Super Mário Jardel. 62 jogos. 67 golos. Um título de campeão nacional. Isto tudo só ao serviço do Sporting Clube de Portugal.

Num texto relativo a Super Mario Jardel, há uma palavra que não pode nunca faltar: golos. Ganhou a bota de ouro em dois anos só no nosso país (uma ao serviço do FC Porto e outra ao serviço do Sporting – 1998/99 e 2001/02, respetivamente) – um titulo pessoal marcante, que não está ao alcance de qualquer um.

Cruzamento de João Pinto e golo de Mario Jardel. Onde é que já vimos este filme, não é verdade? Ai quem me dera voltar a ter esta dupla. Segundo me contam, era ainda muito miúdo, dava um gozo enorme ver os cabeceamentos do avançado brasileiro.

Dono de um jeito único para cabecear, e sempre bem posicionado, Super Mário Jardel sabia sempre o que fazer quando chegava a hora do golo. Quer seja de cabeça, de pé direito ou até de pé esquerdo, o matador formado em terras brasileiras raramente vacilava.

Super Mário fazia questão de festejar sempre desta forma quando fazia o golo
Fonte: O Leão da Estrela

Esta fotografia demonstra ainda uma coisa que marcou a passagem de Super Mário pelo Sporting. O facto de exibir uma camisola branca com a pergunta “Será?” nunca será esquecido e deixou água na boca a todos os adeptos leoninos. Lá para o final da época, veio-se a saber que era do Guaraná. Ele sabia do que era, nós sabíamos o que era: golos.

Foto de Capa: Super Sporting

 

Comentários