cartaaberta

Exmo. Sr. André Martín Carrillo Diaz,

Desde já, acho que “excelentíssimo” é uma forma demasiado educada para me dirigir a ti, depois de todas as polémicas que estás a criar no que toca ao meu querido Sporting.

Nem sempre te admirei. Quando chegaste ao Sporting, há quatro anos, fiquei com receio sobre se o teu potencial se adequaria a um clube como o nosso (posso dizer que ainda fazemos parte do mesmo, ou já não te sentes como tal?). Decidi dar-te o benefício da dúvida, já que tinhas 20 anos; eras um miúdo que vinha à descoberta.

Quando começas a dar provas do que realmente vales, eis que a bomba rebenta: polémicas com o teu contrato. Achavas-te assim uma peça tão fulcral para te armares em vedeta ou isto foi uma jogada do teu agente para ganhar mais um pouco contigo? És bom, mas não és insubstituível; no mundo do desporto, já devias saber que é sempre assim. Fiquei triste quando li estas notícias, acredita que fiquei. Nunca pensei que fizesses isto com um clube que te deu tanto. E sim, o clube ajudou-te bem mais do que tu o ajudaste.

Anúncio Publicitário

Começava a ganhar novamente o respeito por ti quando vi que ias dar o braço a torcer. Tiveste dois dedos de testa para perceber que esta guerra não ia dar a lado nenhum. Sinceramente, espero que te vás embora em janeiro. Só continuas a dar má imagem a um Sporting que não precisa de um miúdo mimado para lhe estragar a belíssima campanha que está a fazer este ano. O que é irónico é que iria ser este ano que irias mesmo crescer e chegar ao teu expoente; acredito que Jesus iria levar-te até ao limite e aproveitar todo o potencial que tens vindo a mostrar.

Carrillo aquando a vitória na Supertaça frente ao Benfica Fonte: Sporting CP
Carrillo aquando a vitória na Supertaça frente ao Benfica
Fonte: Sporting CP

Infelizmente, estragaste tudo. E nem foi muito para nós. De onde tu vieste, virão outros mais, serão melhor aproveitados e terão mais oportunidades de aprendizagem do que tu. Agora, na tua posição, eu sentiria vergonha; aliás, eu sinto vergonha alheia por ti. De não aproveitar a mão que me deram e querer o braço inteiro. Assim, digo-te que não chegas lá. Espero que saias em janeiro, pela porta dos fundos, como sempre trataste o clube que te projetou.

Em jeito de conselho, quero ainda dizer-te outra coisa: toma atenção às pessoas que te rodeiam. Agora que te tornaste uma “celebridade” (se é que te posso chamar assim), vê-se que há quem queira subir mais que a tua fama e o teu talento. Tu e o teu agente são, como se diz cá em Portugal, farinha do mesmo saco, e lembra-te: quanto maior é o salto, maior é a queda.

Espero então que tenhas sucesso no futuro. Vou estar aqui para ver tudo o que vais fazer para poderes retomar o teu trabalho e que caminho a tua carreira vai seguir. Vou estar também, de certeza, a aplaudir as más escolhas que tomaram por ti; mas isso são assuntos para debatermos no futuro.

De uma Sportinguista que não vai ter saudades tuas,

Marta Reis.

Foto de Capa: Sporting CP

Comentários