Evitando pronunciar-me sobre quem é ou quem são os culpados de toda esta situação que vive o nosso grande amor, hoje e depois de uma fase em que foram vários os jogadores a rescindirem unilateralmente com o Sporting Clube de Portugal, nomeadamente: Rui Patrício, Podence, William Carvalho, Bruno Fernandes, Gelson Martins, Battaglia, Ruben Ribeiro, Rafael Leão e Bas Dost, quero apenas dar a minha visão sobre um aspeto que considero muito pertinente: o amor ao clube por parte dos jogadores.

Para dar o mote a este tema vou enunciar duas situações que me deixam perplexo:

– No momento em que um jogador assina por um clube “superior” ao clube anterior, eu diria que em oitenta por cento das vezes é proclamado “é o clube do meu coração” – gostaria de pedir para não o fazerem, a não ser que seja mesmo verdade claro, mas sendo ou não mostrem dentro das quatro linhas. Ninguém o criticará por não o dizer.

– Quando um jogador está num clube que lhe proporciona evoluir enquanto profissional, onde inclusive deu o seu máximo quando vestia aquela camisola, mais tarde, da mesma forma que os adeptos não o devem criticar por assinar por um rival, o jogador não devia referir que o novo Clube é o clube do seu coração – acima de tudo trata-se de respeitar o seu percurso.

Carregar este símbolo ao peito exige muita responsabilidade
Fonte: Sporting Clube de Portugal

“O Clube não é A, B, ou C, o Clube são os adeptos”

É nesta frase que me quero focar, dizendo que não todos mas alguns dos jogadores que rescindiram connosco, me desiludiram (e não vou nem quero falar sobre quem é ou quem são os verdadeiros culpados disto tudo, como já referi anteriormente), porque os únicos que não têm qualquer responsabilidade nesta fase negra da história do clube somos nós, os verdadeiros adeptos. Neste lote de jogadores que rescindiram com este enorme Clube, acreditava que o Sporting era para alguns deles o Clube dos seus corações, sobretudo Rui Patrício, Podence, William Carvalho e Gelson Martins.

No mundo do futebol, há casos de jogadores que realmente marcaram um clube, sendo ou não o clube dos seus corações. Fazendo uma reflexão num passado recente conseguimos alcançar alguns desses casos, nomeadamente: Francesco Totti (AS Romas), Xavi (FC Barcelona), Iniesta (FC Barcelona), Gianluigi Buffon (Juventus FC). Posso dizer que especialmente o guarda-redes Rui Patrício estaria neste conjunto de lendas,  caso não tivesse sido esta desilusão.

De qualquer forma, quero agradecer o esforço e dedicação que tiveram com a listada verde e branca e desejar-vos sucesso (excepto onde o Sporting estiver envolvido) no vosso futuro.

Foto de Capa: Sporting Clube de Portugal

artigo revisto por: Ana Ferreira 

Comentários