sporting cabeçalho generícoExiste um ditado popular que divide os lobos em dois tipos. Os que assumem que são lobos e atacam de frente as ovelhas, e os que vestem a pele das ovelhas para atacar desde o interior do rebanho.

A meu ver, os piores são os últimos acima apontados. Isto porque atacam e nunca conseguimos ver de onde surgem esses ataques. Podemos chamar-lhes bons estrategas, mas na maior parte das vezes são só oportunistas e/ou cobardes.

Este tipo de lobos esconde-se principalmente quando vê que o rebanho está unido e forte, para poder esperar por um pequeno descuido e tentar enfraquecer o grupo desde o seu interior.

No entanto, este tipo de comportamento não se restringe só aos lobos. Há por aí uns hominídeos que adoptaram estas mesmas tácticas de guerrilha.

E peço desde já perdão aos lobos por esta comparação, uma vez que o lobo faz isto por instinto e necessidade de sobrevivência. Já esses Homo Sapiens fazem-no principalmente por maldade e ganância.

Anúncio Publicitário

Tudo isto a propósito de observações várias que tenho feito nos blogues associados ao clube que tento aqui defender, onde tenho comprovado a existência de uns pseudo-adeptos/sócios, que sempre estão contra qualquer opção que seja tomada pela actual direcção.

Dir-me-ão que oposição sempre existirá, e que nem todos têm as mesmas opiniões. Entendo, se se criticarem algumas opções tomadas e se apresentarem alternativas. O facto de estar sempre contra qualquer medida vindo de determinado quadrante só porque sim nem pode ser considerado oposição (Sim, é verdade que existem pessoas que são do contra só porque sim).

Devo dizer que, infelizmente, nos corredores de Alvalade sempre se sentiu uma forte oposição interna, e tem sido isso que nos tem enfraquecido. Porque não nos podemos concentrar em lutar unicamente contra os adversários, temos também de nos preocupar com os que vivem nas nossas fileiras. É muito mais complicado ter que lutar em duas frentes do que numa única.

E, quando Bruno de Carvalho foi eleito, tenho a sensação de que conseguiu cerrar fileiras, não se ouvindo tantas vozes dos próprios órgãos sociais do clube contra a direcção em funções, até porque os “velhos do restelo” que se arrastavam por aqueles corredores foram reformados.

No entanto, apesar de reformados, passaram de “velhos do restelo” a ressabiados por terem sido colocados nos seus devidos lugares. E, como os poderes instalados são muito difíceis de extinguir, sempre se ouvirão vozes de oposição, principalmente logo após pequenas derrotas, ou em vésperas de algum evento importante que tenha mais probabilidades de se tornar mais difícil de ultrapassar.

Sei que isto sempre existiu, e sempre existirá, o que só me deixa triste.

A cobarde acção dos outdoors teve a melhor resposta possível, com a assinatura do contrato com a NOS Fonte: tvgolos.pt
A cobarde acção dos outdoors teve a melhor resposta possível, com a assinatura do contrato com a NOS
Fonte: tvgolos.pt

Agora o que me deixa preocupado é que está a surgir uma oposição que se propõe, de forma organizada, voltar os Sportinguistas uns contra os outros, chegando mesmo a mandar fazer cartazes, e organizando-se para, durante a noite, os afixar em pontos estratégicos.

É que a oposição de mandar “bocas” em blogues, e escrever nas paredes, é um pouco indiferente porque pode ser feita até por crianças de dez ou 15 anos que não sabem muito bem do que falam, mas esta oposição organizada deve preocupar todos os Sportinguistas.

Existe agora alguém que se predispõe a gastar do seu dinheiro para fazer forte oposição à direcção do próprio clube. E o pior é que essa oposição não tem cara. Esconde-se com a sua pele de cordeiro (de leão, no caso).

Podem dizer que podem não ter sido sportinguistas a fazer esses mesmos cartazes. Verdade, até porque este presidente criou vários inimigos fora do Sporting que terão todo o interesse em que este caia e para lá voltem “Roquettes” e seguidores. Mas até por isso os sportinguistas se deveriam unir ainda mais, uma vez que até agora me parece que as batalhas foram provocadas para defender os interesses do próprio clube.

Se acharem que estou enganado, expliquem-me por que razão pessoal o presidente teria que abrir guerras com empresários de jogadores, fundos, entidades rivais que criticam e tomam medidas contra Sporting.

Este texto não pretende criticar quem se opõe a algumas medidas, ou ao próprio estilo do presidente do Sporting. Gosto são gostos, opiniões são opiniões – cada um tem direito às suas. Mas até agora este presidente, que conseguiu salvar um clube da bancarrota, tem uma oposição muito mais feroz que a que tiveram presidentes anteriores que lentamente levaram a instituição à “quase” extinção.

Entendo que todas as mudanças profundas, em qualquer instituição, geram conflitos. Entendo, no entanto, também, que teria que se mudar alguma coisa, quase tudo, para mudar o rumo que o clube estava a seguir.

Esta direcção já errou? Pode ter errado. Vai errar? Tenho certeza de que vai. Mas até agora tem acertado tantas mas tantas vezes que deveria envergonhar qualquer anterior dirigente que vem para as televisões e jornais criticar erros pontuais dos que estão em funções.

E não me venham com estatísticas de títulos conquistados porque, para se poder recuperar uma instituição virada de pernas para o ar, tem que se dar prioridade à sua recuperação estrutural, e posteriormente apostar nas grandes conquistas desportivas.

Penso que, agora que o clube parece mais estabilizado, poderemos começar a pensar em lutar por títulos importantes. E, apesar do que se vende por esses jornais fora, até o conseguimos fazer gastando menos que os nossos adversários.

Com os pés bem assentes no chão, para não voltarmos ao caos financeiro e estrutural em que o clube se encontrava, acredito que esta direcção e equipa técnica conseguirão criar e gerir boas equipas de futebol para lutar por coisas importantes. Isto, claro, e como o treinador tem feito questão de referir no fim de todos os jogos, com o grande apoio de todos os sócios e adeptos do GRANDE, ENORME, SPORTING CLUBE DE PORTUGAL.

 

Foto de Capa: Sporting CP

Comentários