Anterior1 de 4Próximo

sporting cp cabeçalho 2

Em dia de decisões no Restelo, Os Belenenses e o Sporting CP defrontaram-se na terceira e última jornada da Taça da Liga, num dérbi da capital. Ambos os técnicos optaram por não mexer muito nas equipas, destacando-se apenas a entrada de Maurides no conjunto dos azuis do Restelo e do outro lado, Jorge Jesus deixou Gelson Martins no banco de suplentes. Antes do apito inicial, cumpriu-se um minuto de silêncio em homenagem a Edu Ferreira, jovem boavisteiro que falecera no passado dia 24 de Dezembro.

Nos primeiros minutos da partida assistiu-se a um baixo ritmo de jogo do Sporting, que contrastou com uma fase de maior pressão ao portador da bola por parte dos comandados de Domingos Paciência. Só aos treze minutos, houve realmente uma jogada digna de registo com Marcos Acuña a rematar forte para uma boa defesa de Filipe Mendes. A partir deste momento, a equipa do Sporting tomou as rédeas do jogo, tendo oportunidades aos 25 e aos 30 minutos com Bas Dost a não conseguir corresponder de forma eficaz, já dentro da área, ao cruzamento de Bruno Fernandes e com Battaglia a rematar forte ao lado do poste direito, respetivamente. À ida para o intervalo, o resultado justificava-se claramente.

O Sporting conseguiu o apuramento para a final four, a disputar em Braga Fonte: Facebook oficial de Os Belenenses
O Sporting conseguiu o apuramento para a final four, a disputar em Braga
Fonte: Facebook oficial de Os Belenenses

No segundo tempo, o Belenenses entrou novamente pressionante, chegando por certos momentos a assustar o conjunto leonino depois de Maurides falhar à boca da baliza, “um golo cantado” após desperdiçar um excelente cruzamento por parte de Fredy. À hora de jogo, surgiram dois momentos importantes para a equipa de Alvalade, um livre perigoso cobrado por Mathieu e a entrada de Gelson Martins que, como já é hábito, desequilibrou o corredor direito do ataque do Sporting. Numa fase em que o Belenenses tinha que se “aventurar” mais na frente de ataque para garantir a passagem, o jogo abriu e com isso surgiram mais oportunidades de perigo e, de seguida, golos. Ao minuto 67, num contra-ataque, Bruno Fernandes rematou colocado e a bola passou pertíssimo do poste esquerdo da baliza de Filipe Mendes e a vinte minutos do fim, os golos.

Primeiro, Acuña numa jogada furtuita consegue ter espaço para rematar e fez um golo de belo efeito. Em resposta, na jogada seguinte, após um cruzamento do lado esquerdo da equipa de Belém, Coates num lance de infelicidade, faz auto-golo. Até fim do jogo, não houve grande motivo de destaque, o Sporting conteve as intenções do Belenenses fazer o golo da vitória e sabendo que o empate lhe era suficiente para carimbar o passaporte rumo à final four em Braga, no próximo mês de Janeiro, aguentou o resultado.

Anúncio Publicitário

Anterior1 de 4Próximo

Comentários