sporting cabeçalho generíco

Já que hoje em dia, um jornal/jornalista desportivo mais parece o mercado em bolsa, onde o que impera é a especulação de mercado, vou também eu especular, se me derem licença.

Não estou a querer-me comparar a esses profissionais, mas talvez alguns deles sejam tão jornalistas quanto eu. Incluo aqui aos comentadores desportivos, também eles e em grande parte, jornalistas.

Há uns tempos atrás, apareceu um senhor com promessas de que iria colocar tudo em pratos limpos, que todas as “falcatruas” que tinham levado o seu clube do coração para o buraco seriam reveladas através de uma extensa auditoria. A isto, juntaram-se comentários e promessas de que no futebol leonino tudo deveria ser clarificado, e que se alguém tinha feito algo de errado deveria pagar por isso.

Devo dizer que, sabendo agora o que sei, me pareceu que essas pessoas nunca pensaram que essas auditorias ou revelações alguma vez seriam feitas, ou que a montanha iria parir um rato.

Quando começaram a sair notícias de resultados preliminares das auditorias e onde eram referidos alguns nomes credíveis, eis que essas personagens , até então hibernadas – tal como os animais que hibernam, estes comeram até ficarem bem gordos e depois retiraram-se para a toca – saíram a terreiro mandar umas “bujardas” contra o actual presidente e contra o desplante de tal auditoria. Talvez para tentarem desviar atenções deles próprios ou então para ver se as atenções se viravam para outra coisa qualquer que não os resultados finais que iriam sair.

A coisa pegou, porque os tais jornalistas fizeram questão de pegar, mas pegou de forma insuficiente e então as tais personagens voltaram ao refúgio das suas tocas – onde se mantêm até hoje – talvez tentando não puxar muito as atenções para eles. José  Roquette ainda veio mandar uns “bitaites” antes do derby do fim de semana passado, mas como o resultado não foi o pretendido, voltou a calar-se e a desaparecer quase à velocidade de um rocket.

Por esta altura os jornalistas colocam em causa a auditoria recente, única e exclusivamente pelos resultados que são apresentados na mesma, e onde a conclusão óbvia é a que o trabalho dos dirigentes anteriores deixou, em muito, a desejar. O objectivo claro destas críticas e especulações é o de minimizar a credibilidade tanto das empresas auditoras como o da direcção leonina, tentando fazer crer que existe uma vendetta pessoal de Bruno de Carvalho contra aqueles que no passado lhe fizeram frente.

Durante o reinado da Aristocracia Credível, o Sporting contraiu dívidas a rondar os 330 milhões de Euros. Fonte: Record
Durante o reinado da “Aristocracia Credível”, o Sporting contraiu dívidas a rondar os 330 milhões de Euros.
Fonte: Record

 

Então agora vou começar a especular.

Sabemos todos que o futebol só vive e sobrevive porque existe corrupção. É esse o grande aliciante das empresas para participarem nesse desporto, porque também só assim se retiram lucros elevados. Podem dizer que não pode ser assim porque as grandes empresas não gostam de ver o seu nome associado a corrupção – Sim, pois claro –  mas, a verdade é que essas empresas, mal surgem notícias, põem-se logo ao fresco com essa desculpa, não deixando de ter nos seus bolsos o seu quinhão de tostões. E tudo o que ganharam compensa um arranhãozinho na imagem da mesma, ou não fosse o pessoal do futebol tão bom a esquecer estas coisas depois de uma taça ganha pelo seu clube.

Com todas a últimas notícias de corrupção e tal – FIFA’S e afins – e como tudo vale mesmo dar o dito por não dito, é fácil pensarmos que o futebol é uma mentira e onde ganha quem paga melhor. Senão porque será que incomoda tanto ao organismo que que controla o futebol colocar uma simples tecnologia como a de linha de baliza?

Vou especular também que, com tudo isto, os próprios jornalistas poderão receber qualquer coisinha para lançar noticias, ou mesmo porque vivem do futebol, e se o futebol se desmoronar também ficam sem nada para fazer e comentar.

Assim, pergunto: Mas alguém, do mundo do futebol, estará interessado que este seja um desporto transparente? Eu respondo que sim. Alguém que tenha chegado agora ao futebol, que só pense em ver o seu clube ganhar, que não esteja “entalado” em nenhum esquema e que ainda não esteja minado pelo próprio sistema. Há quem o compare a um antigo presidente do Benfica, mas para os que vêm falar de Vales e Azevedo, peço que me digam quantos títulos esse senhor ganhou durante o seu mandato, e em todas as modalidades? Ou o que fez ao andebol do clube encarnado?

Só alguém assim poderá querer tentar colocar alguma transparência nisto; mas a verdade é que vai ter que levar muita porrada no processo. Porquê? Porque parece-me que já ninguém olha para o futebol como um desporto em que ganha o melhor mas onde os interesses ditam tudo, desde resultados a quem organiza um Mundial de futebol.

Porque, nesse mundo, são todos gatos de rabo preso, e se aparecer um  leão a querer puxar um qualquer cordelinho desse novelo, pode haver muitos gatos a ficarem sem rabo.

Mas, lá está, tudo isto é meramente especulativo.

 

Foto de Capa: A Bola.pt

Comentários