Anterior1 de 2Próximo

sporting cp cabeçalho 2Nós, os Sportinguistas, somos muito exigentes, principalmente connosco, porque sempre nos habituámos a planear, colocando objectivos ambiciosos. Não nos contentamos com coisa pouca.

Estamos tão conscientes da nossa valia que nem precisamos de ter em conta a valia dos adversários, ou sequer colocar a hipótese de que esses também têm os seus objectivos que podem vir a colidir com os nossos. Todos os anos temos como obrigação ser campeões, nem que seja com “Pongolles”, “Tiuis” ou “Krpans”, mesmo que os nossos adversários contratem a rodos, e aos milhões. O Sporting tem a obrigação de fazer mais com menos, e menos que goleada é derrota.

Por tudo isso, porque já fizemos três jogos, e nenhum por goleada, os Sportinguistas já decidiram que a continuar, mesmo que sejam campeões, não o aceitarão, nem o festejarão. Sim, que nós não somos de nos gabar de campeonatos ganhos com golos no último minuto, de um pontapé para o ar, vindo do céu aos trambolhões. Um golo, para contar, terá que ser de trivela, de bicicleta, ou com jogador a fintar metade da equipa adversária, e marcar golo com a bola a passar entre as pernas do guarda redes.

Isto lá é resultado que se apresente, Sporting? Fonte: Facebook oficial de Sporting CP
Isto lá é resultado que se apresente, Sporting?
Fonte: Facebook oficial de Sporting CP

A máxima de que queremos é ganhar, nem que seja por meio a zero, não se aplica no Sporting. Não é esse o nosso espírito. Mas por sermos tão exigentes é que antes da bola rolar temos a expectativa que iremos dominar qualquer adversário que se cruze no nosso caminho, nem que seja Liverpool, Nápoles, Roma… Se assim não for, ao segundo jogo já não conseguiremos nada, ou pelo menos já temos uma equipa que não merece ser apoiada.

Porque se temos 45000 no estádio, como é possível não se ganhar o jogo? Pouco importa se a equipa se esforçou, e dominou, se não conseguiu golear? Isto é desrespeitar o adepto que fez esforço por ir ao estádio. Como se o facto de ter um estádio cheio fosse garantia de vitória. Se assim fosse, nem seria preciso jogar, mas apenas garantir que teríamos mais adeptos do nosso clube no estádio. Se não respeitar os adeptos é não conseguir ganhar um jogo que ele se esforçou por ir ver, então escolham apenas os jogos que têm a certeza que ganharão, se conseguirem. Mas também devem pensar se vale a pena estarem os tais 45000 no estádio para começar a assobiar logo que surge a segunda ou terceira jogada menos conseguida. Talvez também por isso sejamos uma equipa, dos candidatos, que perde mais pontos em casa (em 2015/2016, em que tivemos o “record” de pontos, tivemos mais pontos fora que em casa).

Anterior1 de 2Próximo

Comentários