porta

23 de Março de 2013: um dia marcado pela infâmia e pelo horror. Milhões de portugueses (catorze, talvez) irão recordar este dia para o resto das suas vidas, porque neste dia tudo mudou para grande parte deste povo à beira-mar plantado com a eleição de Bruno de Carvalho como Presidente do Sporting Clube de Portugal.

O que parecia um sonho mau em 2011 confirmou-se um pesadelo volvidos dois anos; desta vez sem a presença do herói paladino Godinho Lopes, sem a esperança da credível nobreza leonina de Soares Franco, “Nobre” Guedes ou Bettencourts, o clube por qual 14 milhões de adeptos simpatizavam tornava-se num grande e grave problema. Que futuro iria ter o Sporting?

Mais de uma dezena de milhões de simpatizantes ficaria desgostosa com o resultado das eleições no clube de Alvalade e afinal de contas não seria para menos; para grande parte deles, o Sporting Clube de Portugal tinha deixado de ser o maior rival há décadas, passando a ser visto como um mero bombo da festa pessoal que foi criada (em parte com mérito) durante os últimos seis anos. O Sporting não fazia mal a ninguém, ficava em sétimo lugar no campeonato e perdia derbies atrás de derbies frente ao clube da Luz; por isso até ficava bem a um benfiquista dizer: “Eu até simpatizo com o Sporting, mas…”. Tudo isto para agora vir um tal de Bruno de Carvalho a querer romper com normas estabelecidas e afirmar que queria um Sporting diferente, vencedor, e acabar com quase vinte anos de vassalagem e mediocridade? Com que autoridade?

Mas – porra, Bruno! – quem és tu para vires estragar um futebol português tão harmonioso e livre de conflito?

Anúncio Publicitário

Por que raio és tu um presidente que, apesar de ter tido (ou talvez não) negócios menos bons fora do futebol, nunca esteve preso 20 meses? Vai lá assaltar um camião, por favor, assim quem te vir até pensa que a tua idoneidade pode ser posta em causa. Ou então sê gerente da Cimovenda, da Ediverca, da Fipar, e leva cada uma destas à falência, ou sê sócio de alguém que já faleceu…

Por falar em sócio, porque não és sócio dos clubes rivais? Só demonstraria a tua paixão pelo jogo e pelo futebol nacional no seu todo.

Porque não falas em cafés, leites e fruta ao telefone com o Pedro Proença?

Onde estão as promessas de três centenas de milhares de sócios, do maior clube do mundo, das Champions ou da espinha dorsal da selecção?

Que porcaria de presidente és tu, Bruno, que se preocupa com passivos e com dívidas? Se ouviste tão bem como eu o Senhor Pedro Guerra, paga o valor da Supertaça ao Jesus – não ligues é ao ordenado em falta que o antigo clube lhe deve – e paga as dívidas que tens ao pobre Godinho Lopes; não vás pelo caminho do Benfica e devas dinheiros a fantasmas como o Brasa F.C.

Os conselhos do respeitoso Pedro Guerra não deveriam ser descartados Fonte: TVI
Os conselhos do respeitoso Pedro Guerra não deveriam ser descartados
Fonte: TVI

Por que raio não fazes umas chamadas para o teu amigo Vítor Pereira e escolhes uns árbitros para uns jogos da Taça? E que tal falar com o José Eduardo e oferecer uns vales de refeição para a Casa XXI? Acho que só te faria bem..

Que raio de moral tens tu, Bruno, para achares que podes chegar aqui e pedir sorteios nas arbitragens, em vez de serem os do costume a nomear? Mais, quem pensas que és para pôr em causa a competência dos árbitros portugueses e pedires o vídeo-árbitro? Põe os olhos nos Paixões, Motas, Benquerenças ou Capelas desta vida (peço desculpa a todos os muitos árbitros que podiam ser nomeados, mas não queria encher este texto com muitos nomes), e orgulha-te de teres estes senhores nos relvados portugueses todas as semanas.

