Na passada quarta-feira, a equipa de andebol do Sporting conheceu o sabor amargo da derrota. Foi em terras maiatas diante do ADA Maia – ISMAI que os bicampeões nacionais perderam por uns impressionantes 26-25. Estive no pavilhão e vi uma formação leonina apática e muito perdulária nas alturas de finalização. Apesar da derrota foi uma boa ocasião para observar ao vivo o desempenho de alguns reforços da equipa de Hugo Canela para esta época.

O ponta-direita Fábio Chiuffa parece ser um jogador mais dotado para o espetáculo do que para a eficácia e execução do remate. A sua contratação visou fazer esquecer o internacional português Pedro Portela que rumou para terras gaulesas para representar o Tremblay. Mas a tarefa não tem sido fácil para o internacional brasileiro. Apesar da experiência que Chiuffa apresenta, nomeadamente no campeonato espanhol ao serviço do Ciudad de Logroño, o que é facto é que tem vindo a perder rendimento de jogo para jogo.

Já o pivot Luís Frade (ex-Águas Santas) parece ser um jogador bastante eficaz, apesar de no jogo contra o ADA Maia-ISMAI estar aquém daquilo que tem mostrado noutras partidas. Mário Oliveira, ex-companheiro de Frade na formação maiata, não poupa elogios ao jogador sportinguista: “Estamos a falar do melhor pivot do mundo da sua idade, por isso as qualidades são muitas”. Como principal característica de Frade, Oliveira destaca as qualidades mentais do jogador: “Destaco a sua capacidade mental, onde ele é muito forte, e foi o que lhe permitiu jogar nos seniores (do Águas Santas) a um excelente nível desde os 16 anos”. Um outro reforço de Hugo Canela para esta temporada é o lateral direito bósnio Neven Stjepanovic. Atuava no Catar e parece ser um jogador com excelentes argumentos físicos (tem 1,97 m de altura) o que impõem respeito aos adversários, principalmente nos momentos defensivos.

Valentin Ghionea tem sido um dos destaques da formação sportinguista. Será certamente um reforço importante para que os Leões consigam o tricampeonato nacional
Fonte: Sporting CP

Mas, do meu ponto de vista, o melhor reforço é o romeno Valentin Ghionea que atuava, na época transata, nos polacos do Wisla Plock. No jogo contra o ADA Maia, apesar da derrota da sua equipa, esteve ao seu melhor nível, apresentando excelentes índices de concentração nos momentos defensivos e elevada potência física nas alturas de finalização atacante. Estas suas qualidades já foram evidenciadas noutros encontros, com destaque para o jogo frente aos rivais do SL Benfica onde a formação verde e branca ganhou por 24-23. O jornal O Jogo destacou, na sua edição de 4 de outubro (dia após o jogo contra o SLB), o jogador romeno dos leões como o destaque do encontro: “O ponta-direita romeno dos leões foi, mais uma vez, crucial na reação da equipa a um resultado adverso. Mais confiante, depois da grande atuação frente ao Silkeborg, para a Champions, Ghionea foi eficaz frente ao Benfica, apontando oito golos”.

Mais uma vez o Sporting reforçou-se muito bem para esta temporada. Mas resta saber se a qualidade “galática” do seu plantel tem correspondência em campo. Vamos todos acreditar que o que se passou no Pavilhão Municipal da Maia foi um mero despiste de percurso. Agora que o Leão se levantou novamente e lambeu as feridas deve prosseguir o seu caminho tendo como foco principal a conquista do tricampeonato nacional.

Foto de Capa: Sporting CP

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários

Artigo anteriorRenascido Seferovic
Próximo artigoHolanda 3-0 Alemanha: A laranja à noite mata
O Simão é psicólogo de profissão mas isso para aqui não importa nada. O que interessa é que vibra com as vitórias do Sporting Clube de Portugal e sofre perante as derrotas do seu clube. É um Sportinguista do Norte, mais concretamente da Maia, terra que o viu nascer e na qual habita. Considera que os clubes desportivos não estão nos estádios nem nos pavilhões, mas no palpitar frenético do coração dos adeptos e sócios.                                                                                                                                                 O Simão escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.