Em Portugal, existe o hábito de os clubes grandes emprestarem jogadores da formação, em vez de serem apostas em jogos com menos importância da equipa principal, como os jogos da Taça de Portugal ou da Taça da Liga, por exemplo. Os critérios para jogadores da formação costumam ser sempre muito apertados e muitos deles acabam por nem sequer vestir a camisola da equipa principal, incluindo alguns que até tinham talento e cabeça para tal.

O Sporting não é um clube diferente dos que foram falados acima e, infelizmente, existem alguns casos de jogadores que, no meu ver, têm todas as capacidades necessárias para vestir de verde e branco. Tendo em conta a derrota para a Taça de Portugal, pode-se afirmar que o caminho que o clube leonino está a percorrer não é o mais correto. Aliás, não é descabido afirmar que se alguns dos jogadores que estão emprestados estivessem na equipa principal, a história teria sido outra e provavelmente ainda estaria na Taça de Portugal.

Como tal, jogadores como Matheus Pereira, Francisco Geraldes, João Palhinha ou até mesmo Gelson Dala, seriam boas alternativas para o plantel. Matheus Pereira é um jogador bastante técnico que sabe “tratar” muito bem a bola, executa bons passes e normalmente quando sai do banco de suplentes, mexe com o jogo e essa característica é muito difícil de encontrar nos jogadores. É criticado pela falta de empenho a defender e por ser algo lento nos processos, mas tais problemas só se resolvem jogando, porque tais factos eram sinal de falta de ritmo por parte do jogador.

O médio é um dos jogadores que nunca mereceu ser aposta efetiva de verde e branco
Fonte: Sporting CP

Já o caso de Francisco Geraldes é diferente, pois a sua qualidade é inegável e, por alguma razão, raramente é uma aposta séria na equipa principal. É um jogador muito evoluído intelectualmente e pensa muito bem o jogo, e tudo isso aliado à sua qualidade fazem lembrar jogadores como Rui Costa ou Luís Figo, mas muitas vezes é criticado por ser algo individualista. Em certa parte concordo, mas num clube que num ano teve três treinadores, é muito difícil assimilar todas as ideias dos treinadores e por vezes os jogadores tentam “criar” o jogo por eles próprios. Tais defeitos são resolvidos com acompanhamento por parte quer do clube quer do treinador.

Já João Palhinha e Gelson Dala são jogadores que estão a uma maior distância de serem jogadores importantes na equipa principal, mas uma equipa não é só constituída por jogadores importantes, também é necessário ter jogadores que quando “saltem” do banco de suplentes, consigam fazer a diferença. Nesse contexto, tanto o jogador português como o jogador angolano, seriam opções válidas para integrarem a equipa principal.

Em tempos de crise, há que poupar e valorizar o que é da casa. Tem que ser com essa ideia que o Sporting tem de trabalhar, ao invés de termos jogadores emprestados como o caso de Fernando, que na minha opinião foi uma das piores contratações que o clube leonino fez nos últimos tempos.

Foto de Capa: Sporting CP

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários

Artigo anteriorFIFA Esports Portugal #1
Próximo artigoO início de uma longa caminhada
O João é estudante de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. O Sporting é o seu clube do coração e apesar de não ir a tantos jogos como gostava, acompanha sempre tudo o que envolve o mundo leonino. O João também se mantém informado não só sobre o futebol internacional, considerando o futebol Inglês o melhor, mas também como as modalidades leoninas.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.