porta

O final do mês de Fevereiro foi duro no reino do Leão. A eliminação na Liga Europa era expectável mas  o jogo de Alvalade deixou no ar um travo a injustiça, uma excelente exibição não foi traduzida numa vitória, algo que acabou por desmoralizar o jovem plantel de Marco Silva.

Mas pior do que este encontro caseiro frente ao Wolfsburgo foi a deslocação seguinte ao Estádio do Dragão, terreno onde o Sporting já tinha (con)vencido esta temporada; foram noventa minutos irreconhecíveis, apáticos, bizarros e que tornaram titulares indiscutíveis no foco de todas as críticas Sportinguistas.

Para além de Patrício, Adrien e Cédric são os mais recentes alvos de toda esta insatisfação verde e branca.  Se sobre o capitão leonino já escrevi num passado recente, minimizando os defeitos e não me esquecendo de todas as vezes em que se transformou em “São” Patrício, irei falar pela primeira vez na dupla de jogadores formados na Academia de Alcochete e que curiosamente se afirmaram no plantel após um empréstimo à Académica de Coimbra.

Não sou fã de Cédric, ponto. Não lhe revejo potencial para ser titular num Sporting candidato ao título e de grandes façanhas europeias. Reconheço-lhe o esforço mas é um jogador limitado, com dificuldades ofensivas e acima de tudo que tem na sua personalidade o seu maior defeito, por ser um jogador quezilento, que ferve em pouca água e prejudica várias vezes o clube com a sua incapacidade de controlo emocional.

Anúncio Publicitário

Na minha óptica,  Miguel Lopes deveria ser o lateral titular. É um jogador mais experiente, rotinado e que dá uma maior tranquilidade a uma posição que nos últimos tempos tem sido explorada pelas equipas adversárias. Tendo em conta que o contrato com o jovem nascido na Alemanha termina no final da próxima temporada, este Verão é a altura ideal para vender o jogador, passando Ricardo Esgaio a alternativa de Lopes.

Apesar do menor fulgor, Adrien continua a ser uma das melhores opções para o meio campo Fonte: Facebook do Sporting
Apesar do menor fulgor, Adrien continua a ser uma das melhores opções para o meio campo
Fonte: Facebook do Sporting

Sobre Adrien a minha opinião muda um pouco; o médio realizou uma excelente temporada em 13/14 e merecia ter estado no Mundial do Brasil. Este ano, o seu nível exibicional desceu um pouco, mas não podemos falar em falta de qualidade ou até de uma questão de “desleixo”. Creio que o problema de Adrien passa por uma questão de forma e pelo próprio sistema de jogo de Marco Silva, priveligiando o jogo pelos extremos e os cruzamentos para Slimani.

Contudo, Adrien continua a ser um jogador importante no plantel, e não gostaria de o ver sair de Alvalade, a não ser que seja envolvido num bom negócio paras os cofres leoninos, algo que muito sinceramente não vejo a acontecer.

Por fim, gostaria de realçar a filosofia de Marco Silva no último jogo frente ao último classificado do campeonato. A aposta em William como solução à expulsão de Tobias foi arriscada e não correu da melhor forma, ainda assim tenho que louvar esta mentalidade, não querendo perder a capacidade de sair com a bola jogável e continuando a controlar o meio campo. Apesar do golo sofrido no lance seguinte à expulsão, e dos erros defensivos no lance do segundo golo, a decisão do treinador foi a correcta, mantendo-se fiel aos seus princípios de jogo.