O meio campo do Sporting foi, na época passada, alvo de algumas críticas relativamente à rentabilidade do meio campo, seja em assistências, golos ou oportunidades criadas e tais deficiências têm sido disfarçadas graças ao inevitável Bruno Fernandes, que é o médio mais goleador da Europa, ultrapassando as marcas de jogadores como Alex e Frank Lampard. Mas como neste clube existe sempre o outro lado da moeda, os restantes médios não apresentaram – nem a metade – um rendimento sequer parecido com o do médio criativo leonino.

Mas como o que importa agora é a nova temporada, este artigo servirá para analisar dois jogadores do meio campo que na última época ou não integravam a equipa leonina ou tiveram a infelicidade de ter lesões prolongadas e como tal, se tudo correr bem, irão certamente oferecer mais qualidade ao miolo leonino. Tais jogadores são Rodrigo Battaglia e Eduardo Henrique.

Começando pelo novo reforço, Eduardo é um médio algo subvalorizado porque possui um talento notável para atuar em zonas interiores, porém andava a atuar em equipas de menor reputação e tal facto contribuiu para andar “escondido” no campeonato português, mais precisamente no Belenenses SAD. É um jogador algo semelhante a Fernando, médio defensivo que conta com passagens pelo FC Porto e Manchester City, pois as suas atuações em campo fazem lembrar um “polvo” que está presente em muitas zonas do meio campo e tenta assumir o jogo, criando oportunidades ou com “galgadas” que colocam a bola junto da baliza do adversário com muita rapidez e eficiência.

Como tal, penso que Eduardo foi uma excelente contratação, com um custo baixo tendo em conta a qualidade que tem, mas que terá de ter oportunidades regulares na equipa principal de modo a ambientar-se à pressão e exigência de um clube com a dimensão do Sporting.

Eduardo Henrique, ex-Belenenses SAD, é um dos reforços do Sporting versão 2019/20.
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Falando agora de Battaglia: está no top 3 dos jogadores com mais “pulmão” no meio campo, oferece muita capacidade física e de combate, gosta de transportar a bola em direção à baliza adversária e, devido à sua altura, oferece um jogo aéreo muito bom, o que faz com que o Sporting consiga recuperar muitas bolas “despejadas” de qualquer maneira pelos adversários. Como não jogou a maior parte da época passada, os adeptos ainda têm na memória a sua rescisão e é considerado por alguns como um “mercenário”, mas há muito que o amor à camisola tem vindo a desaparecer e se temos um jogador no plantel, que oferece características específicas e diferentes dos restantes, há que apostar nele. Para além disso, se deixar nos cofres leoninos alguns milhões no final da sua travessia pelo clube, que venham mais mercenários como Battaglia.

Para finalizar, o melhor meio-campo a três que o Sporting possui é composto por Idrissa Doumbia, Wendel/Eduardo e Bruno Fernandes. Tendo em conta todos os factos já enunciados, considero Eduardo Henrique o melhor candidato e certamente que parte na “pole position”, mas se queremos ser campeões temos que contar com todos e Battaglia também irá, certamente, ser fundamental nas aspirações leoninas, tendo todos os requisitos e mais alguns para continuar de leão ao peito.

Foto de Capa: Sporting CP

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários