Mister Marcel Keizer, antes de mais desculpe a minha ousadia, mas como estou certo de que já percebeu a dimensão do Clube que representa, irá compreender certamente. Uma equipa com a dimensão do Sporting Clube de Portugal tem e deve ter como objetivo conquistar todas as competições em que está inserida, sobretudo as competições nacionais. Com este objetivo, é “certo e sabido” que a equipa terá um volume de jogos elevado, assim sendo é necessário gerir da melhor forma a equipa, certo?

Nas últimas temporadas, nós, sportinguistas, assistimos a algumas opções técnicas que podem ter ditado o nosso insucesso no que diz respeito a títulos alcançados no futebol. Em breve, entraremos numa série de encontros dificílimos e de extrema importância para as diversas competições em disputa, onde é fundamental gerir a equipa de forma inteligente para que seja possível alcançar a Glória.

Apesar de concordar consigo quando referiu que temos um plantel curto para o volume de jogos que temos pela frente até final da temporada, considero que temos alguns jogadores com potencial para ajudarem a equipa e quiçá dificultar a sua tarefa enquanto treinador no momento de eleger o “onze”.

Queremos mais festejos
Fonte: Sporting CP

A presente janela de transferências era uma oportunidade para aumentar as suas opções e combater algumas lacunas detetadas, nomeadamente um defesa esquerdo, um avançado, um médio criativo e sobretudo um médio defensivo. Até ao momento resgatámos Franscisco Geraldes (médio criativo que provoca tantas expectativas no Universo Leonino), Luiz Phellype (avançado proveniente do FC Paços de Ferreira e que ainda se encontra no topo da lista de melhores marcadores da Segunda Liga) e Idrissa Doumbia (médio defensivo que procura melhorar a sua condição física para entrar nos planos). Destes, apenas o avançado brasileiro já teve a oportunidade de envergar a listada verde e branca, deixando água na boca dos sportinguistas nos poucos minutos em campo diante do Feirense. Ou considera que o melhor marcador da Segunda Liga não é uma opção válida para render Bas Dost?

Relativamente à sua equipa titular, quero apenas fazer um reparo: Diaby e não Raphinha, porquê? Será que as prestações do maliano nos treinos e a esperança de que possa replicar isso nos jogos justificam a titularidade? Na temporada anterior, Bruno Fernandes foi um dos jogadores mais castigados por não existir uma opção válida no banco para ocupar o centro do terreno, na presente temporada ainda se verifica esta lacuna? Será que Francisco Geraldes ou até mesmo Miguel Luís não apresentam qualidade suficiente para renderem Bruno Fernandes ou Wendel?

Tal como o mister referiu em conferência de imprensa “é com estes jogadores que vamos lutar pelo título” e considero que é fundamental gerir a equipa nas próximas partidas. Com isto, não quero dizer para fazer poupanças mas sim aproveitar o que tem no banco em benefício do desempenho da equipa.

Força Sporting Clube de Portugal.

Foto de Capa: Sporting CP

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários