sporting cabeçalho generícoApós o empate caseiro frente ao CD Tondela e à derrota para a Taça da Liga em Portimão, o Sporting apresentou-se no Estádio Capital do Móvel com o seu onze habitual; a única novidade foi a entrada de Paulo Oliveira para o centro da defesa por troca com Ewerton, muito provavelmente pelos erros defensivos apresentados no jogo da passada sexta-feira. Assim, Jorge Jesus mostrou claramente que não queria deixar a liderança da Liga Portuguesa, pressionado pela vitória do SL Benfica no jogo da tarde.

Os leões cedo se colocaram no meio campo do Paços de Ferreira, contudo, esse domínio territorial nunca passou para um controlo total da partida, permitindo à equipa visitada ter algumas jogadas de relevo e muitas faltas a seu favor. João Pereira sofreu bastante no seu corredor com as investidas de Edson Farias – um dos elementos mais em foco dos “castores” – assim como Jefferson do lado oposto com Barnes Osei.

O esquema táctico utilizado pelos pacenses demonstrava um especial cuidado com o meio campo leonino – algo já utilizado com o Tondela na jornada anterior – colocando Romeu Rocha como o principal destruidor de jogo, auxiliado por Hélder Lopes, tentando assim roubar de forma célere bolas aos leões e sair em contra-ataques rápidos.

O Sporting, no seu esquema táctico habitual, foi aumentando cada vez mais a pressão perto da área do Paços de Ferreira e começou a assustar o guardião Marafona. Bryan Ruiz e Adrien foram os primeiros a colocar em alerta o jovem português, dando um prenúncio para o golo leonino, marcado por Bruno César, sendo que grande parte do mérito foi de Slimani, aproveitando da melhor forma a distracção da defesa pacense no seguimento do lançamento de linha lateral.

No minuto seguinte, João Mário fez a barra da baliza adversária estremecer com um grande remate, numa jogada que demonstra toda a classe do internacional português. Pouco depois, Artur Soares Dias apitou para o intervalo na Mata Real, indo assim o Sporting em vantagem para o descanso.

Anúncio Publicitário

Ao contrário dos últimos encontros, os leões chegavam ao final da primeira parte a vencer e demonstravam uma concentração muito superior à de jogos anteriores, transformando – até aquele momento – uma partida num campo sempre difícil em uma vitória merecida.

João Mário voltou a encher o campo e fez uma primeira parte acima da média Foto: Sporting CP
João Mário voltou a encher o campo e fez uma primeira parte acima da média
Foto: Sporting CP

Jorge Simão tentou mexer na equipa logo no início da segunda parte e fez entrar Christian, marcador do golo do Paços em Alvalade no jogo da Taça da Liga, mas sem sucesso. O Sporting intensificou ainda mais o domínio, não deixando os visitados criar perigo, chegando com alguma naturalidade ao 2-0, apontado pelo suspeito do costume: Islam Slimani. O ponta de lança argelino respondeu da melhor maneira a um excelente passe de João Mário, que rasgou por completo a defesa dos “castores”.

Confortável no encontro, o Sporting continuava a rondar a baliza de Marafona e ameaçava chegar ao terceiro golo ao mesmo tempo que, no banco, Jorge Jesus fazia mexidas na equipa, sendo já nos dez minutos finais que o encontro voltou a subir os níveis de interesse. Primeiro, com o golo de Bruno Moreira, num cabeceamento cheio de intenção e que colocou em alerta os jogadores leoninos. Dois minutos depois, aos 84, João Mário descobre Slimani sozinho na área e o avançado faz o que melhor sabe.

Nota também para o jogo bem conseguido de William Carvalho; o médio do Sporting tem sido uma sombra de si mesmo esta temporada, mas hoje muito do pouco jogo do Paços pela zona central foi mérito seu.

O segundo golo de Slimani veio acabar com as esperanças do Paços de Ferreira, e os minutos finais foram disputados a um ritmo lento e sem mais oportunidades de perigo. Os leões acabaram assim por vencer num terreno que já lhes trouxe muitos dissabores em épocas anteriores. Mérito para os jogadores que vieram com uma mentalidade e níveis de concentração acima dos dos encontros anteriores, transformando um jogo complicado numa vitória sem qualquer tipo de dúvidas, voltando assim a recuperar o seu primeiro lugar no campeonato.

A Figura:

Slimani – Esteve nos três golos do Sporting, assistindo Bruno César no primeiro e marcando os dois seguintes. Num jogo em que João Mário esteve num nível incrível, o argelino leva o “prémio” pelo seu contributo decisivo em termos de resultado.

O Fora-de-Jogo:

João Pereira – Uma primeira parte em que sofreu a bom sofrer com Edson Farias, acumulando faltas e onde o cartão amarelo surgiu com toda a naturalidade. O lateral direito dos leões é sem dúvida o calcanhar de Aquiles deste Sporting de Jorge Jesus.

Foto de Capa: FPF