logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

CD Tondela x Sporting CP

CD Tondela 1-3 Sporting CP: Perseguir com classe

A CRÓNICA: SARABIA FOI MAESTRO DE UMA ORQUESTRA AFINADA

Num duelo entre equipas em lados opostos da tabela e em lutas bem diferentes, o Estádio João Cardoso transformou-se num “mini Estádio de Alvalade” e empurrou o Sporting CP para mais uma vitória no campeonato, desta feita perante o CD Tondela.

Na noite fria de Tondela, o jogo aqueceu quem quer que tenha assistido. Numa primeira parte sempre jogada a um ritmo muito elevado, os “leões” rugiram bem alto desde cedo, movidos por uma força gigante vinda das bancadas.

A caça foi desde o primeiro minuto, mas o golpe inicial só foi dado perto da meia hora de jogo. À “lei da bomba”, Gonçalo Inácio aproveitou uma sobra e, desde a entrada da área, bateu Trigueira com um pontapé muito colocado. Ferida, a equipa de Tondela acabou por sofrer novamente, com Sarabia e Pedro Gonçalves, lançados por Porro, a combinarem entre si e a ser o atacante espanhol a finalizar uma jogada candidata a prémio.

Com uma vantagem dupla no marcador, o Sporting voltou para a segunda parte com a sensação justa de que já podia ter feito mais golos. Depois de uma primeira ameaça de Pedro Gonçalves, o Sporting dispôs de uma grande penalidade e, aí, Sarabia não perdoou e aumentou a vantagem leonina.

Apesar da resposta praticamente imediata do Tondela, com um belo golo de Manu Hernando, de cabeça, os três pontos estavam entregues à equipa forasteira. O Sporting venceu com mérito este duelo de opostos, seguindo na perseguição ao FC Porto e mantendo viva a luta pelo título.

 

A FIGURA

Sporting CP
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Pablo Sarabia – Mais uma “jogatana” incrível do espanhol. Marcou, fez a equipa jogar e, como sempre, tratou a bola melhor do que qualquer outro jogador em campo. Voltou a provar que é jogador para os mais altos patamares do Futebol mundial.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: Paulo Ladeira / Bola na Rede

Juan Boselli – Até ao momento em que foi substituído, ainda cedo na segunda parte, passou completamente ao lado do jogo. É certo que o Tondela não teve a bola por muitas vezes, mas quando comparado com Agra e Barbosa, parceiros de ataque, não foi capaz de tentar rasgar a defesa adversária com a mesma intensidade. Um “dia não”.

 

ANÁLISE TÁTICA – CD TONDELA

3-4-3 voltou a ser a opção de Nuno Campos, tal como tem acontecido desde que chegou a Tondela, mas hoje com mais preponderância para ser um 5-2-3. As escolhas iniciais foram as mesmas da vitória no reduto do Marítimo SC, na última jornada.

O destaque principal foi para a frente de ataque, novamente sem uma referência ofensiva e com três jogadores muito velozes e móveis a tentar surpreender a linha recuada adversária, sobretudo através de contra-ataques.

Na linha defensiva, quase sempre com cinco elementos, os laterais Bebeto e Neto Borges tiveram a “cabeça em água” durante o jogo todo, devido às incursões constantes de Porro e Matheus Reis pelas alas.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Trigueira (5)

Manu Hernando (5)

Marcelo Alves (5)

Modibo Sagnan (5)

Bebeto (4)

Pedro Augusto (5)

Iker Undabarrena (5)

Neto Borges (4)

Salvador Agra (5)

Juan Boselli (4)

Rafael Barbosa (6)

SUBS UTILIZADOS

Daniel dos Anjos (5)

Tiago Dantas (5)

João Pedro (4)

Sessi D’Almeida (-)

Matías Lacava (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

Rúben Amorim surpreendeu nas escolhas iniciais. Não porque tenha alterado a tática (manteve-se o 3-4-3), mas porque apostou numa frente de ataque sem referência. Marcus Edwards assumiu o lugar de Paulinho, ainda que não literalmente: as trocas entre o inglês, Sarabia e Pedro Gonçalves foram constantes e baralharam as marcações adversárias muitas vezes.

Já no processo defensivo, a que o Sporting foi obrigado a recorrer poucas vezes, os três centrais de serviço (Neto, Coates e Inácio) lidaram de forma exímia com os opositores e a sua velocidade.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Antonio Adán (6)

Luís Neto (6)

Sebastián Coates (6)

Gonçalo Inácio (7)

Pedro Porro (6)

Matheus Nunes (6)

Manuel Ugarte (6)

Matheus Reis (6)

Marcus Edwards (5)

Pablo Sarabia (8)

Pedro Gonçalves (6)

SUBS UTILIZADOS

Daniel Bragança (6)

Ricardo Esgaio (5)

Rúben Vinagre (5)

Bruno Tabata (5)

Rodrigo Ribeiro (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CD Tondela

BnR: O CD Tondela melhorou na segunda parte, sobretudo depois da entrada do Daniel dos Anjos. Pretendia, com esta substituição, introduzir uma referência ofensiva e, assim, ter mais vezes a bola no meio-campo atacante?

Nuno Campos: Na segunda parte melhorámos, sim, demos uma imagem daquilo que queremos ser. Corrigimos detalhes ao intervalo, isso fez com que melhorássemos. O Daniel entrou bem no jogo, mas a melhoria na segunda parte não esteve diretamente relacionada com isso. Temos que melhorar muitas coisas, como é natural, e isso vai acontecer com tempo e de jogo para jogo.

 

Sporting CP

Não foram colocadas questões ao treinador do Sporting CP, Rúben Amorim.

Artigo revisto por Joana Mendes

Apaixonado por futebol desde sempre, tem o hábito de escrever sobre o desporto rei desde os tempos da escola primária, onde o tema das composições de Português nunca fugia da bola.

Apaixonado por futebol desde sempre, tem o hábito de escrever sobre o desporto rei desde os tempos da escola primária, onde o tema das composições de Português nunca fugia da bola.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA