A frase não é minha. É do treinador do Sporting CP, Rúben Amorim. Ao proferi-la, inteligente como é, deixou em aberto a que artistas se referia. E nem quando acrescentou que se referia aos jogadores me convenceu que estaria a falar dos de futebol. Mas eu entendo que tenha acrescentado isso, ou arriscava-se a mais quinze dias de castigo.

Para mim, o treinador do Sporting CP referia-se a vários tipos de jogadores e quase nenhum deles joga dentro das quatro linhas.

Temos no futebol português artistas que conseguem anular um golo por um fora de jogo de dois centímetros, quando nas repetições disponibilizadas (pelo menos a nós), nem é possível ver quando a bola sai do pé de quem faz o passe, uma vez que o jogador está de costas. É, portanto, um grande artista com visão de águia. (Não esqueçam que as regras do VAR dizem que não havendo possibilidade, sem sombra de dúvidas, que a decisão do arbitro não está correcta, o mesmo não deve ser chamado à atenção. Parece que o VAR não teve dúvidas. Como poderia ter?).

Há ainda os artistas que, mesmo com ajuda das tecnologias e Zooms que conseguem tirar um fora de jogo de dois centímetros, não consegue ver um atropelo do tamanho de um camião ao Jovane junto à pequena área. Deve ter sido um daqueles célebres apagões. Deve ter faltado o artista da Luz para ver o quadro da eletricidade. A cidade do futebol tem que aumentar a potência contratada. Deixem de ser fuinhas!

Anúncio Publicitário
Em Moreira de Cónegos, muitos adeptos sportinguistas contestaram o golo anulado a Pote
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

E os artistas que mesmo a ameaçar colegas de profissão, ou usando língua gestual para o banco adversário, conseguem ter castigos menores que os do pobre Rúben Amorim? Ou mesmo nenhum castigo. (O treinador do Sporting CP é aquele miúdo que, mesmo que nem tenha estado no local da asneira, é sempre o principal suspeito, e leva um calduço, sem presunção de inocência). A culpa nem é tanto desses, mas sim dos artistas que andam de apito ou bandeirinha, que não aguentam um palavrão, ou pelo menos os ditos por quem pertence ao clube que tem um processo a correr contra si por tentativa de agressão a uma colaboradora.

Artistas da guerra comunicacional e desinformação que conseguem tornar o azul numa outra cor qualquer ao analisarem situações esquecendo ou ocultando propositadamente pormenores que podem alterar de forma oposta a análise de um lance, e que constantemente colocam notícias de interessados em jogadores, de tentativas de compras de perda de pontos, de castigos, da hipótese de perda de pontos, de tudo e mais um par de botas, que para uma equipa recheada de miúdos ainda sem capacidade de filtrar tudo isso, se deixam influenciar, fazendo com que não estejam totalmente concentrados na sua tarefa. E não digam que isso é teoria.

Basta pensarem como vocês próprios reagem quando algo vos preocupa, incomoda ou cria algum tipo de ansiedade. E não, não é por serem ou terem de ser profissionais que os afetará menos. São humanos e essencialmente com a pouca maturidade própria da sua idade em gerir essas emoções.

Mas artista a sério, que fez algo quase impossível nos tempos que correm, foi o Palhinha. Então não é que conseguiu juntar os dois clubes que – supostamente – mais se odeiam para tentar reverter a decisão do castigo não aplicado ao jogador do Sporting CP? Tentem lá ser melhor que este.

Comparável a este só mesmo Boloni, que já tinha avisado que só acontecendo coisas muito estranhas é que o Sporting CP não seria campeão este ano. Pois, coincidentemente, ou não, desde essas proféticas palavras, os jogos de futebol mais parecem fenómenos do Entroncamento, com estranhezas do arco da velha. Ainda estamos com seis pontos de vantagem, mas quando essa frase foi proferida, estávamos a dez. Mas Boloni é artista de adivinhação, como já o tinha sido quando disse que o Sporting CP não seria campeão enquanto os presidentes dos nossos dois principais rivais estivessem vivos. Espero que seja este ano que termina essa profecia. Ou estará algum dos dois constipado? As melhoras.

Agora está na mão dos verdadeiros artistas, os jogadores, os de futebol do Sporting CP jogar duzentos ou trezentos por cento para compensar todas as coisas estranhas que vão acontecer devido à criatividade de outros artistas. Porque só jogando muito mais e melhor que os outros é que podemos ambicionar ganhar algo. Nos últimos jogos temos jogado o suficiente para ganhar, mas sabemos que para o Sporting CP isso não chega. Temos de nos precaver das pedras que vão surgir.

Para terminar, aos artistas jogadores de futebol, os que não são do Sporting CP, quero dar os parabéns pela vontade de ganhar, sangue no olho, garra, raiva que mostram quando jogam contra nós (até salivam). A jogar assim seriam poucos os jogos que perdessem. Pena que só tenham essa atitude contra o Sporting CP. Pena por vós, que querendo só ganhar um jogo arriscam-se a descer. Oxalá que mantenham esse nível de agressividade noutros jogos. Seria de verdadeiro artista de futebol.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome