O meio campo leonino é o setor onde José Peseiro terá mais dificuldades em definir. Comparando as opções existentes atualmente com as opções que tinha Jorge Jesus na temporada passada, William Carvalho é a única ausência para a temporada que se aproxima – e que ausência.

Depois de confirmados os “regressos” de Battaglia e Bruno Fernandes, teoricamente a tarefa ficaria mais facilitada para o mister, tendo em conta que apenas teria de encontrar o substituto de William Carvalho que rumou ao Betis.

Nos jogos realizados durante a pré-época, o timoneiro leonino fez vários testes, utilizando vários jogadores para ocupar as posições mais centrais no terreno de jogo. No entanto, os jogadores eleitos pelo técnico leonino para constituírem o “miolo” verde e branco no último teste de pré-época foram Battaglia (regressado ao clube depois de rescindir), Misic e Bruno Fernandes (regressado ao clube depois de rescindir) e considerando que à partida o último onze utilizado antes de iniciar o campeonato é aquele que se aproxima mais do onze “tipo” do técnico leonino, provavelmente serão os eleitos para o arranque do campeonato diante do Moreirense.

Numa pré-temporada em que jogadores como Francisco Geraldes e Wendel foram os principais destaques na equipa verde e branca, era de perspetivar uma boa temporada para esta dupla, no entanto apenas Wendel poderá realmente dar o seu contributo com a listrada verde e branca depois de Francisco Geraldes ter rumado à Alemanha a título de empréstimo para representar o Eintracht Frankfurt, segundo se consta por considerar que o regresso de Bruno Fernandes iria reduzir o seu espaço na equipa leonina.

Na minha opinião, a melhor opção para preencher a vaga deixada por William Carvalho estaria encontrada internamente, apostando no jovem português que voltou a ser emprestado – Francisco Geraldes. Apesar de não apresentar as mesmas características do agora jogador do Bétis, é um jogador que poderia jogar no apoio a Battaglia e Bruno Fernandes e por vezes inverter “papéis” com o número oito dos leões – poderia fazer recordar o meio campo constituído por William Carvalho, Adrien Silva e João Mário (o melhor meio-campo leonino dos últimos anos).

Anúncio Publicitário
Um diamante por lapidar
Fonte: Sporting CP

Para completar o trio do setor intermédio (ao que tudo indica será a tática eleita pelo mister), José Peseiro tinha ainda como opções João Palhinha, Petrovic, Bruno César (adaptado) e Matheus Oliveira. Numa análise superficial nenhuma destas opções parece ser válida para o timoneiro verde e branco. O português (mais um da formação) acabou por ser cedido ao Braga a título de empréstimo e os restantes continuam na porta de saída de Alvalade.

Apesar de ser apreciador de algumas características de Misic e Wendel, considero que neste momento não reúnem as condições para serem titulares no meio campo leonino durante a longa temporada que se aproxima. Assim sendo, este “dossiê” exigia uma rápida e eficaz resolução, através da aquisição de um centro-campista que reunisse as condições/capacidades para jogar nesta zona do terreno e tentar fazer esquecer William Carvalho.

Após algum tempo de negociações com a Juventus pelo italiano Sturaro, foi confirmado o empréstimo do jogador a troco de dois milhões de euros. Acredito que pode ser um jogador importante nas manobras da equipa leonina – só resta esperar que atinja os índices físicos desejados depois de uma lesão contraída no joelho esquerdo.

Uma equipa com um meio campo forte estará sempre mais próxima de vitórias.

Força, Sporting Clube de Portugal!

 Foto de Capa: Sporting Clube de Portugal

artigo revisto por: Ana Ferreira