sporting cp cabeçalho 2

Estou seriamente a ponderar cancelar o meu serviço da Vodafone. Ridículo copiarem uma mensagem que é capa de um jornal desportivo. Para que a informação seja clara e transparente, porque a Supertaça Cândido de Oliveira também conta, o último título do Sporting foi a sua conquista a 08-08-2015. Conta feita, desde então, arrisco-me a dizer que os 903 dias anunciados estão errados.

 Os festejos depois de eliminar FC Porto na meia-final da Taça CTT Fonte: Sporting Clube de Portugal
Os festejos depois de eliminar o FC Porto na meia-final da Taça CTT
Fonte: Sporting Clube de Portugal

Depois da ausência de futebol, praticado pelo Sporting na primeira parte, fiquei surpreendido com a conquista da Taça CTT. Com os nervos em flor e de tanto salivar de raiva, mais depressa colava cem selos em envelopes do que o Bryan Ruiz fazia uma finta a um jogador sadino. A mania de inventar quase tramou o treinador leonino. Como é possível arriscar numa frente sem qualquer tipo de explosão e velocidade? E porquê numa final? Será possível, com tantas partidas efectuadas, ainda não estar convencido de que Bruno Fernandes não pode jogar atrás? Será possível que Battaglia, de um momento para o outro, deixou de ter qualidade? A segunda parte justifica estas observações. Com Acuña, Battaglia e Bruno Fernandes mais à frente, o Sporting ganhou alma, ganhou intensidade e muita qualidade. “Ah, só quem está no convento é que sabe o que lá vai dentro” – sim é verdade, não tiro mérito a quem arrisca mas tiro, com certeza, uns quantos cabelos com tantas más opções que afugentam até os mais crentes.

Depois do empate para o campeonato, o presidente leonino reivindicou um discurso de quem trabalha muito e tem pouco êxito. “Um soco no estômago” que mais parecia um tiro de caçadeira capaz de depenar metade das galinhas deste planeta. Um discurso infeliz de quem salienta estar à frente de uma instituição como a do Sporting Clube de Portugal. Bruno de Carvalho não se pode esquecer de que representa os sócios e que da mesma maneira que foi eleito, pode ser destituído. Tem uma enorme avalanche de apoio – disso não há dúvida. O trabalho realizado até agora, tanto financeiramente como a nível competitivo também deve ser enaltecido. Mas, se os títulos faltarem, quantos seguidores se irão perder? Futsal, andebol e outras modalidades serão suficientes para debater a ausência de títulos nacionais no futebol sénior? Só os adeptos e sócios do Sporting poderão ter a última palavra. O que é facto é que o discurso foi lamentável e o Sporting precisa de mais respeito e seriedade.

"El Avioncito" regressou para erguer para uma taça Fonte: Sporting Clube de Portugal
“El Avioncito” regressou para erguer para uma taça
Fonte: Sporting Clube de Portugal

O primeiro feito da temporada foi alcançado, bem à moda do engenheiro Fernando Santos. Apenas uma vitória em toda a competição foi suficiente para levantar o caneco. Mas é preciso não esquecer que ainda estão patentes muitos defeitos. Para uma equipa que já gastou mais do que orçamento inicial não é admissível que volte a cometer, sistematicamente, os mesmos erros. É preciso, e exige-se, mais qualidade neste Sporting – afinal a competição acabada de vencer nunca será relevante ao ponto de os adeptos perdoarem gorar a conquista do título.

Foto de Capa: Sporting Clube de Portugal

Texto revisto por: Teresa Lopes

Comentários