Porque tens a mania de explicar tudo aos sócios, de emitir comunicados e de fazer as coisas às claras? Que piada tem isso? Põe os olhos nos outros, Bruno; a piada está em fazer as coisas sem dizer nada à CMVM ou aos sócios, o bom está em vender jogadores em modo “empréstimo”, e todos pelo mesmo valor simbólico: um euro por adepto. Ou então, vender o mesmo jogador mais do que uma vez a clubes diferentes.

Deixa de ser incendiário, e delega essas funções para os adeptos. Não legalizes as claques, não te preocupes com pirotecnia atirada para adeptos dos clubes rivais, por assobios a simularem verylights ou por tarjas a relembrar um assassínio no Jamor.

Por fim, que desplante tens tu de roubar o treinador que o Presidente encarnado quis por nas Arábias? Até me apetecia chamar-te um nome injurioso agora, mas vou-me conter. Então o Benfica queria acabar um ciclo, mandar Jesus para fora de Portugal e tu contrarias essa decisão? Agora é bem feito que toda a justiça, imparcialidade e clareza que existe em Portugal se vire contra ti. Espera lá pelos processos, pelas notícias falsas, pelo mau clima que existe no balneário e pela saída de Carrillo, maior ídolo dos adeptos e melhor jogador verde e branco desde Peyroteu ou Yazalde. Tudo isto é karma, sabes isso?

Como um colega meu de profissão escreveu, passas “grande parte do dia a delinear estratégias para atacar o Benfica”. Se quiseres eu dou-te uma ajuda, mas não digas que vais daqui: coloca pessoas influentes nos lugares certos das organizações competentes; quando precisares de favores de outros clubes, empresta talentos sul-americanos a essas instituições. Usa os jornais para criar notícias falsas, usa argumentos como o envio de SMS ou Football Leaks para “destabilizar” os rivais, e faz isto de preferência antes de jogos importantes, sejam eles para Supertaças ou apuramentos europeus. Coloca pessoas em tribunal – ainda que tenhas contratado treinadores ao Braga em moldes idênticos – só porque sim; não tentes fazer como fizeste com o Marco Silva: essa coisa de acordos amigáveis é para parvos e o que é bom é assobiar para o lado. Pronto, acho que tens aqui já umas quantas dicas úteis.

Um criança moçambicana, de Nampula, em Junho de 2011 Fonte: Foto de Vítor Miguel Gonçalves
Um criança moçambicana, de Nampula, em Junho de 2011
Fonte: Vítor Miguel Gonçalves

Mais de dois anos passaram desde este período negro da história do futebol português, mas os medos e o terror ainda assolam as mentes de milhões; cada vez mais este demónio causa uma urticária imensa na freguesia de São Domingos de Benfica e um pouco por todo o mundo, porque, para quem fala na baixa de Malabo, esquecendo-se a reunião do angelical LFV em Dezembro de 2014 com o beato presidente Teadoro Mbasogo, não deve ter visto certamente a festa de arromba do Benfica campeão que aconteceu em Marissol, cidade do Estado de São Paulo, com milhares de adeptos benfiquistas envolvidos, não obstante a ligação entre o maior clube da cidade, o Brasa F.C. Lta. e o clube de São Domingos de Benfica.

Um pequeno aparte: engraçado é que, para todos aqueles que falam das festas em cidades como Newark ou Díli, eu prefiro os prazeres de saber que posso andar pelas ruas de terra batida de Nampula e encontrar jovens com camisolas do meu Sporting e até casas pintadas com as cores e símbolo do clube, daqueles adeptos do dia a dia e não só das vitórias, jovens com dez anos que nunca viram um jogo do Sporting ao vivo mas que se orgulham das camisolas que vestem a dizer Ronaldo, Figo ou Nani.

Domingo há derby; vamos ver quantas notícias sobre o Sporting aparecem nestes dias. Mas nunca te esqueças, Bruno: a culpa é tua…