Será provavelmente a maior dor de cabeça de Marcel Keizer para o pouco que resta na época desportiva dos Leões. Apesar do Sporting CP ter praticamente garantido o falhanço nos seus objetivos para a presente temporada, ainda existe uma réstia de esperança em chegar ao terceiro lugar e à final da Taça de Portugal.

O capitão leonino, padece de um problema muscular na coxa direita – inclusive foi dispensado dos encontros da Selecção Nacional – e tem cumprido um programa de recuperação física com tratamento e trabalho condicionado. Apesar de melhorias, o médio não parece estar ainda nas melhores condições para alinhar na próxima partida dos Leões, que se deslocam ao terreno do GD Chaves. Existe ainda o receio de agravar a lesão e ficar então de fora da segunda mão da meia-final, diante do eterno rival, o SL Benfica.

E o problema para o treinador holandês começa aqui. Bruno Fernandes é o melhor jogador do plantel leonino, não há dúvidas disso. E as suas exibições confirmam esse estatuto. Conta com mais de 3500 minutos esta época, no conjunto de todas as competições oficiais que participou. Junta a isso uns incríveis 24 golos e 14 assistências em 43 jogos. Números impressionantes para o médio, que é o dono do meio-campo leonino e o grande criativo do mesmo. Por toda a sua inteligência, por aquilo que dá à equipa, por ter golo e facilidade de remate, por ter qualidade no passe, por ser o único que mesmo jogando mal está acima de todos os outros.

Bruno Fernandes é a peça chave do Sporting CP. Irá a equipa sentir a sua falta?
Fonte: Diogo Cardoso/BnR

Creio que Marcel Keizer não irá correr riscos e irá mesmo poupar o internacional português. Tendo em conta todas as outras opções estão em condições de disputar o jogo – tirando apenas Battaglia – a minha escolha recai num meio-campo a três com: Doumbia, Wendel e Francisco Geraldes. Já a escolha de Marcel Keizer deverá recair em: Doumbia, Wendel e Gudelj. Não consigo concordar com esta abordagem e creio que o Sporting CP irá ter muitas dificuldades em Chaves, se alinhar dessa forma.

Gudelj não procura espaços entrelinhas, não tem golo, o próprio remate de meia distância não tem saído tão bem como em épocas anteriores e sobretudo não procura ser criativo. Wendel é para mim um jogador com uma boa meia distância, que por vezes precisa de ter menos medo de arriscar no remate, e é também um jogador capaz de progredir com a bola. Apresenta muitas características de box-to-box. E jogando ao lado de Gudelj, teria de fazer a sua posição e a do seu companheiro, acabando por se desgastar e eventualmente ficar focado mais no processo defensivo e no equilíbrio, que propriamente no processo ofensivo e a criar espaços e a procurar jogo entrelinhas.

Com a titularidade de Geraldes, o Sporting CP iria alinhar com um jogador mais próximo daquilo que Bruno Fernandes dá ao jogo. Capacidade de passe, capacidade de ler o jogo, inteligência, maior capacidade ofensiva e na chegada à baliza adversária, boa técnica e eficiente procura de espaços entrelinhas. Um jogador que se consegue equilibrar com e sem bola. Penso que dará muito mais à equipa do que Gudelj, permitindo então a Wendel ser um autêntico box-to-box e a Doumbia focar-se nas tarefas defensivas, procurando por vezes arriscar um pouco, devido à sua capacidade técnica e física.

Cabe agora a Marcel Keizer, a missão de encontrar soluções dentro do plantel e de conseguir sem a sua maior referência e sem o jogador que mais preponderância tem no jogo leonino, resultados positivos e uma boa performance, que permita aos adeptos e simpatizantes do Sporting CP, ganhar novamente confiança no técnico holandês e nas suas decisões.

Foto de Capa: Sporting CP

Comentários