revelou suficiente para amedrontar os gilistas que, por sua vez, já com Dimba a proporcionar maior apoio a João Vasco na frente de ataque, estariam novamente muito perto de inaugurar o marcador. Um cruzamento largo de Ricardinho encontrou a cabeça do inevitável Jonathan que falhou o alvo por centímetros.

As forças e o discernimento começaram a falhar para os da casa e ao Nacional coube a tarefa de ganhar metros no terreno sem com isso arriscar demasiado, não obrigando João Costa a aplicar-se a fundo. O Gil segue na penúltima posição com 35 pontos e está a seis da linha de água, já o Nacional é líder isolado com 64 pontos.

Como jogou o Gil Vicente FC:

João Costa, Ricardinho, Tormena, Luiz Eduardo, Gabriel, Reko, James, Jonathan, Aldair, Camara e João Vasco.

Substituições: Dimba por Aldair aos 76’, Alphonse por Jonathan aos 81’ e Tinoco por Gabriel aos 87’.

Como jogou o CD Nacional:

Daniel, Mauro, César, Fellipe, Plange, Murilo, Christian, M. Silva, Camacho, Vítor Gonçalves e Ricardo Gomes.

Substituições: Diego Barcellos e Medeiros por M. Silva e Camacho aos 67’ e Kaká por Vítor Gonçalves aos 89’.

 

Anterior1 de 4Próximo

Comentários