Anterior1 de 3Próximo

Na jornada inaugural da Primeira Liga da época 2019/2020, CS Marítimo e Sporting CP não foram para além do empate nos Barreiros. Nesta que foi a estreia de Nuno Manta Santos no banco dos insulares, a equipa madeirense fez frente ao uns leões que ainda se encontram feridos do jogo da Supertaça.

A equipa de Marcel Keizer entrou com alguma vontade de assumir o jogo, mas ao minuto 7, numa bola longa, Thierry Correia calculou mal o tempo de salto e permitiu que John Cley conquistasse a bola e partisse pelo flanco esquerdo, cruzando depois para Getterson, que apareceu isolado, já que Coates e Mathieu estavam atrasados, e finalizou a jogada.

Com o golo sofrido, o Sporting foi tentando ferir a baliza adversária, mas só ao minuto 28 ocorreu o primeiro lance de perigo que viria a originar o canto que daria o golo: Bruno Fernandes disparou do meio da rua e proporcionou uma excelente defesa de Charles. Na sequência do canto, o internacional português apanhou a bola pela direita, tirou o adversário do caminho e cruzou para Coates, que num cabeceamento forte restabeleceu o empate no marcador ao minuto 29.

Quando o cronómetro marcava os 30 minutos, Acuña recebeu a bola à entrada da área, descaído para a esquerda, e fez um remate forte e rasteiro que por pouco não acertou na baliza maritimista. No minuto seguinte, após cruzamento de Thierry Correia, a bola sobrou para Raphinha que, enquadrado com a baliza, não conseguiu acertar no alvo, naquela que foi uma clara ocasião de golo.

A segunda parte trouxe-nos dois momentos distintos. Inicialmente, o Sporting entrou com vontade de colocar o resultado a seu favor, mas sem grandes situações de perigo. A primeira grande ameaça surgiu ao minuto 63, quando da mesma zona Acuña chutou e fez a bola passar a rasar a barra.

No entanto, do lado do Marítimo, a entrada de Daizen Maeda, avançado japonês extremamente rápido, veio baralhar as contas da defesa contrária e os insulares equilibraram o jogo, tendo tido algumas oportunidades para fazer o golo. A primeira ocorreu ao minuto 75, o avançado que acima referi cabeceou à barra da baliza dos leões.

O Sporting ainda viria a ter uma excelente oportunidade por Raphinha ao minuto 79, que na cara do guarda-redes foi novamente incapaz de acertar no alvo, mas ao minuto 83 Daizen Maeda conseguiu ultrapassar pela linha Coates e cruzar para o centro da área onde, após mau domínio de Mathieu, John Cley chutou forte e fez a bola passar a rasar o poste esquerdo.

Coates e Getterson apontaram os golos da partida
Fonte: CS Marítimo

Num grande forcing do Marítimo, ao minuto 85, Correa recebeu a bola na esquerda, foi-se aproximando da baliza e aplicou um remate muito forte que apenas foi travado por Renan, que teve de se aplicar. Por último, ao minuto 88, Daizen Maeda ia dando a vitória ao conjunto orientado por Nuno Manta Santos, quando já dentro de área, descaído para o lado esquerdo, fez a bola passar de novo a rasar o poste esquerdo, naquele que foi o último lance de real perigo.

Assim, num jogo disputado com boa intensidade mas sem grande critério, o empate acaba por se aceitar face às oportunidades criadas por ambas as equipas. De destacar a ainda fraca forma física do Sporting, bem visível nos últimos minutos do jogo, que permitiu ao Marítimo crescer na partida.

Mais uma vez os leões não foram capazes de vencer nos Barreiros, situação que dura desde 2015, e não conseguiram aproveitar a derrota do FC Porto para se distanciar do oponente direto. Quanto ao Marítimo, é um bom resultado para uma equipa que procura realizar um campeonato tranquilo, com algumas ambições pelos lugares europeus.

 

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

CS Marítimo: Charles, Nanu, Zainadine, Kerkez e Rúben Ferreira; Bambock, Vukovic (Renê Santos, 90′), Jhon Cley e Edgar Costa (Marcelinho, 71′); Getterson (Maeda, 57′) e Jorge Correa.

Sporting CP: Renan, Thierry, Seba Coates, Mathieu e Borja (Diaby, 84′); Eduardo (Vietto, 73′), Bruno Fernandes e Wendel; Acuña, Raphinha e Luiz Phellype (Bas Dost, 73′).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários