Chegou ao fim mais um mercado de transferências de Verão. O Deadline Day é um dos dias, no mundo do futebol, que mais expectativa gera nos adeptos das diferentes equipas e em Alvalade não foi exceção. Foi um dia com muitas surpresas, marcado por entradas e saídas importantes no reino do leão e com dossiers de excedentários também a serem resolvidos. A grande noticia do dia foi a confirmação de que Bruno Fernandes irá continuar de leão ao peito, pelo menos para já.

No que toca a saídas, o Sporting CP confirmou a transferência do jovem lateral Thierry Correia para o Valência CF, com valores a rondar os 12M€. Após se destacar neste início de época aproveitando as ausências dos seus concorrentes diretos, mereceu a atenção por parte dos espanhóis num negócio que contou com o contributo de Jorge Mendes. Não foi o único lateral direito a abandonar Alvalade, pois Bruno Gaspar rumou aos gregos do Olympiacos.

O Sporting CP resolveu assim o problema de contar com quatro laterais direitos para ficar apenas com dois – Ristovski e Rosier. O problema não será a nível financeiro, pois creio que a valorização de Thierry e os valores envolvidos acabam por ser aceitáveis, ainda que seja contra um dos objetivos de apostar na formação. Na minha opinião, o problema será sim a nível desportivo, pois os leões contam agora com dois jogadores que não trazem ritmo competitivo e que podem gerar aqui uma incógnita ao treinador.

Ainda na faixa direita, o Sporting CP também confirmou a transferência do extremo brasileiro Raphinha. O negócio ronda os 21M€ e o jovem brasileiro irá representar o Rennes. Ainda que sendo um titular indiscutível, é um negócio à semelhança do de Thierry Correia: bom financeiramente, mau desportivamente. Ainda que neste caso, creio que o Sporting CP irá conseguir colmatar melhor a saída de Raphinha. É um bom jogador, mas a sua capacidade de decisão, por vezes, não é a melhor, um aspeto que terá de melhorar.

No entanto, reforço que o Sporting CP perdeu dois titulares e ambos do mesmo lado, iremos ver como se irão criar novas rotinas com outros jogadores. O Sporting CP confirmou também a saída do maliano Diaby, por empréstimo para o Besiktas, que conta com um valor de 4M€ na clausula de compra e ainda a rescisão de contrato com o brasileiro Jefferson.

O universo Sportinguista gerou enorme expetativa no que diz respeito às possíveis entradas no clube, até mais do que nas possíveis saídas. E no meio (não) está a virtude. Bas Dost foi vendido por 7M€ ao Eintracht Frankfurt – confirmado há uns dias – e o último dia de mercado não foi simpático para os adeptos leoninos. Foram confirmadas as contratações de Fernando (20 anos e ex-Shakthar), de Jesé (26 anos e ex-PSG) e ainda a de Yannick Bolasie (30 anos e ex-Everton). Foram embora jogadores de modo a baixar a folha salarial e entram jogadores que auferem salários de igual forma elevados – caso se confirmem as suas contratações – o que gera aqui um contra-senso.

O último dia de mercado foi muito agitado em Alvalade e colocou à prova a estrutura montada por Frederico Varandas
Fonte: Sporting CP

Jesé é, sem dúvida, um nome sonante, outrora ainda mais até porque a sua carreira parece ter vindo a descer a pique nos últimos anos. Se vier com a mentalidade certa será certamente um excelente reforço, no entanto atualmente é uma incógnita. Ainda para mais, é um jogador que atua um pouco à semelhança de Vietto, mas iremos ver como encaixará no plantel leonino. Yannick Bolasie é um jogador forte fisicamente, explosivo e com boa capacidade no 1×1. Poderá acrescentar algo que falta ao ataque leonino, ainda que venha um pouco à imagem de Jesé: carreira em declínio, afetado por lesões e vindo de sucessivos empréstimos, ou seja, mais uma incógnita.

Fernando, jovem de 20 anos, realizou boas partidas com Paulo Fonseca na Ucrânia, mas uma lesão e a concorrência de Taison fizeram com que fosse perdendo o seu espaço. É mais um extremo com capacidade para desequilibrar, porém a sua contratação, das três feitas, é a que faz menos sentido, sobretudo nos moldes que foi. Dos três é o único que não inclui cláusula de compra e, para além disso, é um jovem jogador que irá tapar Plata e Camacho, não justificando também assim a saída de Matheus Pereira ou até de outros jovens como Daniel Bragança.

No cômputo geral, a direção liderada por Frederico Varandas afirmou que sempre que perde um jogador tem de ter, logo, três ou quatro soluções para ocupar esse lugar. A verdade é que esta visão de mercado e esta abordagem vieram comprovar o contrário, não só neste último dia, mas ao longo dos meses: não há um scouting bem trabalhado, nem um investimento feito na mesma linha de FC Porto e SL Benfica, e a diferença para os principais rivais é cada vez maior.

Existe uma abordagem perigosa, sem nexo e que poderá prejudicar o clube leonino no futuro próximo. Perde o melhor goleador, não tem um guarda-redes de referência e conta apenas com um “9” puro no plantel. O facto de contratar três extremos por empréstimo demonstra que Frederico Varandas e Hugo Viana – os nomes mais fortes da estrutura leonina para o futebol – perderam alguns pontos neste capítulo, onde andam completamente à deriva. Contratações à última da hora para justificar que se conseguiu contratar alguém a juntar ao risco associado pelos fatores já referidos. Ainda que rendam desportivamente, a recompensa financeira nunca irá existir e o acesso à Liga dos Campeões é cada vez mais difícil.

A aposta na formação cai também por terra e com a saída confirmada de Marcel Keizer, o próximo treinador terá de trabalhar já com o campeonato em andamento e com o mercado fechado. Resta saber se Frederico Varandas irá apresentar novamente um treinador com o perfil de Keizer, sem créditos e que irá, provavelmente, ter um futuro curto por Alvalade ou irá apostar todas as fichas na contratação de um nome que gerará maior consenso no seio leonino e com vista ao médio-longo prazo.

Foto de Capa: Sporting CP

Comentários