Com o início do mercado de transferências, chegam os habituais retoques e melhorias do plantel, sendo que todos os clubes tentam melhorar e construir, época após época, uma equipa mais competitiva em todas as posições, mediante as posses monetárias e desportivas de cada clube.

No caso do Sporting, esses retoques eram fundamentais, sendo que é nos extremos onde essa necessidade é evidente. Desde a saída de Gelson Martins que o clube leonino não possui um jogador de nível semelhante, sendo o agora jogador do Mónaco um jogador muito forte no drible e bastante ágil, como acontece com Yacine Brahimi no FC Porto. Tais características tornam-no um desequilibrador nato, algo que têm feito muita falta contra equipas de menor dimensão, que costumam jogar com as suas linhas defensivas mais recuadas.

Contudo a atual direção, tal como foi dito pelo presidente na entrevista relativa ao arranque da época desportiva, tem estado a trabalhar a época que se avizinha há largos meses e as mais recentes contratações provam isso mesmo. Atualmente, não existe nenhum extremo que seja titular indiscutível, sendo a pré-época uma altura crucial para determinar os primeiros onzes iniciais da temporada. Sem considerar Acuña e Gonzalo Plata, porque considero que ambos são mais fortes a defesa esquerdo e ponta de lança, respetivamente, existem algumas soluções para as faixas mais avançadas.

Uma dessas soluções é Raphinha, pois estamos perante um jogador que só não é uma certeza no futebol português devido à sua finalização mediana, o que o torna um jogador um pouco irregular. Contudo é dono de uma larga margem de progressão, tem apenas 22 anos, a sua velocidade e aceleração são muito acima da média e possui muito mais qualidades do que defeitos, merecendo totalmente o voto de confiança de Keizer.

Um jogador da formação que tarda em afirmar-se é Matheus Pereira. Tem sido uma verdadeira incógnita entre muitas no plantel leonino (Francisco Geraldes e Miguel Luis são outros exemplos) e apesar da sua grande capacidade de drible e verticalidade, é um jogador bastante irregular que não consegue impor o seu jogo. Este defeito resulta num carrossel de empréstimos, que faz com que o jogador não adquira essa tal estabilidade. Tal facto não tem acontecido e sou da opinião que deveria receber um “guia de marcha” pois está a ocupar uma vaga que poderia ser preenchida por outro atleta mais regular.

Camacho é o mais recente inquilino nas alas leoninas
Fonte: Liverpool FC

Quanto a Diaby, esta época será certamente uma época determinante na permanência deste atleta em Alvalade. Apesar de ter feito uma época razoável de leão ao peito, os sportinguistas ainda torcem o nariz aos 5 milhões de euros que foram pagos aos belgas do Club Brugge, sendo este um campeonato menos competitivo que o português. Não possuindo muita técnica, tem como maiores vantagens a sua velocidade e verticalidade e foi decisivo em alguns jogos ao longo da época, contribuindo com alguns golos e algumas assistências. Terá que apresentar mais rendimento na próxima época em comparação à transata.

Um dos jogadores mais promissores do Sporting, atualmente, e que tem passado despercebido é Jovane Cabral. Na ultima época de Jorge Jesus, quando só se falava de Francisco Geraldes e Matheus Pereira, foi Jovane o jogador que o treinador português decidiu apostar e tem-se percebido o porque dessa decisão: é um jogador rápido, assertivo e com uma capacidade de remate acima da média do plantel leonino. Merece claramente mais oportunidades a titular, pois este profissional só beneficiaria com a titularidade e acredito que estamos perante um futuro craque, tendo um potencial mais elevado do que Gelson Martins.

Confesso que fiquei bastante agradado com a contratação de Rafael Camacho, antigo jogador da formação leonina. Na altura saiu para o Manchester City com 13 anos e altura essa em que o clube tinha muitas dificuldades para segurar as suas pérolas. Alia a sua passada larga à sua capacidade de decisão e finalização, o que o torna uma mais valia para os objetivos traçados para a época que se avizinha. Resta saber se as juras de amor que fez quando foi anunciado como reforço são para cumprir e espero também termos encontrado um “todo o terreno”, um pouco a imagem do que acontece com Acuña no lado esquerdo.

Foto de Capa: Sporting CP

Comentários