futebol nacional cabeçalhoUm jogo de futebol tem 90 minutos mas, como todos sabemos, por vezes é depois destes 90 que tudo se resolve. Mas já lá vamos.

Hoje, no estádio de São Miguel, até bem composto para o habitual, provavelmente devido à possibilidade da chegada ao primeiro lugar, o Santa Clara entrou melhor no jogo e a pressionar a equipa do Académico de Viseu no campo todo. Aos 15 minutos surgiu o primeiro lance de perigo, e para os açorianos. Clemente roubou a bola no meio campo a Mathaus e avançou para a grande área mas, já dentro desta, deixou-se antecipar por Bura e apenas ganhou um canto. Clemente teve novamente uma boa oportunidade 10 minutos depois, desta vez dentro da área mas contra os dois centrais do Viseu, tendo ganhado novo canto, que Tiago Ronaldo rematou por cima.

Depois deste lance, a equipa de Viseu equilibrou o jogo, conseguindo três boas oportunidades, duas por Carlos Eduardo e a última já quase no intervalo por Tomé, com um remate forte de fora da área que causou dificuldades a Pedro Freitas.

Bura remata para o golo
Bura remata para o golo

A segunda parte começou com boas oportunidades dos dois lados. O Viseu podia ter aberto o marcador logo aos 49 minutos por Carlos Eduardo, com o Santa Clara a responder dois minutos depois através de Hugo Santos, num livre. Aos 54 minutos, Capela fez um chapéu a Pedro Freitas, mas a bola bateu na trave; na recarga, Fonseca, isolado dentro da grande área, rematou por cima.

Aos 56 minutos surgiu o primeiro lance polémico do jogo. O árbitro João Matos considerou que João Dias atrasou a bola a Pedro Freitas e assinalou livre indireto para o Académico, mas com a bola quase na linha de fundo. Do livre resultou um remate sem perigo.

Foi preciso esperar até aos 71 minutos para voltar a ver um lance de perigo, com Tiago Ronaldo quase a marcar, mas Janota, guarda redes do Viseu, a conseguir uma boa defesa.

Aos 80 foi a vez de o Viseu voltar a criar perigo. Bruno Carvalho rematou à entrada da área e a bola bateu em Accioly, quase traindo o guarda redes açoriano. Até ao final do jogo, o Santa Clara esteve por cima, mas Clemente e Jimmy não conseguiram marcar aos 86 e 89 minutos.

Mas, voltando ao primeiro parágrafo, quando toda a gente já apontava para o empate, o árbitro João Matos, aos 93 minutos, descobre uma falta de João Dias sobre Fábio Martins, jogador que tinha entrado aos 88 minutos, apontando para a marca de grande penalidade. Esta é uma daquelas faltas que só existem em Portugal, isto se se puder chamar falta ao que aconteceu. Foi a impressão com que fiquei no estádio e que foi confirmada pelas imagens televisivas. Bura converteu esta grande penalidade, que deu a vitória à equipa continental.

Rui Melo juntou-se ao treinador Filipe Gouveia na Conferência de Imprensa
Rui Melo juntou-se ao treinador Filipe Gouveia na Conferência de Imprensa

Este golo levou ao descontrolo de alguns adeptos da equipa da casa, havendo três invasões de campo, uma delas quase resultando em agressão ao árbitro. No final do jogo, também houve muita confusão entre jogadores e dirigentes de ambas as partes, como já puderam ver no facebook do Bola na Rede.

Depois do jogo, o presidente do Santa Clara anunciou que vai avançar com uma Exposição ao Concelho de Arbitragem da Liga e pedir uma reunião com o Presidente da Liga. Rui Cordeiro quer saber porque é que para os jogos em casa vêm sempre árbitros sem experiência de futebol profissional e exige que “deixem de brincar com o Santa Clara”.

A Figura:

Santa Clara e Académico de Viseu – As duas equipas lutaram pela vitória e proporcionaram um jogo entretido, principalmente na segunda parte. Um empate com golos era o resultado mais justo para este jogo.

O Fora de jogo:

João Matos – Aos 25 minutos anotei que o árbitro demorava muito tempo a tomar qualquer decisão, mas o pior ficou mesmo para os 93 minutos. O árbitro, de 31 anos, que veio de Viana de Castelo, fez apenas o seu terceiro jogo profissional. O comportamento dos adeptos após a grande penalidade e dos jogadores após o final do jogo também tem de estar aqui.

Comentários