Durante esta semana, foi notícia em alguns órgãos da Comunicação Social que Frederico Varandas será distinguido como dirigente do ano para o Grupo Stromp. Numa cerimónia que, em princípio, se irá realizar a 18 de dezembro, surgem já rumores que dão conta desse prémio para o presidente do Sporting CP.

Primeiramente, revelo aqui alguma preocupação para o facto deste tipo de informação sair para o exterior. Se para um pequeno grupo, constituído por pessoas que amam o clube intensamente, é impensável que saiam para o exterior tais decisões, o facto de faltar mais de um mês para a Gala só vem acentuar ainda mais a questão. Se nem aí há união, como a podemos exigir no nosso clube?

Depois, a ser verdade, julgo ser uma clara afronta para todos os sócios e adeptos que, insistentemente, têm demonstrado total desagrado para com o trabalho do atual presidente do clube. Sabe-se inclusive que já há assinaturas suficientes para convocar uma AG com vista à destituição de Frederico Varandas, o que demonstra a enorme ausência de consenso no reino leonino. Como se pode atribuir, deste modo, uma distinção tão importante como a de dirigente do ano? Como disse, julgo que se trata apenas de uma forma de silenciar a cada vez maior contestação em torno do trabalho desempenhado.

A direção leonina não sai da ordem do dia e as críticas não cessam
Fonte: Sporting CP

Gostava, sinceramente, de conseguir perceber o que fez Frederico Varandas para ser eleito presidente do ano. Não formou uma equipa minimamente competitiva no futebol? Discurso sem qualquer tipo de garra e carisma? Dinheiro gasto em jogadores e negócios extremamente duvidosos? Rescisão de protocolos com as claques? Tentativa de aumento do salário para seu benefício? Censura dentro do próprio estádio e pavilhão? É isto que um dirigente deve fazer para vencer um prémio? Se é assim, algo está a funcionar muito mal no atual mundo leonino.

Concluindo, caso se confirme que Frederico Varandas é considerado pelo Grupo Stromp o dirigente do ano, é com grande repúdio que assisto à decisão. É, para mim, uma falta de respeito para todos os que verdadeiramente amam o clube. É preciso unir o Sporting CP.

Foto de Capa: Sporting CP

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários