Quando, em tempos idos, escrevi aqui mesmo no Bola na Rede sobre o negócio de Gelson Martins envolvendo 22.5M€ mais o jogador argentino Luciano Vietto estava longe de imaginar as voltas que o negócio daria desde então. Na altura, julgava que o argentino, há muito na órbita do Leão, vinha cedido para o clube de Alvalade o que, juntando aos 20M€ de Gelson – num processo de litígio entre as partes – só poderia ser um bom negócio. O tempo veio mostrar que estava enganado.

Mais recentemente percebi, eu e muitos sportinguistas, de que o “caso Gelson” foi tudo menos bom para os cofres leoninos, pois o Sporting CP terá de desembolsar cerca de 7.5M€ por 50% do passe de Vietto o que é manifestamente penoso, tendo em conta que se trata ainda (!) de um avençado que, há exceção do que fez no Villareal CF, tem gerado muitas incógnitas acerca do seu verdadeiro potencial. Ao ponto de Simeone, treinador do Atlético de Madrid, não contar com os serviços do argentino para as próximas épocas. Trocado por miúdos, a situação pode muito bem ser resumida da seguinte forma: o Sporting arrecada 20M€ pela transferência de Gelson Martins, resolve o litígio entre as partes envolvidas mas ainda tem que pagar 7.5M€ por 50% do passe de Vietto. Ou seja, em caso de venda futura deste argentino, o Sporting terá que ceder metade do valor dessa transferência ao clube colchonero.

O “caso Gelson” fica encerrado após este negócio
Fonte: BnR/ Carlos Silva

Em suma, o valor de Gelson Martins, aquele que todos vimos brilhar em Alvalade antes do “verão quente” da época transata, sai por uma modesta quantia de 12.5M€. O povo costuma referir-se pertinentemente quando alguém é enganado como “comer gato por lebre”. E este negócio é um bom exemplo disso. Um negócio péssimo, portanto, que nem as circunstâncias particulares deste caso justificam. Nem mesmo as palavras de Marcel Keizer considerando que Vietto é um grande jogador (Record, 18/05/2019) apagarão a trapalhada que este negócio representou para o clube leonino.

Foto de Capa: Club Atlético de Madrid

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários