Desde a saída de William Carvalho para o Bétis de Sevilha, o clube leonino nunca mais conseguiu encontrar uma referência para a “posição 6”, que em Portugal é uma posição essencial não só para conseguir conter os contra-ataques das equipas adversárias, mas também para a distribuição e contrução de jogo da própria equipa. Tais características são evidentes no caso de William e também, por exemplo, de Danilo Pereira do FC Porto, contudo são características muito difíceis de encontrar num jogador e daí resulta a dificuldade do clube leonino em conseguir adquirir um bom atleta para essa posição.

No clube de Alvalade existem dois jogadores para as tarefas defensivas do meio campo e esses jogadores são Rodrigo Battaglia e Idrissa Doumbia. O jogador argentino sofreu na época passada uma grave lesão que o afastou dos relvados durante praticamente toda a temporada, e apesar de ter dado boas indicações no regresso aos relvados, tendo mostrado bons índices físicos e competitivos, a verdade é que Doumbia parte na “pole position” para ser a referência nessa posição.

O médio costa-marfinense tem sido indiscutível no onze leonino
Fonte: Sporting CP

Doumbia é um jogador com alguma técnica, possui altos índices de resistência e sabe equilibrar a equipa, oferecendo uma boa consistência ao meio campo leonino. Apesar de nos últimos tempos ter descido o seu rendimento, muito devido à pobre gestão do meio campo por parte de Marcel Keizer, a verdade é que a sua qualidade está sempre presente e com um treinador como Leonel Pontes, pode colocar a sua qualidade em função da equipa. Se não houverem lesões ou outros fatores alheios, será certamente um elemento fundamental para as aspirações leoninas.

Em jeito de conclusão, Rodrigo Battaglia ainda terá de lutar muito por um lugar que já foi seu, mas com um jogador como Doumbia à sua frente – que na teoria é melhor jogador – a verdade é que o internacional costa-marfinense tem tudo para ser a nova referência na “posição 6”.

Foto de Capa: Sporting CP

Comentários