Quando faltam cinco jornadas para o fim da primeira volta do campeonato, há já uma conclusão inexorável que podemos retirar: o planeamento do plantel do Sporting CP para a corrente época revelou-se um autêntico desastre.

O plantel leonino não só foi delapidado com as vendas de última hora de jogadores titulares como Bas Dost e Raphinha, como também se despediu de jogadores promissores como Matheus Pereira e Domingos Duarte que, muito provavelmente, poderiam colmatar as actuais carências da equipa. Por outro lado, os reforços contratados “em cima do joelho” não estão a convencer de um modo geral os sportinguistas (alguém já viu Fernando?!). Qualquer sportinguista que perceba um mínimo de futebol consegue apontar as principais lacunas do plantel verde e branco.

As recentes notícias dão conta que os responsáveis leoninos estarão já a trabalhar numa possível contratação do jovem promissor do Lanús, Pedro de La Vega, com a “ajuda” de Jorge Mendes. Trata-se de um jogador de 18 anos, que tem sido suplente, pelo qual o clube Granate exige mais de dez milhões de euros! Ora, o Sporting CP não pode transformar-se num Sporting “Cobaia” de Portugal manietado por um superagente e pelas suas segundas linhas de empresários, sempre disposto a gastar os milhões que lhe fazem falta em projectos de jogador. É que jogadores promissores existem no Sporting CP, na sua Academia e na equipa de sub-23, que podem e devem ser potenciados.

Será crível que os responsáveis leoninos delapidem activos como Matheus Pereira, como se o Clube padecesse de excesso de qualidade, e estejam agora dispostas a pagar uma verba milionária por um jovem de 18 anos ainda sem créditos? Na minha modesta opinião, os responsáveis pela SAD leonina deveriam levar a cabo uma política de contratações de reforços séria e responsável que tenha em linha de conta o contexto financeiro e desportivo do Clube e que procure trazer para o plantel jogadores “feitos” e com “qualidade imediata”. Muito provavelmente, a verba que a direcção do Sporting CP parece estar disposta a pagar pelo jovem argentino seria mais que suficiente para trazer reforços que seriam uma mais-valia para o plantel leonino.

Comecemos no ataque, sector da formação leonina em estado crítico. Sabemos que é insustentável ter apenas Luiz Phellype como único ponta-de-lança no plantel. Digo único, porque ainda ninguém sabe bem o que é Jesé Rodríguez. A solução poderia passar pela contratação de um jogador com as características de Aleksandar Prijović, jogador que esteve até há bem pouco na mira dos Leões. O ponta de lança sérvio, de 29 anos, destacou-se ao serviço do PAOK de Salónica e faz relembrar Bas Dost em virtude do seu poderio físico e da sua veia finalizadora. Agora, alinha pelo Al-Iithiad da Arábia Saudita onde parece estar insatisfeito devido a salários em atraso, o que poderia facilitar uma possível transferência a um bom preço.

Prijovic conquistou os adeptos do PAOK de Salónica
Fonte: PAOK FC

Ainda no ataque, em concreto, no que respeita aos extremos, apesar de Jovane Cabral já ter reintegrado os trabalhos juntamente com os seus colegas, é também consabido que a saída de Raphinha empobreceu a nível técnico as alas da formação verde e branca. Uma boa opção para a posição de extremo seria sem dúvida Michael, do Goiás EC. O extremo brasileiro, de 23 anos, destacou-se nesta época no Brasileirão e parece que já existem propostas do Santos e do Corinthians. Apesar de ter passado um pouco despercebido diante a imprensa brasileira, o jogador brasileiro ganhou notoriedade após o empate do Goiás EC frente ao Flamengo, jogo em que fez uma assistência e marcou um golo. Dotado de um drible ímpar, Michael soma 16 golos na corrente temporada.

No meio campo, mantém-se a lacuna deixada por William Carvalho, faltando, por isso, um médio defensivo com a qualidade do internacional português. Idrissa Doumbia, apesar de ser promissor, ainda não conseguiu conquistar o público sportinguista e já acumulou inclusive diversos desempenhos negativos ao longo da temporada. Nesta posição, Santiago Ascacíbar poderia ser uma hipótese para reforçar o meio campo do Sporting CP. O jogador argentino, de 22 anos, que chegou a ser cobiçado há dois anos pelo clube de Alvalade e pelo SL Benfica está neste momento ao serviço do Estugarda que milita na Segunda Divisão alemã, embora não seja uma aposta regular no onze inicial da formação alemã. Apesar da sua altura (1,68m), é um excelente recuperador de bolas, para além de ser dotado de fantásticas qualidades de passe.

Finalmente, no capítulo defensivo, a lesão de Neto, que o forçará a uma longa paragem para recuperação, obriga a que o Sporting CP, mais do que nunca, contrate um novo central. Isto porque viu partir Demiral e Domingos Duarte, que hoje seriam certamente excelentes alternativas aos experientes Mathieu e Coates. Apesar de promissor, falta a Eduardo Quaresma experiência para suprir as carências do Sporting nesta posição. Um bom reforço para o eixo central da defesa seria, na minha humilde opinião, Cacá do Cruzeiro EC. Embora a Raposa esteja a atravessar uma grave crise desportiva e financeira, tendo mesmo já confirmada a sua despromoção à Série B, tem ainda assim um plantel com muita qualidade no qual se destaca este jovem central brasileiro, de apenas 20 anos, mas com experiência acumulada no Brasileirão. Com 1,85m de altura, é um defesa central que tem bastante equilíbrio e velocidade, para além de saber sair a jogar com bola nos pés a partir da defesa. O Sporting CP poderia pois retirar daqui uma oportunidade de negócio muito interessante.

Os nomes aqui apontados são apenas meros exemplos. Haverá com certeza diversos igualmente idóneos a reforçar o plantel do Sporting CP e a reduzir as suas fragilidades. O que deve ficar bem sublinhado é que o Sporting CP necessita de uma política de contratações capaz e sem devaneios, que sirva os interesses do Clube e não os de quem lucra por fora.

Foto de Capa: Sporting CP

Revisto por: Jorge Neves

Comentários