Têm sido de ouro os minutos finais dos jogos do Sporting CP. Finda mais uma vitória dramática, desta feita em Barcelos, a turma verde e branca é cada vez mais líder do campeonato nacional – são agora oito pontos de vantagem face ao segundo classificado, o FC Porto. Se o mote dado por Rúben Amorim tem sido o de “jogo a jogo”, os leões têm aproveitado muito bem cada segundo de todas as partidas, nomeadamente os últimos 15 minutos do tempo regulamentar.

Anúncio Publicitário

A partir dos 75 minutos, a turma de Rúben Amorim já leva 14 golos, o que perfaz 37% dos tentos apontados pela equipa no campeonato. Na presente temporada, o Sporting CP já garantiu a vitória quatro vezes no tempo de compensação, se contarmos todas as competições: primeiro, foi Sporar frente ao SC Farense (90+1’); depois, Jovane contra o FC Porto (90+4’); Matheus Nunes no embate contra o SL Benfica (90+2’); e, finalmente, o capitão Coates na partida ante o Gil Vicente FC (90+1’).

São já 13 (!) pontos conquistados no campeonato apenas nos últimos dez minutos. Para além dos jogos citados anteriormente, destaque para o golo do empate marcado por Vietto, frente ao FC Porto (87’), e os três golos da reviravolta, em Alvalade, diante do Gil Vicente FC, apontados por Sporar, Tiago Tomás e Pedro Gonçalves (82’, 84’ e 90+6’).

Tiago Tomás, também conhecido como TT, consumou a primeira reviravolta dos leões, frente ao Gil Vicente FC
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Olhando para o outro lado da moeda, sete dos dez golos sofridos pelo Sporting CP no campeonato ocorreram nos primeiros 45 minutos. Apenas frente ao FC Famalicão a turma leonina sofreu golo nos últimos 25 minutos, com um golo apontado por Jhonata Robert aos 89’, que ditou o empate (2-2). Exceção feita a esse golo, o tento mais “tardio” sofrido pelo Sporting CP foi diante do Rio Ave FC em casa, com Gelson Dala a fazer o gosto ao pé aos… 61 minutos, sentenciando o resultado final (1-1). Por fim, o brasileiro Lucas Mineiro, do Gil Vicente FC, também conseguiu marcar na segunda parte frente aos Leões (52’).

Posto isto, para além do evidente salto qualitativo da época passada para a presente, é igualmente notória a diferença de atitude da equipa do Sporting CP. Se analisarmos o histórico recente, eram recorrentes os golos sofridos nos últimos minutos, que acabavam, invariavelmente, por comprometer as aspirações do clube nas competições que disputava, algo que tem acontecido muito pouco na atual temporada, principalmente no campeonato.

As mudanças no eixo defensivo foram decisivas. Neste momento, o setor apresenta-se com muito maior equilíbrio, experiência e concentração, aliada a um espírito de entreajuda e de união que tinha faltado nos últimos anos. Já os jogadores e a equipa técnica sabem bem da responsabilidade que têm em mãos e o que significaria para os associados um possível título do clube leonino.

Onde vai um, vão todos. Jogo a jogo… até ao último segundo!

Artigo revisto por Mariana Plácido

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome