No Algarve, após a vitória no amigável frente ao Belenenses SAD, por duas bolas a uma, o departamento clínico anunciou que Pedro Porro, lateral direito titular do Sporting CP, havia sofrido uma “luxação da articulação tíbioperoneal superior no joelho direito”.

Apesar do tempo de paragem não ser conhecido, diz-se que Pedro Porro pode ficar longe dos relvados cerca de dois meses. O espanhol já reagiu à lesão e disse: “Sinto-me bem, estou focado na recuperação e em voltar rápido para ajudar os meus companheiros”. É sempre um grande contratempo, porque não deixa de ser uma lesão prolongada de um dos titulares. No entanto, ao contrário do que aconteceu na época passada, este ano temos alternativas bastante viáveis.

Pedro Porro é, sem sombra de dúvidas, o lateral direito mais capaz, mais completo e que mais diferença faz do lote de opções para aquela posição. Sobretudo contra equipas mais fechadas, que se preocupam mais com os momentos em que não têm bola, Pedro Porro faz a diferença, visto que é um jogador que gosta e chega com facilidade ao último terço, tem um bom remate e decide sempre bastante bem.

Na última época, assistimos a um Pedro Porro em grande forma durante os primeiros dois terços da época e, no último terço, vimos um lateral direito com algumas lesões, mais limitações físicas e que andava sempre perto de “dar o berro”, isto por ter dado sempre tudo nos primeiros dois terços. Faltavam opções viáveis para fazer Pedro Porro descansar quando o mesmo necessitasse.

Anúncio Publicitário

Tínhamos João Pereira, que chegou em dezembro, mas o mesmo já não tinha 20 anos. Depois, as outras opções eram adaptações; Gonzalo Plata, Matheus Nunes e Bruno Tabata passaram todos pela posição e, apesar de nunca comprometerem, não davam totais garantias ou eram mais benéficos noutra posição.

Na última metade da época, João Pereira rendeu Pedro Porro em alguns jogos
Fonte: Bola na Rede / Carlos Silva

Nesta época, a questão mudou. Agora, para além de Pedro Porro, há Ricardo Esgaio e também Gonçalo Esteves. São ambas alternativas especificamente para aquela posição, ou seja, apesar de terem habilidades para jogar noutro lado, a sua posição de raiz é ali na lateral direita.

Na minha opinião, Ricardo Esgaio ainda será mais vezes utilizado nesta época do que muitos esperam. É um belo jogador, que Amorim conhece muito bem, está no pico da sua forma e das suas capacidades e para finalizar, penso que oferece bastantes valias defensivas, tantas ou mais que Pedro Porro. Posto isto, ao contrário do espanhol, contra equipas mais fortes ofensivamente, Esgaio pode muito bem ser opção.

Por fim, ainda há o dossier Gonçalo Esteves. Do pouco que vi na pré-epoca, pareceu-me ser um jogador com muita vontade de mostrar serviço, muita vontade de fazer as coisas bem feitas, um jogador irreverente, forte fisicamente e com bastante propensão ofensiva. Ainda tem muito a melhorar, mas para já parece ser uma grande promessa, deixa água na boca. Acredito que continuará a trabalhar na equipa principal.

Em suma, é de lamentar que Pedro Porro esteja lesionado e faz falta à equipa. Esperemos que regresse rápido e mais forte que nunca. No entanto, até ele não regressar, temos alternativas de qualidade que vão dar conta do recado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome