nucleosemanal

Como este site se chama “Bola na Rede” e é para isso que cá estou, hoje vou falar de bola. E vou falar tanto e tão bem de bola que vou gastar nesse tema um parágrafo inteiro. Cá vai:

O Sporting perdeu o jogo da Luz em Alvalade, com a Académica. A incapacidade de ganhar – que traria tranquilidade – e o forçado amarelo a William Carvalho – que tirou tudo o resto – fizeram com que o empate contra os estudantes valesse a perda de 5 pontos. O final da história todos vimos: uma estratégia falhada, más opções, nervosismo, jogadores pouco rotinados em posições que mal conhecem e uma vitória justíssima do adversário.

Mas que me desculpe o chefe deste burgo. Que me desculpem todos os comentadores, os entendidos, os treinadores de bancada e os adeptos que colocam o futebol acima de tudo. Desculpem-me, mas não é de bola que eu quero falar. É claro que gosto de ver futebol de várias ligas, gosto de jogar futebol, gosto de vibrar com o jogo. Aprecio a raça individual dos jogadores. Adoro ver uma boa jogada de envolvimento coletivo. Amo gritar golo! Mas o que realmente me apaixona… é o Sporting Clube de Portugal.

E, porra, que esse todos os dias me apaixona mais. Todos os dias me faz crescer como pessoa e me deixa orgulhoso como adepto e sócio. Entre domingo e esta noite o meu clube mostrou três valores que considero fundamentais na vida: compreensão, honestidade e humildade.

Compreensão: fosse uma desculpa ou não, o Sporting tinha todo o direito de vencer o jogo contra o Benfica através da secretaria. O que se passou na Luz, no domingo, poderia ter tido consequências gravíssimas, e visto que não foi a primeira vez que aconteceu, segundo os regulamentos o clube deveria ter sido punido com a derrota. No Sporting decidiu-se ignorar os regulamentos – em detrimento de si próprio – e jogar. Foi uma atitude de compreensão.

Honestidade: que digam que somos uns coitadinhos, uns calimeros que passam a vida a queixar-se. É a verdade. O problema é que nos queixamos com toda a razão e justiça. Já na noite de ontem perdemos sem espinhas. A reação dos Sportinguistas foi unânime: admitir a derrota e dar os parabéns ao adversário pela justa vitória. As redes sociais e a comunicação social não me deixam mentir. Isto é ser honesto.

Humildade: o site do Sporting lançou um texto com uma visão completamente cor-de-rosa do jogo. Ora, nós somos verdes, não cor-de-rosa. Não nos revemos neste tipo de visões surrealistas que só veem um lado. A verdade é para ser dita e é a verdade que queremos ouvir, custe o que custar. O Sporting admitiu o erro… e pediu desculpa, refazendo o texto. Este, para mim, é o valor mais importante dos três, e que hoje tão pouco se vê: a capacidade para admitir os erros e pedir desculpa, o que demonstra humildade.

Na bola perdemos e nessa não há vitórias morais. Ficámos a 5 pontos da liderança e o sonho que nos alimenta está mais difícil. Se eu só olhasse para a bola, especialmente após a má exibição, não teria a mínima vontade de ir a Alvalade no sábado. Mas como disse, não quero falar de bola, porque não é ela que me move. O que me move é o amor ao Sporting. E o meu Sporting acabou de ganhar 3-0, não só ao Benfica, mas a todos os outros. E nunca mais é sábado…

Comentários