Cabeçalho Futebol Nacional

Novamente com pouca adesão ao estádio, numa tarde com frio de neve, o Sporting da Covilhã recebeu os algarvios do Olhanense para a 24.ª jornada da Liga LEDMAN Pro. Tal como a sua posição geográfica, a equipa de Olhão está a sul da tabela classificativa, lutando para não confirmar a quase certa despromoção.

O Covilhã começou desde cedo a dominar o jogo, com bons entrosamentos no ataque, acabando por criar muito perigo à baliza de Skowron. Os algarvios tentavam sair em contra-ataque, mas o meio-campo serrano travava com eficácia as investidas dos adversários.

Chaby, sempre em evidência nesta equipa do Covilhã, teve a primeira grande oportunidade de golo no jogo, ao rematar forte à entrada da área do Olhanense, com a bola a passar a escassos centímetros da baliza da equipa de Bruno Baltazar. Posteriormente, Medarious, aos 17n minutos, ganha vantagem sobre a defensiva adversária, dominando bem a bola, mas a falhar inacreditavelmente em frente à baliza algarvia, rematando muito por cima.

O golo já se adivinhava e Erivelto acabou por fazer as delícias da casa. Depois de um canto de Gilberto à esquerda, Mike, ao primeiro poste, desvia de cabeça para o avançado brasileiro encostar também da mesma forma para dentro da baliza.

Anúncio Publicitário

O Olhanense praticamente não dava trabalho a Igor, quase um mero espectador privilegiado neste jogo. A equipa de Olhão, depois de um contra-ataque bem conseguido do lado esquerdo por parte de Gonzalez, o mesmo que cruzou para dentro da área covilhanense, com Jorman a não conseguir rematar. Esta situação foi causada pela distracção da equipa da casa, que relaxou um pouco depois do primeiro golo.

O Covilhã, por sua vez, tentava rematar à baliza adversária de meia-distância, já que o Olhanense defendia com muitas unidades à entrada da sua área.

Erivelto abriu o ativo na Covilhã (Fonte: Facebook SC Covilhã)
Erivelto abriu o ativo na Covilhã (Fonte: Facebook SC Covilhã)

Na segunda parte, o Covilhã entrou como saiu para intervalo: bastante pressionante e dominante. Chegou ainda a marcar, mas o golo viria a ser anulado por fora-de-jogo de Harramiz.

Joel marcou e, desta vez a contar, o segundo golo da partida. Depois de canto batido para Mike, este cruza para o segundo poste, onde aparece Joel para cabecear.

Skowron negou ainda o terceiro golo ao Covilhã, por volta da hora de jogo, com Erivelto a rematar à queima-roupa e o guarda-redes polaco do Olhanenses a fazer uma defesa fantástica. Logo a seguir, Onyeka, acabado de entrar para a equipa covilhanense, concretiza uma jogada de bastante perigo pelo lado esquerdo do ataque, a entrar na diagonal no ataque algarvio, a qual só foi parada pelo guarda-redes do Olhanense, ao defender para canto.

O massacre dos leões da serra continuava. Harramiz, quase que marcava o terceiro golo para os serranos, através de um remate bastante potente à entrada da área com Skowron a fazer (mais!) uma defesa a dois tempos excepcional.

Como não há duas sem três, o golo acabaria mesmo por chegar aos 88 minutos. Onyeka, depois de um bom cruzamento de Medarious, encosta para dentro da baliza, e desta vez não houve Skowron que valesse aos algarvios, porque este não teve capacidade de reação. Ainda houve tempo para Pintassilgo fazer rematar à baliza, sendo-lhe negado o tento mesmo em cima da linha, por um adversário.

O jogo acabou com um Olhanense cada vez mais afogado na área de despromoção, e com um Covilhã a fazer um jogo excelente, para agrado dos (poucos) adeptos covilhanenses. Os algarvios receberão a equipa B do Porto, que esta tarde perdeu 2-1 frente ao Leixões.