cartaaberta

Caro Paulo,

Esteve nos Barreiros no passado sábado? Se não, decerto deve ter visto a transmissão televisiva do jogo do seu último clube, no Estádio dos Barreiros… Vou assumir que sim. Reparou num rapaz vestido de roxo, ali no meio campo, que até fez um golo de grande penalidade? Um miúdo loirito, o número 23, que encheu o campo, dominou o meio-campo, que esteve brilhante nas manobras ofensivas e na ajuda à defesa. Reparou? Chama-se Adrien Silva e é jogador sénior do Sporting desde os tempos em que o Paulo era lá treinador. Aliás, foi o Paulo que o lançou como sénior.

Assumindo (ainda que com dúvidas) que reparou nele e que se lembra de quem é o rapaz (depois de o ter lançado de leão ao peito), gostaria de lhe colocar três questões de forma bastante clara, directa e concisa:

1-      Porque é que não o convoca para a Selecção Nacional?

Anúncio Publicitário

2-      Vai ceder ao inevitável e convocá-lo para o Mundial do Brasil?

3-      Quando entra em vigor o seu contrato com o Sport Lisboa e Benfica?

Sou sincero: tinha mais um punhado de questões para lhe colocar, mas como imagino que o trabalho do seleccionador nacional seja tremendamente árduo e desgastante, não o quero maçar mais.

Desconfio de que as respostas às minhas duas primeiras perguntas sejam, nem mais nem menos, do que a afirmação inerente à terceira pergunta. Confuso? Passo a explicar:

O Paulo, estranhamente, vai chamando jogadores que não merecem, nem têm qualidade, para vestir a camisola das Quinas, como por exemplo Rúben Amorim, André Almeida ou Ivan Cavaleiro. Enquanto toma decisões como estas, deixa em casa jogadores que vêm fazendo grandes épocas, como Adrien Silva, Cédric Soares, Ricardo Quaresma e, já que convocou Cavaleiro, posso referir também o nome de Carlos Mané.

Adrien é um possível seleccionável  Fonte: ASF
Adrien é um possível seleccionável
Fonte: ASF

Que razão plausível pode existir para convocar um jogador completamente mediano e inconsequente como Amorim, e ignorar um dos melhores médios portugueses, um dos jogadores com maior rendimento na Liga Portuguesa, como é Adrien Silva? Como é possível convocar um André Almeida, que nem joga na equipa principal do Benfica, e deixar de fora um lateral-direito que está a fazer uma grande época no Sporting, que defende de uma forma impecável, que ataca bem com cruzamentos milimétricos e com trajecto nas selecções jovens, como é Cédric Soares? Como é possível chamar um Ivan Cavaleiro, que não jogou mais do que meia dúzia de minutos na Liga Portuguesa e que faz carreira na Liga de Honra, ao invés de convocar um tremendo craque chamado Ricardo Quaresma, ou mesmo um Carlos Mané, que assumiu uma posição de destaque no seu clube, a jogar brilhantemente a extremo e também no meio-campo, que tem feito golos e demonstrado uma maturidade acima da média, dentro das quatro linhas? Peço-lhe desculpa, mas só encontro uma explicação plausível para esta situação: valorização de activos e valorização do seu próprio nome perante o universo encarnado.

Ambos adivinhamos a mais do que provável saída de Jorge Jesus do Benfica, no final desta época. Se voltar a perder o campeonato, sai sem sombra de dúvidas, e se for finalmente campeão nacional sairá igualmente, de forma a abandonar o clube pela porta grande, como um herói da nação benfiquista. Com sucesso ou insucesso, o seu nome está desgastado, e é raro o adepto benfiquista que exija a sua permanência no comando da equipa. Posto isto, Luís Filipe Vieira terá de tomar uma decisão, e, como em táctica que ganha não se mexe, a solução passará por um treinador português, creditado, que venha a conquistar a simpatia interna do clube da Luz. A solução é o Paulo, e acredito que tanto você como o presidente do Benfica já o saibam. O plano é simples: Portugal acabará por fazer um óptimo Mundial, porque a espinha dorsal da nossa equipa assim o permite, porque contamos com o melhor jogador do mundo, com médios de grande qualidade e uma defesa coesa. Esta quase certeza de que Ronaldo e mais 10 têm capacidade para fazer coisas bonitas permitirá que, na convocatória final, no meio dos craques, possamos ler nomes como Sílvio, André Almeida, Rúben Amorim e Ivan Cavaleiro, o que agradará imenso a Vieira e companhia e valorizará os jogadores benfiquistas. Depois do Mundial, o Paulo sairá e, caído nas graças encarnadas, assumirá o controlo de um Benfica campeão nacional, com algumas saídas de jogadores importantes, pronto para uma renovação com tranquilidade, cenário ideal para um treinador como o senhor. Tudo está bem quando acaba bem.

Posto isto, peço-lhe apenas uma coisa: para já, pense apenas nos interesses dos portugueses, que gritam, vibram e choram com a sua Selecção, e trate de convocar os melhores jogadores possíveis para cada posição, para que possamos sonhar com um possível título. Tenha respeito por todos nós e pense no seu futuro mais tarde.

Seja justo e coerente, e estaremos todos unidos, como uma equipa, em prol de um objectivo comum: trazer para Portugal a taça mais importante do desporto a nível mundial.

Acredito que, apesar de tudo, acabará por fazer o que é correcto. Força.

Atenciosamente,

Hugo Almeida Rebelo.

Comentários