A CRÓNICA: O ADÁN DE UNS, É O IVO RODRIGUES DE OUTROS

Os minhotos continuam sem perder contra o Sporting CP desde que subiram à Primeira Liga e viu-se, no empate de hoje (1-1), no Estádio Municipal de Famalicão, um vislumbre da qualidade famalicense que remonta há dois anos.

Foram, ao todo, três as alterações implementadas pir Rúben Amorim no onze inicial. Nuno Mendes voltou ao onze e relegou Vinagre para o banco, Neto deu lugar a Feddal, e Nuno Santos viu o seu lugar ser ocupado por Jovane Cabral.

Do lado famalicense houve igual número de mexidas: entraram Pickel e Marcos Paulo, oficializados no decorrer da última semana, e saíram David Tavares e Pablo, respetivamente. A restante mudança no onze deu-se no eixo central da defesa, com Penetra a ocupar o espaço de Batubinska na linha mais recuada do emblema do Minho.

A primeira parte terminou sem qualquer golo na partida. Leões e famalicenses tinham um plano de jogo bem estruturado, mas que não funcionou na perfeição. A posse de bola e as oportunidades estiveram sempre igualmente distribuídas, mas Ivo Rodrigues teve, por duas vezes, nos seus pés as duas grandes chances de inaugurar o marcador. No entanto, um nome entre os postes impossibilitou que isso acontecesse: Adán, que se impôs com duas tremendas defesas.

Anúncio Publicitário

Do outro lado, o campeão em título pareceu algo tímido nas aproximações à baliza e desconcentrado quando necessitava de penetrar o último terço do terreno.

Na segunda parte, percebeu-se que o problema sportinguista estava, principalmente, no meio-campo, com uma exibição menos conseguida de Matheus Nunes no que ao apoio à linha defensiva diz respeito. O médio brasileiro facilitou em alguns momentos e perdeu posição noutros, abrindo espaços bem aproveitados pelo FC Famalicão.

Ivo Vieira viu bem os estragos que estava a conseguir causar ao campeão nacional e apostou ainda mais nas transições, e foi assim mesmo que surgiu o primeiro golo do emblema da casa, que depois foi concretizado por Nuno Mendes, num autogolo algo caricato. O empate chegou depois de uma incessante procura e uma pitada de desespero leonino, que culminou no pé de Palhinha para anular a vantagem no marcador e selar o resultado final

Com este resultado, o Sporting CP fica em igualdade pontual com o FC Porto na primeira posição do campeonato. Já o FC Famalicão soma os primeiros pontos no campeonato, naquela que pode ser uma boa forma de motivar os pupilos de Ivo Vieira na procura por mais.

A FIGURA

Foto: Carlos Silva / Bola na Rede

Adán – Que jogaço, Adán! É caso para se dizer que o Sporting CP tem um novo santo na baliza depois de São Patrício. Foram, pelo menos, quatro as grandes defesas do espanhol, mas é possível que me tenha perdido na conta a meio do jogo.

 

O FORA DE JOGO

Sporting CP
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Matheus Nunes – Saiu a convocatória do “escrete” e, com ela, a concentração do jovem talentoso médio do Sporting CP. Errou várias vezes em pormenores que nem são típicos dele e pode-se, portanto, considerar um jogo atípico do atleta, mas que pode muito bem ter custado a vitória leonina.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC Famalicão

 As novas contratações Pickel e Marcos Paulo pareceram encaixar bem no 4-2-3-1 de Ivo Vieira. Os dois novos elementos do plantel fortaleceram as transições ofensivas do FC Famalicão. Pickel, através da qualidade de passe que lhe é reconhecida e na calma no momento de colocar o esférico, e Marcos Paulo, com movimentações que permitiam aos alas jogar entre linhas e desmarcarem-se para o golo – como foi o caso de Ivo Rodrigues.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Luiz Junior (5)

Figueiras (6)

Penetra (6)

Riccieli (6)

Rúben Lima (5)

Pepe (6)

Pickel (6)

Ivo Rodrigues (7)

Ivan Jaime (6)

Bruno Rodrigues (5)

Marcos Paulo (6)

SUBS UTILIZADOS

David Tavares (5)

André Ricardo (-)

Ofori (-)

Alex (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – Sporting CP

 Rúben Amorim é fiel ao esquema que introduziu no SC Braga e continua a não abdicar dele no Sporting CP, depois da boa época transata. Dito isto, os três centrais mantiveram-se, mas neste jogo foram expostas debilidades do trio que raramente se veem, pelo menos de forma tão notória. Coates voltou a exibir a lentidão que lhe era apontada há dois anos e houve desconcentração em certos momentos na saída com bola. Tudo isto culminou num jogo pouco conseguido, a nível tático, por parte dos leoninos.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Adan (8)

Inácio (5)

Coates (5)

Feddal (5)

Esgaio (5)

Palhinha (6)

Matheus Nunes (4)

Nuno Mendes (6)

Pote (6)

Paulinho (5)

Jovane (5)

SUBS UTILIZADOS

Porro (6)

Nuno Santos (5)

Bragança (6)

Tiago Tomás (-)

Tabata (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

 

FC Famalicão 

BnR: Os reforços pareceram adaptar-se bem à ideia e ao esquema tático. Quais as características deles que explorou contra um Sporting CP tão sólido a nível defensivo?

Ivo Vieira: “O que lhes peço é para desfrutarem do jogo, sempre de olhos postos na baliza do adversário, algo que fizemos menos vezes no passado. Mas a preparação do jogo é feita de uma forma muito natural contra uma equipa fortíssima defensivamente e no jogo aéreo, e os atletas fizeram o seu melhor, tanto os reforços como os que já cá estavam, mas precisavam de um enquadramento melhor, coisa pela qual me responsabilizo, para poder vir ao de cima o rendimento deles“.

 

Sporting CP

BnR: Os centrais pareceram algo expostos a passes de rutura do FC Famalicão. O que falhou ali hoje no Matheus Nunes, que costuma dar tão bem o apoio necessário aos centrais?

Rúben Amorim: Foi mais a distância, fazer passes quando não estamos pressionados e a uma distância muito grande dos setores. O facto de o defesa fazer um passe e perdermos a bola com passes interiores, ficamos muito expostos, porque vêm jogadores lançados e depois é difícil fazer a nossa linha nesta situação. Portanto, foi com bola que tivemos os problemas defensivos, é com bola que temos que melhorar“.

Artigo revisto por Gonçalo Tristão Santos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome