sporting cp cabeçalho 1Quando, na época passada, o holandês Bas Dost chegou a Alvalade, a sua missão era dantesca. Tinha o argelino Islam Slimani rumado para o Leicester City de Inglaterra e deixado nas mãos do holandês recém-chegado a missão praticamente impossível de o substituir na dianteira ofensiva dos Leões.

Mas o tempo demonstrou que essa missão rapidamente abandonou a fasquia de impossibilidade para se revelar numa possibilidade cada vez mais concreta e almejável: o holandês acabou mesmo por, na época passada, superar todas as expectativas e o número de golos do argelino na Liga NOS. Bas Dost foi o melhor goleador da Liga na edição 2016/17, totalizando 34 golos de um total de 31 jogos ao serviço dos Leões sendo, nesse capítulo e no plano europeu, só superado pelo astro Leonel Messi do Barcelona (Fonte: www.transfermarkt.pt).

Esse feito valeu-lhe elogios do mundo do futebol e nas bancadas dos estádios onde o Sporting jogava ouvia-se a mítica música dos AC/DC “Thunderstruck” com o nome do holandês na letra. Mais ou menos isto: “Bas Dost!! na na na na na na na na… Bas Dost!! na na na na na na na na…  Bas Dost!! na na na na na na na na…”. Os sportinguistas pareciam ter encontrado alguém com pergaminhos mais do que suficientes para substituir aquele que julgariam outrora insubstituível: Slimani. O argelino permaneceu nos corações dos adeptos leoninos, mas o seu substituto estava encontrado. Podiam respirar, enfim, de alívio.

Estes argumentos faziam acreditar que a entrada de Bas Dost na temporada 2017/18 pela equipa do Sporting fosse do mesmo nível da temporada passada. Mas, neste capítulo, o algodão não engana ou, dito de outra forma, os números não enganam: de um total de oito partidas na Liga NOS, o holandês só marcou por quatro vezes. Está fraquinho este Dost, tem que fazer pela vidinha. A sua veia goleadora tem abrandado com o tempo.

Fonte: Sporting CP
Fonte: Sporting CP

A comunicação social não tem perdoado este período menos positivo do holandês. O Diário de Notícias na sua edição online do dia três de outubro refere mesmo que “Bas Dost atravessa segunda maior seca em Portugal”, retratando um pouco melhor aquilo que parece estar a acontecer ao avançado holandês.

A analisar pelas suas exibições Dost é, cada vez mais, um homem sombra na grande área dos adversários. Sozinho, parece estar alheado da equipa. No jogo contra o Futebol Clube do Porto, Marcano e Felipe regozijaram-se perante um Bast Dost que de exterminador teve muito pouco durante toda a partida.

As suas exibições aquém do esperado só são mesmo “esquecidas” pelo facto da equipa leonina se encontrar num bom momento de forma e pelo facto do envolvimento de alguns jogadores no ataque – caso mais paradigmático de Bruno Fernandes – se terem traduzido em muitos golos. O holandês tem passado, por isso, como se costuma dizer, “de fininho” pelas boas exibições da equipa. Mas o que acontecerá quando o Sporting ficar aquém da sua organização técnica e tática e necessitar novamente das garras de um matador, que coloque a equipa na rota das vitórias? Será que Bast Dost seguirá o rumo que estava a seguir na época passada? É caso para dizer: não percam os próximos episódios desta novela holandesa nos relvados lusos.

Foto de Capa: Sporting CP

Artigo revisto por: Beatriz Silva

Comentários