Anúncio Publicitário

sporting cp cabeçalho 1

Prefiro sempre acreditar.  Quando uma revista de suposta reputação coloca o nosso treinador em décimo lugar da tabela Mundial eu acredito. Acredito com a mesma força com que ainda acreditava na última jornada em Braga. Outro exemplo: mesmo nas épocas em que, a meio do campeonato, já estávamos a vários pontos eu também acreditava. Um fanático acredita sempre: eis uma regra.

Há uns meses escrevi que ser Sportinguista, hoje, não é uma tarefa fácil, sendo, por isso, digna para muito poucos. Tenho um vizinho que gosta tanto do Balakov e do Acosta como da própria mulher. Quando me encontra no prédio, diz-me sempre que antigamente é que era. Repete sempre as mesmas demandas: a história do célebre golo que a estrela Búlgara marcou ao Benfica e, depois, a primeira época despercebida do Argentino, seguindo-se a história que se sabe na época do milénio. Nesse texto, há meses atrás, salientei também a sorte dos sportinguistas que, em plena constituição cerebral capaz de adquirir e registar, puderam guardar na memória o sabor de ter duas vitórias em dois campeonatos quase seguidos. Devo frisar que não trocava de lugar com o meu vizinho, servindo-me bem esta ansiedade que se redobra a cada época, sempre na certeza de que, mais tarde ou mais cedo, vou ver o sucessor do Iordanov a pedir licença ao Marquês de Pombal enquanto lhe mexe no pescoço.

Anúncio Publicitário
Uma das eternas figuras no reino do Leão Fonte: Fórum SCP
Uma das eternas figuras no reino do Leão
Fonte: Fórum SCP

Isto é apenas uma forma de, chegando até aqui, voltar a escrever: eu acredito. Parece um slogan batido, uma expressão romântica, um prenúncio de epopeia. Mas é tudo aquilo que digo quando me pedem expectativas sobre aquilo que vai começar para o mês que vem. Eu acredito. E, se noutros anos a esperança era menos sustentada, este ano o argumentário é forte. Como se não bastasse ter a espinha dorsal da melhor equipa da Europa (para não doer tanto aos cépticos, vamos poupar a história da formação em geral), temos também o décimo melhor treinador do Mundo, que conseguiu esta proeza não sendo campeão. Imaginemos caso tivesse sido. Realçou a revista, como critérios, que Jorge Jesus fora capaz de bater recordes no Sporting, de atingir uma pontuação considerável e de ter sido preponderante na final afirmação de alguns dos melhores jogadores portugueses da actualidade. Aqui está um dos elementos que, sportinguistas, bem nos pode deixar com as costas quentes.

Anúncio Publicitário