sporting cp cabeçalho 2

O Sporting conseguiu ontem mais uma sofrida vitória em casa perante um dos piores classificados do campeonato, neste caso, a Académica. Adrien, Bryan Ruiz e Montero foram os autores dos golos que derrotaram a Briosa… E Cosme Machado.

A vitória do Sporting não sofre contestação alguma, uma vez que até devia ter sido por números mais dilatados, tendo em conta o segundo golo ilegal do adversário e as várias ocasiões desperdiçadas pelos atacantes leoninos, que estiveram numa noite algo desinspirada. Contudo, mais uma vez, a equipa visitante foi a primeira a marcar em Alvalade. No seguimento de uma desatenção imperdoável dos “verde e brancos” num pontapé de canto, foi Rafa Soares, lateral cedido pelo FC Porto (jogador com muito potencial) a rematar para o fundo das redes de Patrício. Foi o quarto jogo consecutivo dos leões a sofrer golos na Liga e o terceiro seguido a sofrer o primeiro golo em jogos caseiros; algo que, com certeza, está a deixar preocupado Jorge Jesus.

Mais ou menos cinco minutos depois, começou o jogo paralelo em Alvalade: o de Cosme Machado, que deixou passar em claro uma grande penalidade cometida sobre Carlos Mané. O Sporting deu a volta ao resultado ainda na primeira parte, com um golaço de Adrien Silva, um dos melhores golos do campeonato, e o 2-1, por Bryan Ruiz, depois de uma excelente jogada do regressado Carlos Mané. Pelo meio, mais uma jogada de circo de Cosme Machado. Numa assentada, mostrou um amarelo patético ao capitão do Sporting e expulsou Jorge Jesus do banco de suplentes. Ao intervalo, o resultado era de 2-1 para o Sporting, apesar de todos os esforços de Cosme Machado e dos “estudantes”.

Na segunda metade, após mais uma saída ao intervalo de William Carvalho (continua com dificuldades em encarrilar duas ou três grandes exibições seguidas), o Sporting abrandou um pouco e sofreu o segundo golo num dos momentos mais ridículos do campeonato. Após um livre em que Rui Patrício e Ruben Semedo afastaram mal a bola, um jogador da Académica cabeceou para a baliza, mas Ewerton tinha condições para evitar o golo. Só não conseguiu afastar a bola porque João Real se fez ao lance e o importunou. Ora, o central academista apenas tinha Ewerton entre ele e a linha de baliza, o que, pelas regras, indica fora de jogo. Deve ter sido isso que o árbitro assistente, levantando a bandeirola, indicou a Cosme Machado, mas o árbitro principal, desconhecendo as regras, ou por fatores esquisitos, validou o golo. A Académica fez o 2-2, num golo com marcador indefinido. Há quem diga que foi autogolo de Ewerton, outros dizem que foi golo de João Real. A verdade é que a força maior veio de Cosme Machado.

Anúncio Publicitário
Adrien Silva
Fredy Montero deu a estocada final nas intenções da Académica e de Cosme
Fonte: Sporting Clube de Portugal

Porém, o Sporting foi incansável e chegou ao terceiro golo, por Montero, que entrou a meio do segundo tempo. Mais uma vez, Fredy mostrou que pode ser uma alternativa bem melhor que Teo Gutiérrez, que pode estar de saída de Alvalade. Por um lado tenho pena, porque Teo é um bom jogador e um excelente finalizador, mas não tem mostrado uma atitude condizente com os valores do clube e, por isso, a saída é o melhor caminho. Por outro lado, Montero merece elogios. Nem sempre utilizado, raramente titular, mas nunca mostrou “maus fígados” nem veio a público com atitudes menos profissionais. O 10 “verde e branco” tem uma qualidade técnica ao nível de poucos em Portugal e será muito útil a JJ esta época. Ainda para mais, quando se consumar o castigo a Slimani. Sim, porque o Estado Lampiânico vai-se encarregar de o fazer, ainda para mais quando se aproxima o “derby”, daqui a um mês e uma semana.

Sobre este jogo, podemos retirar algumas ilações: Ruben Semedo, que foi logo titular após o regresso de Setúbal, fez uma boa exibição e vai ter alguns meses a trabalhar com Jorge Jesus, William Carvalho e os colegas do setor defensivo, para poder ser uma opção de peso para a próxima temporada; Carlos Mané também regressou à titularidade na Liga, com um bom jogo, onde se destaca o seu papel decisivo no segundo golo apontado pela equipa; João Pereira está a subir de forma e Zeegelaar mostrou que pode ser uma alternativa válida a Jefferson, caso evolua mais no aspeto defensivo; Adrien é o capitão, em todos os sentidos, desta equipa.

Paralelamente, o Sporting tem de reagir de forma mais veemente, de forma mais agressiva, aos acontecimentos da última semana, nomeadamente, o arquivamento do caso suspeito dos “vouchers”, a abertura de um inquérito a Slimani quando não aconteceu o mesmo aos protegidos de Vítor Pereira, e o espetáculo inqualificável de Cosme Machado a que assistimos ontem. Caso isto prossiga, não é de admirar que aconteça alguma tragédia até final da temporada. Estão muitas emoções e muitos milhões em jogo…

Finalmente, deixo duas notas, uma positiva e outra negativa: a positiva para Iuri Medeiros e João Palhinha – os dois jovens leões têm estado a fazer uma excelente temporada em Moreira de Cónegos, mostrando condições para serem candidatos a estarem no plantel principal do Sporting na próxima temporada. A outra nota, a negativa, fica para Rafael Lopes. O avançado da Académica mostrou, na segunda parte, que a sua atitude competitiva é do mesmo nível da sua qualidade futebolística. Imprópria para um campeonato profissional de futebol.

Foto de Capa: Sporting Clube de Portugal