Há alguns dias deparei-me com um texto escrito pelo nosso Francisco Geraldes onde fazia uma reflexão sobre a superficialidade e o descarte fácil, apoiando-se numa obra do filósofo e sociólogo Zygmunt Bauman: A modernidade Líquida.

Segundo ele (e eu concordo), vivemos numa sociedade que descarta o que não nos serve, preferindo tornar-nos numa sociedade de consumo do que numa que cuida, trata, recicla.

No seu texto, Francisco Geraldes serviu-se de uma planta doente, e da opção mais fácil que lhe foi proposta. Deitar aquela fora e comprar uma nova. Tenho a certeza de que esta seria a opção de pelo menos 90 por cento dos que estão a ler este texto, não só pelo desejo de consumo, mas também pelas vidas ocupadas que vivemos, sem tempo a perder.

Ao ler este texto, comecei a pensar se ele não estaria a refletir naquele texto a sua própria situação profissional, colocando-se ele no papel da planta e o seu clube e o próprio futebol como a sociedade de consumo.

Segundo a comunicação social, Geraldes será um dos jogadores a dispensar pelo Sporting CP nesta pré-época. A perceber pela utilização e rendimento do mesmo, será fácil acreditar nesses rumores. E esse cenário poderá estar a ser encarado pelo jogador como o descarte fácil do clube que o ajudou a crescer e formar, apesar de nunca apostar muito, cuidar e aproveitar a qualidade que o mesmo apresenta.

Anúncio Publicitário

Bem sei que muitos já perderam a fé nele, e em muitos outros do plantel do Sporting CP, no entanto, eu, neste caso específico continuo a achar que o Sporting CP, nestes últimos anos apenas não tem demonstrado um futebol seguro, consistente e de posse para que este jogador possa exponenciar a sua forma de jogar.

Por ser um jogador não muito rápido, precisa de um futebol de muita posse, com poucas correrias de passe longo, que tenha ao seu lado quem pressione para deixar para si a função de pensar e decidir o jogo. E o treinador atual fomenta esse tipo de jogo, se não me engano.

Eu continuo a apostar em cuidar deste jogador ao invés de o descartar, porque já o vi a jogar bem noutros clubes. E por que raio não o conseguirá no Sporting CP? Aliás, porque é que tantos jogadores fazem grande temporadas em outros clubes, quando foram dispensados pelo clube leonino? Só não servem no Sporting CP? Ainda se no Sporting CP abundassem jogadores de qualidade…

Geraldes
A primeira titularidade de Geraldes no Sporting CP chegou apenas na época transata, em 2019/20
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Por sempre ter gostado do jogador, nesta situação prefiro ver o copo meio cheio e pensar que talvez não devêssemos descartar os jogadores de uma forma tão fácil e apostar mais em perceber as necessidades que alguns jogadores de qualidade têm para poderem melhorar o seu rendimento.

Eu sei que é bem mais fácil ver alguns jogos, olhar para o rendimento e decidir que não serve, até porque se podem ir comprar mais cinco ou seis para poder pagar comissões chorudas, mas, segundo alguns, o clube não vive uma situação financeira muito abastada. Para andarmos a gastar dinheiro em jogadores com historiais físicos pouco abonatórios com a agravante de estarem parados há um longo período ou outros que, apesar da sua longa experiência, ainda não tenham conseguido comprovar o seu valor por onde passaram, parece-me menos arriscado apostar em tentar retirar maior rendimento dos que temos e sabemos terem qualidade.

Se calhar não é muito difícil e a solução pode até ser simples, desde que paremos e nos concentremos em cuidar dos que temos, em vez de irmos a correr comprar camionetes de jogadores deste ou daquele empresário. Afinal, a planta só precisava de ser borrifada com uma mistura de água e leite. Talvez nos saísse mais barato parar, observar os jogadores que temos, criar um modelo onde eles sejam mais fortes do que contratar, experimentar e dispensar até acertar.

Um dos aspectos que penso estar a falhar no Sporting CP, além de muitos outros, é a questão psico-social. Não sei se a equipa que acompanha os atletas terá o conhecimento de apoio psicológico dos atletas, ouvir as suas necessidades, as suas preocupações, e ajudá-los.

O Olympique Lyonnais, que por acaso até está nos quatro melhores da UEFA Champions League que se disputa, tem alguém que se ocupa exclusivamente de acompanhar o dia-a-dia dos jogadores, das suas necessidades, indo ao extremo de encontrar alguém que lhes repare a máquina de lavar. Porque segundo eles, o jogador profissional tem de se concentrar em jogar e não em chegar a casa e ter de procurar alguém que lhe vá trocar uma lâmpada. Neste caso, acontece principalmente com jogadores que chegam a um país que não conhecem, com uma língua que pouco entendem. O Sporting CP terá este cuidado?

Este cuidado, este carinho, é também uma forma de motivar os jogadores, para que eles se sintam mais identificados com o clube e concentrados a ajudar a vencer. Se a planta não for cuidada e se se desistir dela à primeira folha seca, com certeza não sobreviverá.

Foto de Capa: Sporting CP

Artigo anterior5 ascensões meteóricas de jovens jogadores
Próximo artigoSporting CP faz jackPote
Nascido no seio de uma família adepta de um clube rival, criou ligação ao Sporting através de amigos. Ainda que de um meio rural, onde era muito difícil ver jogos ao vivo do clube de coração, e em tempos de menos pujança futebolística, a vontade de ser Sporting foi crescendo, passando a defender com garras e dentes o Sporting Clube de Portugal.                                                                                                                                                 O Nuno não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.