Diego Rubio chegou ao Sporting CP na época de 2011/2012, vindo do CSD Colo Colo a custo de um milhão de euros. Formado no ‘El Cacique’, apenas fez uma época como profissional pelo clube chileno, onde em 10 jogos marcou 6 golos.

Com 18 anos, somou 521 na primeira época pelos Leões, marcando um golo em 17 jogos.  Apesar da pouca experiência, sempre demonstrou raça e vontade. Na temporada seguinte ingressa na equipa B, com 26 jogos e 8 golos, apenas jogando dois jogos pela equipa principal. Em 2013/2014 é emprestado por falta de espaço e acaba por não ser feliz em terras de campeonatos menos sonantes. Primeiro pelo CS Pandurii, na Roménia, com 117 minutos distribuídos por 5 jogos. Ruma ao Sandnes Ulf, clube norueguês, onde foi aposta e em 27 jogos apontou 8 golos.

Volta a Alvalade com 22 anos para a última oportunidade. Em 21 jogos pela equipa B marcou 14 golos. Diego queria mais. Queria oportunidades pela equipa principal e tal não aconteceu, somando apenas 31 minutos, num jogo a contar para a Taça da Liga.

Na época de 2015/2016 fez 5 jogos pelo Sporting B e rumou à Segunda Liga Espanhola para reforçar o Real Valladolid CF, vendido por 400 mil euros. Jogou 13 jogos de setembro a janeiro,  transferindo-se para o Sporting Kansas City, onde jogou 20 jogos e marcou 3 golos. Ao todo, somando os 3 clubes, disputou 38 jogos e apontou 3 golos.

Desde então, o avançado chileno de 26 anos manteve-se  na Major League Soccer, onde hoje joga no Colorado Rapids. Nos seus palmarés tem um título, a conquista da US Open Cup em 2017 pelo Sporting Kansas City.

Chegou como reforço promessa a Alvalade e, mostrou pela equipa B qualidade e consistência. O que faltou a Diego Rubio para ter espaço na equipa principal do Sporting CP? Relembramos que teve com concorrentes de posição, além dos titulares, nomes como Valeri Bojinov, Sabastián Ribas, Salim Cissé e Hadi Sacko.

Foto de Capa: Colorado Rapids

Comentários