Após a demissão de José Peseiro e enquanto o universo sportinguista esperava por notícias do novo técnico, Tiago Fernandes surgiu como treinador interino durante três jogos. O técnico, que fazia parte da equipa técnica do ex-treinador e fora campeão nacional de juniores pelo Sporting CP, tinha assim a oportunidade de mostrar o potencial que alguns já lhe haviam reconhecido.

Num pequeno aparte, esta situação fez-me lembrar o que sucedeu com Paulo Bento. Este era também, na altura, treinador dos juniores, e viria a ficar no clube por quatro épocas, tendo sido um dos treinadores com melhores resultados apresentados neste século no comando do Sporting CP.

Pois bem, Tiago Fernandes já sabia o que podia esperar: uma deslocação difícil aos Açores para enfrentar o surpreendente CD Santa Clara, uma quinta-feira europeia nos Emirates e um jogo em casa frente ao Chaves. O trabalho era árduo para o pouco tempo que teve de treino, e foi preciso arregaçar as mangas.

Deste modo, o treinador apresentou uma surpresa em solo açoriano: a aposta em Lumor. Para além disso, mostrou algumas diferenças em relação ao seu antecessor. Na construção, numa primeira fase, optou por fazer uma linha de três, com Mathieu, Coates e Bruno Gaspar, projetando Lumor para zonas mais avançadas. Apostou em Acuña a extremo, de certa forma para ajudar o lateral esquerdo nas compensações. Também não houve o jogo direto que eu tanto criticava em relação a José Peseiro. Houve uma maior preocupação em chegar às zonas mais avançadas em posse, apesar de nem sempre ter corrido bem.

Assim, num jogo ventoso e difícil, a equipa leonina superou-se e alcançou uma vitória difícil, contra uma equipa que vendeu muito cara a derrota, ora não estivéssemos a falar de um emblema que se encontrava no quinto lugar. Destaque ainda para a estreia de Miguel Luís na Liga e da lesão de Battaglia, jogador que certamente seria muito importante na estratégia contra o Arsenal FC. Deste modo, primeiro jogo, primeira vitória, com o resultado final a fixar-se em 2-1.

Tiago Fernandes alcançou duas vitórias e um empate
Fonte: Sporting CP

O segundo jogo era um grande teste à capacidade do novo treinador. O mais fácil para um treinador interino seria chegar ao Emirates com uma postura descontraída e esperar pelo desfecho do jogo. Contudo, Tiago Fernandes montou de novo uma estratégia que não deu grandes hipóteses para a equipa da casa sair com a vitória. É verdade que em termos ofensivos, o Sporting CP foi praticamente nulo, mas defensivamente foi muito forte, com o meio-campo a tapar bem as linhas de passe e não permitindo o jogo interior. Para além disso, o técnico apostou de novo em Miguel Luís, desta vez a jogar de início, demonstrando não ter receio de apostar na formação de Alcochete. Assim, arrancou um empate a zero num estádio onde nenhuma outra equipa portuguesa tinha conseguido sequer pontuar. Mérito para o treinador? A resposta é afirmativa.

Por último, o embate com o GD Chaves. O treinador já sabia que o seu sucessor ia ser Keizer. Na sua estreia em Alvalade, o Sporting CP, na minha opinião, teve o jogo menos conseguido dos três. Apesar da boa entrada, a equipa foi descendo de produção, e viria a sofrer um golo ao minuto 81. Contudo, pouco tempo depois, Bas Dost colocaria de novo os leões em vantagem, num resultado que não mais se viria a alterar: 2-1 para o conjunto leonino.

Feita a análise dos três jogos, no meu entender, Tiago Fernandes poderia ter sido muito bem a escolha para técnico principal dos leões. Keizer pode até realizar um bom trabalho em Alvalade, mas penso que terá sempre a sombra do técnico português por trás. Para além disso, os resultados alcançados no curto período em que treinou demonstram que tem qualidade para outros voos. Para além disso, apesar da tenra idade, não se inibiu de apostar em Miguel Luís, demonstrando que não tem qualquer receio em apostar em jovens que apresentem qualidade para ingressar na equipa principal.

Concluindo, Tiago Fernandes realizou um bom trabalho como treinador interino. A qualidade de jogo melhorou relativamente ao que vinha a ser o Sporting CP desde o início da época, e penso que, infelizmente, acabará por ir para outro clube como treinador principal. Keizer, até prova em contrário, tem o meu apoio, mas caso não demonstre futebol de qualidade, sabe de antemão que tem um sucessor ali à espreita. Os primeiros jogos irão definir isso.

PS: Os sub-23 para Tiago Fernandes penso já serem muito curtos para a sua qualidade.

Foto de Capa: Sporting CP

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários