Félix Correia, aos 18 anos, transferiu-se para o Manchester City, após ter feito a sua formação na Academia de Alcochete. O jovem internacional português foi assim mais um dos jovens que se mudou para um clube com outro poderio financeiro, sem se estrear com a camisola da equipa principal. O extremo português rubricou um contrato válido até 2024 com os “citizens”, integrando a equipa sub-23 do clube de inglês.

O jovem formado em Alcochete representou o Sporting durante dez temporadas, desde a época 2009/2010. Estando apenas a um ano de terminar o contrato com os leões, acabou o clube de Alvalade por conseguir um mal menor. O Sporting tentou prolongar o vínculo de Félix Correia propondo o melhor contrato de sempre a um jovem da formação, sendo esta proposta recusada. Perante isto, o jovem jogador ficaria, dentro de seis meses, livre para assinar por qualquer clube a custo zero. Assim, Félix Correia transferiu-se por uma verba a rondar os 3.5M€, ficando o Sporting com 10% de uma futura transferência, além do mecanismo de solidariedade no futuro.

Félix Correia brilhou de leão ao peito, sendo um jogador muito influente na equipa sub-19, onde realizou 25 jogos e marcou nove golos na temporada 2018/19. Sendo ainda internacional português nos vários escalões, somando 43 jogos e 13 golos entre os sub-15 e os sub-19. Recentemente, no Euro Sub-19, foi um dos atletas que ajudou Portugal a vencer a medalha de prata. É um jovem extremo muito veloz, tecnicamente muito evoluído e com boa capacidade de finalização.

Depois de dez anos no clube, o jovem extremo ruma ao todo-poderoso Manchester City FC
Fonte: FPF

O jovem formado na Academia de Alcochete é mais um dos jovens que cede ao “assédio” de clubes com outra dimensão financeira. Se olharmos para as várias seleções jovens, existem muitos atletas que não sendo seniores e sem fazer a sua estreia na equipa principal do clube formador, optam por vestir as cores dessas camisolas.

Recorde-se, por exemplo, que o Manchester City recentemente foi multado em 340 mil euros por quebrar regras de transferência internacionais de jogadores menores. Esta é uma prática comum a muitos clubes europeus. O futebol português tem como base a sua aposta na formação, devendo cada vez mais ser uma realidade. Por isso, os clubes portugueses serão sempre formadores, tendo de lidar com esta realidade, perdendo ativos muito prematuramente.

Félix Correia é, de facto, um dos grandes talentos da sua geração. Agora, ao serviço do Manchester City, que possa continuar a evoluir, que um dia se possa estrear no Etihad Stadium e faça sonhar os adeptos britânicos. Por cá, ficarão na memória os golos, as vitórias, os dribles e as jogadas de Félix Correia de leão ao peito, nos últimos dez anos.

Foto de Capa: Sporting CP

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários