A CRÓNICA: DEZ MINUTOS CHEGARAM PARA A VITÓRIA DO LEIXÕES SC

A primeira ocasião de golo apareceu logo no primeiro ataque do FC Penafiel. Por centímetros, nos primeiros segundos, Robinho não marcou o golo inaugurador do marcador. A partir daqui, quem começou a crescer no jogo foi o Leixões SC, com consecutivas aproximações à área do FC Penafiel, mas sem eficácia.

Foi preciso uma desatenção da defesa da equipa forasteira para o Leixões SC conseguir, efetivamente, concretizar. Num pontapé de baliza, Emanuel Novo tentou passar a bola a Franco, mas Nenê foi mais rápido e assistiu para o golo de Joca Samuel aos 14 minutos. Estava inaugurado o marcador no primeiro quarto de hora e estava favorável à equipa do mar.

A pressão leixonense continuou perante um FC Penafiel praticamente sem reação em campo. Enquanto as ofensivas da equipa de José Mota ameaçavam constantemente a baliza de Emanuel Novo, Tiago Silva já devia estar com vontade de se sentar e pedir um café, dado o pouco trabalho que estava a ter.

Anúncio Publicitário

Quase dez minutos passados do primeiro golo e 23 desde o início do encontro, o Leixões SC aumentou a vantagem no marcador para dois golos. Depois de um cruzamento milimétrico de Jefferson Encada, bastou a Nenê encostar para mais um golo dos leixonenses. Tudo estava a correr de feição para a equipa da casa.

Já para os forasteiros nada corria bem. Para além do resultado e da exibição totalmente apagada, Bruno César acabou expulso no último minuto da primeira parte depois de um lance com Bruno Monteiro. O FC Penafiel precisava, de forma desesperada, do intervalo para refrescar e rever a sua estratégia de jogo, dado que, para além de tudo, Pedro Ribeiro também não se mostrava, de todo, agradado.

Os segundos 45 minutos começaram de uma forma diferente relativamente àquilo que foi a primeira parte. Mesmo com menos um elemento no terreno de jogo, o FC Penafiel começou a aproximar-se mais vezes da grande área de Tiago Silva, mas sem grande efeito. Do lado do Leixões SC existiam menos aproximações, mas com critério, apesar de pecar na finalização.

Com o decorrer dos minutos, nada mais houve a contar. Tiago Silva ainda meteu as mãos à bola, mas, na sua maioria, sem grande perigo vindo da equipa de Pedro Ribeiro. Acabou por ser um jogo que ficou marcado pela primeira parte bem conseguida do Leixões SC e bastante mal conseguida pelo FC Penafiel. Soou o apito final vindo do árbitro Vítor Ferreira e o resultado permaneceu no 2-0 favorável ao Leixões SC.

 

A FIGURA

Nenê – Foi preponderante na construção ofensiva e também como marcador do Leixões SC. Assistiu para o primeiro golo, marcou o segundo e conseguiu dinamizar o ataque leixonense.

 

O FORA DE JOGO

FC Penafiel – Uma exibição muito apagada, mal construída e onde tudo o que tinha para correr mal, correu. Concederam dois golos em dez minutos e, para além disso, ainda se viram a jogar com menos um elemento no terreno de jogo.

 

ANÁLISE TÁTICA – LEIXÕES SC

 José Mota optou, novamente, pelo 4-3-3 com Nduwarugira recuado no meio-campo a apoiar na primeira fase de construção.

Na baliza, Tiago Silva rendeu Stefanovic, que permaneceu no banco de suplentes. A linha defensiva acabou por ser alterada depois da expulsão de Diogo Gomes no último encontro disputado pelo Leixões SC. Pedro Pinto e Brendon ocuparam a zona central, com Seck e Lucas Lopes a ocupar as laterais.

No meio-campo, Nduwarugira era o primeiro elemento, com Bruno Monteiro e Joca Samuel a jogar bastante aproximados ao setor mais avançado do terreno. Na frente estiveram Kiki e Jefferson Encada com o objetivo de ajudar o ponta de lança, Nenê.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Tiago Silva (6)

Seck (6)

Brendon (6)

Pedro Pinto (6)

Luicas Lopes (6)

Bruno Monteiro (6)

Nduwarugira (6)

Joca Samuel (7)

Kiki (6)

Jefferson Encada (7)

Nenê (8)

SUBS UTILIZADOS

Rodrigo (6)

Avto (6)

Papalele (5)

Belkheir (6)

Jota (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC PENAFIEL

 Pedro Ribeiro optou por um 4-3-3 com Bruno César recuado no meio-campo e Robinho e David Caiado a apoiar Rui Pedro. Após a expulsão de Bruno, a equipa do Penafiel passou a atuar num 4-4-1.

Na baliza esteve Emanuel Novo e a linha defensiva montada à sua frente foi composta por Coronas e Leandro nas alas e Denis a par de Franco na zona central.

No meio-campo, para além de Bruno César, estiveram Gustavo Henrique e João Amorim. No setor mais avançado do terreno alinharam Robinho e David Caiado no apoio a um jogador bem conhecido do Leixões SC, Rui Pedro.

Após a expulsão de Bruno César, ambos os jogadores que estavam no apoio a Rui Pedro recuaram para o meio-campo, alinhando esse setor a quatro jogadores.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Emanuel Novo (5)

Coronas (6)

Denis (5)

Franco (5)

Leandro (6)

Gustavo Henrique (6)

João Amorim (5)

Bruno César (3)

David Caiado (5)

Robinho (7)

Rui Pedro (5)

SUBS UTILIZADOS

Wagner (6)

Pedro Prazeres (6)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Leixões SC

Não foi possível colocar questões ao técnico do Leixões SC, José Mota.

 

FC Penafiel

BnR: Que elações tira da exibição dos seus jogadores e do resultado conseguido aqui contra o Leixões SC?

Pedro Ribeiro: Nós perdemos, ganhamos e empatamos todos juntos. Hoje fomos nós que perdemos porque permitimos que o Leixões aproveitasse um ou outro erro que nós cometemos e que nos colocaram com um jogo muito difícil para discutir. Os erros não são individuais, são do Penafiel. O jogo começa com uma grande oportunidade nossa e temos de ser eficientes. Temos de fazer aquilo que o Leixões fez na primeira oportunidade. Nós temos de ser uma equipa muito mais eficaz e não uma equipa que permite que as outras equipas fiquem em vantagem.