A pré-temporada decorre e os comandados de Rúben Amorim já preparam o embate da Supertaça, frente ao SC Braga, que iniciará os jogos oficiais da época. Esta é uma fase de escolhas e estudo, mas também de entradas e saídas do plantel.

O Sporting CP possui vários excedentários a treinar à parte na academia de Alcochete, assim como alguns jogadores que, estando ausentes de Portugal, não contam para o jovem treinador português. De acordo com o site Transfermarkt, e com os respetivos valores de mercado dos atletas em questão, os cofres leoninos deveriam encaixar mais de 30 milhões com as suas vendas. Porém, sabemos que isto é apenas no papel.

Neste artigo, analiso os 13 jogadores que não irão envergar a camisola do Sporting CP e faço-a dividindo as categorias por cada setor do campo:

  • Guarda-redes

Na posição de guarda-redes, Renan Ribeiro é o nome que surge. O brasileiro, de 31 anos, que em tempos foi o titular da baliza leonina, treina em Alcochete com o grupo de dispensados, esperando uma rescisão de contrato com o Sporting CP, sendo que o mais provável é o clube de Alvalade não ser ressarcido pela sua saída. A rescisão amigável será a melhor solução para ambas as partes.

Anúncio Publicitário
  • Defesas

Em relação aos defesas, há quatro nomes em cima da mesa. Rosier parece cada vez mais próximo do Besiktas, numa transferência que rondará os cinco milhões de euros, mais meio milhão em objetivos, tudo por 80% do passe. A confirmar-se, será um negócio vantajoso para o Sporting CP, visto que a vontade de ambos os lados é a saída do francês.

Quanto a Ivanildo Fernandes, Ilori e Lumor, não tenho esperança de grandes verbas envolvidas nas transferências destes jogadores. Porém, apesar de a rescisão amigável ser o caminho mais fácil, acredito que a direção leonina poderia tentar arrecadar algum dinheiro com as transferências, sobretudo com Ivanildo e Lumor, que são jogadores relativamente jovens e com alguma margem de progressão.

De acordo com os órgãos de comunicação social, a saída de Rosier é um cenário quase certo.
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede
  • Médios

No meio-campo, aqueles que um dia foram titulares, estão agora na porta de saída de Alvalade – falo de Rodrigo Battaglia e Idrissa Doumbia. Ambos estiveram emprestados na última temporada e, tendo em conta as opções do atual plantel leonino, não vejo a necessidade de nenhum deles integrar os trabalhos da equipa. O melhor para os interesses do Sporting CP seria a venda dos dois ativos, que acredito que tenham algum mercado.

Já nos casos de Eduardo e Mattheus Oliveira, dois atletas que nunca se afirmaram com a camisola verde e branca, é mais difícil obter retorno do dinheiro investido. Acredito que Eduardo será vendido por uma quantia quase irrisória e que Mattheus sairá a custo zero.

  • Avançados

O setor dos avançados é aquele que me causa mais dúvidas, e é onde o Sporting CP pode ir buscar mais dinheiro. Mas vamos por partes.

Andraz Sporar esteve emprestado ao SC Braga, durante metade da última temporada. Recorde-se que o ponta de lança esloveno foi envolvido no negócio que trouxe Paulinho para Alvalade. O SC Braga não acionou a cláusula de compra de sete milhões e meio de euros, e ainda detém entre 10 a 15% de uma futura venda do avançado. Ora, se o Sporting CP não for buscar nenhum ponta de lança ao mercado, e visto que Pedro Marques pouco tem jogado na pré-temporada, penso que Sporar poderia integrar os trabalhos da equipa principal leonina. Penso que era mais uma opção útil para o ataque leonino.

Para já, o futuro de Andraz Sporar é uma incógnita.
Carlos Silva / Bola na Rede

Em 2019, Rafael Camacho foi contratado ao Liverpool FC por cinco milhões de euros. Rúben Amorim testou-o a extremo interior e a ala direito, mas em nenhuma destas posições Camacho o convenceu. O antigo internacional sub-20 pela seleção portuguesa esteve emprestado ao Rio Ave FC na temporada transata, onde apenas desempenhou 11 partidas. É claramente um flop, não só pelo preço que custou aos cofres leoninos, como pela falta de rendimento desportivo que teve. A solução que vejo para o atleta é um empréstimo para o estrangeiro, de forma a valorizar o seu passe, de modo que o Sporting CP consiga colmatar a perda financeira investida a curto/médio prazo.

No que toca a Diaby e Luiz Phellype, são dois atletas que não farão parte dos planos leoninos. O primeiro não tem espaço no plantel e o segundo não corresponde às características que Rúben Amorim pede ao ponta de lança do seu 3-4-3.

Artigo revisto por Gonçalo Tristão Santos

1 COMENTÁRIO

  1. 4 coisas caro romao obrigado por ser do clube sporar e a pergunta e o que fazer com luiz phellipe , diaby e mesmo para vender e pedro mendes ja foi emprestado outro erro e camacho la vai outra vez .
    medios sim vendam esses e pena do batta nao e da opiniao que devia ficar .
    na defesa sim lumor nem devia ter vindo e os outros e mesmo para vender e guardar memorias e hoje emprestamos o eduardo quaresma e sabe la se o futuro em tudo o lado porque nao se sabe as formaçoes secundarias .
    na baliza epa renan e um caso estranho .

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome