porta

Ponto prévio: devo assumir que a quase totalidade dos benfiquistas que conheço não retirou mérito algum à vitória do Sporting, afirmando que a equipa leonina foi superior, se deu mais ao jogo e procurou a vitória que acabou por conseguir de forma justa. Gosto de ter amigos assim, gosto de discutir futebol e “a bola” com pessoas que sabem esgrimir as suas ideias e convicções de forma clara; ontem um benfiquista disse-me que gosta de Rui Vitória, e que é uma pena que o treinador benfiquista não se consiga libertar do peso da herança – recheada de títulos – de Jesus, porque quando isso acontecer a equipa passará a ter outra atitude em campo. Apesar de não concordar, entendi o que quis dizer, e acabámos a conversa com o desejo de que o Benfica volte a ser um clube que dê luta aos leões de Jesus.

Este texto não vai para essa maioria, não vai para aqueles que sabem ver o que se passa dentro de campo; mas vai, sim, para aqueles que – com as frases feitas e a incapacidade de admitir o óbvio – não têm a capacidade e a inteligência de ver para além da cor da camisola que usam. Este texto vai para os muitos prodígios Guedes que vêem coisas onde não as há. Dizer que a melhor equipa ficou pelo caminho é um insulto à capacidade intelectual de X milhões de benfiquistas (no lugar do X coloquem um número de 5 a 20, tanto faz), repetir uma segunda vez é uma afronta aos seis anos de Jesus na Luz, anos em que a equipa encarnada ganhava regularmente – e com alguma facilidade – jogos frente ao rival; afirmá-lo ainda uma terceira vez é um sinal claro de que Guedes devia ter ido com Gaitán (As melhoras, Nico, és um dos melhores jogadores da nossa Liga) ao hospital fazer exames ao seu crânio, porque algo tem que não estar bem com o jovem jogador do Benfica.

Anúncio Publicitário

O Sporting mereceu a vitória de forma categórica e isso é inegável. Depois do golo de Mitroglou, o único remate com perigo por parte do Benfica foi por Eliseu, de fora da área, quando decorria o minuto 75… Agora diz-me, Gonçalo, 69 minutos sem rematares com perigo à baliza e merecias ganhar o jogo? Aos nove minutos de jogo o teu colega Júlio César já perdia tempo na reposição da bola em campo, e ainda assim foste a melhor equipa? Viste um puto Gélson fazer “gato-sapato” do teu colega Eliseu inúmeras vezes, e ainda assim achas injusto teres ficado pelo caminho? Por falar em justiça, viste a joga do João Mário? Encheu-te as medidas? É que a mim sim!

Gonçalo, reconheço-te velocidade e até algum flair, mas precisas de modéstia e até de capacidade de raciocínio para singrar na vida e no futebol.

Guedes, claramente deves ter visto um jogo diferente deste que a foto representa Fonte: Sporting CP
Guedes, claramente deves ter visto um jogo diferente deste que a foto representa
Fonte: Sporting CP

Agora, Guedes, podes dizer “Ah, e tal, e o penálti que levou o meu capitão para o Hospital da Luz?”. A minha resposta é: “Tens razão, Gonçalo, é penálti, sim, senhor!”. Também podes referir a agressão do Slimani ao Samaris, e que o nosso Super-Sli devia ter sido expulso nesse lance… A minha resposta será que é verdade; poderia e deveria ter sido expulso. Mas sabes o que te direi a ti, Gonçalo, e a todos os Guedes desta vida? Porque não pedes o vídeo-árbitro? Porque é que são aqueles que, supostamente, utilizam a táctica do barulho que andam aqui numa caminhada solitária pelo deserto a pedir algo que vai acabar com esses mesmos lances? Porque é que não vais com o teu mister Vitória até Alvalade e falas com Bruno de Carvalho para dar o teu apoio a essa causa? Ou porque não vais mesmo ter com o teu presidente e pedes para falar sobre a introdução dessa tecnologia no futebol português?! Eu sei que ele disse uma vez que “um clube que desculpa as derrotas e as vitórias dos outros com erros de arbitragem é sinal de clube pequeno” mas, depois de perderes pela terceira vez em três meses com o Sporting, algumas políticas têm que ser repensadas, não? Tens medo de ser apelidado de calimero? Não tenhas, porque só estás a tentar o melhor para o futebol português, e isso é de louvar.

É que a mim dava-me um jeitão que a vídeo-arbitragem chegasse a Portugal, confesso. Acabar-se-ia com os casos Capela, com os penáltis por marcar e mal marcados, com as simulações e com os treinadores que entram em campo e empurram jogadores do meu clube. Só neste derby, e para além do que já falámos, gostava de que um vídeo-árbitro tivesse visto a falta de Jardel sobre o Adrien aos 52 minutos e que seria o segundo amarelo, ou então que visse o penálti do Samaris antes dos 90′, o que poderia dar a vitória sem necessidade de cansar os jogadores com mais meia hora de jogo. Era tão bom, porque escusava de te cansar a ti e aos jogadores do meu Sporting antes de duas viagens muito longas e que esperemos que se traduzam em duas vitórias europeias.

Desejo-te toda a sorte do mundo, Guedes, ressalvando que percas sempre contra a equipa que foi “a pior em campo” no passado Sábado, mas acima de tudo espero que consigas fazer pelo futebol nacional aquilo que o meu presidente tenta – sem sucesso – há mais de dois anos.

Se precisares de ajuda, tenta falar com o Pedro Guerra; ele, com toda a exposição mediática que (infelizmente) tem, de certeza que consegue ser uma ajuda de peso para a nossa causa.

O momento é agora, Gonçalo(s).

Foto de Capa: Sporting CP